Articles by "Frutas"
Mostrando postagens com marcador Frutas. Mostrar todas as postagens
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Araçá-do-campoNome Científico: Psidium guineense Sw.
Nomes populares: Araçá-do-campo, araçá-mirim, araçá-da-restinga, goiaba-do-morro.
Família Botânica: Myrtaceae
Distribuição Geográfica e Habitat: Nativa da América tropical, ocorrendo em vários tipos de vegetação, principalmente no Cerrado e Cerradão.
Características Gerais: Pequena árvore ou arbusto, de copa densa, arredondada, com ramos pubescentes. Tronco: cilíndrico, tortuoso, revestido por casca lisa, de coloração pardo-amarronzada, com manchas mais claras, descamante. Folhas: simples, opostas, curto-pecioladas, coriáceas, ovais, oblongas ou elípticas, base aguda, obtusa ou arredondada, ápice arredondado ou obtuso, pilosas na face inferior. Flores: solitárias, axilares, grandes, sobre pedúnculos axilares, com 1 a 3 flores. Frutos: baga globosa lisa, de coloração amarelada, coroadas pelas sépalas persistentes, com polpa suculenta, de sabor acidulado.
Usos: Os frutos podem ser consumidos in-natura, pouco apreciadosAs folhas e frutos podem ser utilizadas como antiinflamatório. É interessante para ser usada na recuperação de áreas degradadas por atrair a avifauna.
Curiosidades: Psidium é originário da palavra grega “psídion”, que significa morder, em referência ao sabor agradável dos frutos, ou nome grego da planta Pohlianum, em homenagem ao botânico austríaco Pohl.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Manejo nutricional ideal da goiabeira
Direto ao ponto
Na implantação dos pomares de goiabeira há grande exigência de fósforo e cálcio para a formação do sistema radicular. Entenda mais sobre sua nutrição.
A nutrição adequada e equilibrada é fundamental para qualquer cultura agrícola, mas, para as frutíferas assume papel ainda mais importante. Isso porque boa parte da produção nacional de goiabas é consumida in natura, ou seja, o comprador “come” primeiro com os olhos, e se a fruta apresenta alguma problema nutricional, os frutos tendem a refletir isso em sua forma, tamanho, cor, sabor, aroma etc., ou seja, há depreciação do produto colhido e, consequentemente, do preço final de venda.
Nutrientes essenciais para a produção de goiaba
Apesar de os elementos essenciais, ou seja, os nutrientes, serem os mesmos para todos os vegetais, as quantidades e os equilíbrios entre eles variam enormemente de uma cultura para outra. Assim, é de extrema importância a pesquisa relacionada à nutrição mineral, visto que somente por meio dos experimentos de campo é possível determinar a quantidade, a época, a dose e a localização dos fertilizantes a serem aplicados nos pomares.
Nunca é demais lembrar que apenas pelas análises de solo e planta é que se pode determinar as doses de adubo a serem empregadas. De todo modo, seja para a goiabeira ou para qualquer outro vegetal, os elementos essenciais são os macronutrientes (N, P, K, Ca, Mg e S) e os micronutrientes (B, Cl, Cu, Fe, Mn, Mo e Zn).
Exigências nutricionais
Para compreender facilmente esse aspecto, pode-se traçar um paralelo com o desenvolvimento de qualquer outro ser vivo, por exemplo, os humanos. As exigências nutricionais variam muito entre um recém-nascido, uma criança, um jovem, um adulto e um idoso.
Assim acontece, também, com os pomares de frutas. Na implantação dos pomares de goiabeira há grande exigência, por exemplo, de fósforo e cálcio, para a formação do sistema radicular. Isso não quer dizer que os demais nutrientes têm menor importância, mas, sim, que nesta fase esses dois elementos merecem maiores cuidados.
Após o pegamento das mudas no campo, há grande necessidade de nitrogênio para a formação da parte aérea das arvores. Na fase de produção plena de frutos o potássio é o elemento mais demandado pela goiabeira, pois esse nutriente é largamente exportado pelos frutos.
De todo modo, essas são apenas indicações sobre as exigências nas diferentes fases fenológicas das plantas. As recomendações, é claro, devem ser baseadas nas análises de solo e folhas, a fim de aplicar o que é exigido pela cultura. Atualmente, está disponível um software para os cálculos de adubação que pode ser acessado gratuitamente no site: http://www.registro.unesp.br/#!/sites/cnd/
Os solos tropicais têm, em geral, baixa fertilidade. Por outro lado, os pomares de frutas têm, via de regra, grande capacidade produtiva. Isso implica que, para produzir adequadamente, deve-se complementar a quantidade de nutrientes que o solo não consegue fornecer à planta.
Essa diferença é aplicada pela adubação. Como dito anteriormente, é preciso conhecer as características do solo (via análise de solo) e da goiabeira (por meio da diagnose foliar) para realizar com sucesso as recomendações de adubação.
Com base nessas duas ferramentas agronômicas pode-se aumentar a produtividade e reduzir os custos com fertilizantes, além de diminuir os riscos ambientais de poluição. O mesmo site citado na questão anterior pode ser usado para diagnosticar quais nutrientes deverão ser aplicados nos pomares.
Quanto custa?
A adubação representa, depois da mão de obra, a parte mais significativa dos custos de produção dos pomares de frutas, em geral. Isso porque as plantas frutíferas são muito exigentes e têm alta produtividade por hectare, quando comparadas aos grãos, por exemplo. Outro aspecto a ser considerado é que a maioria dos fertilizantes são importados, sendo desnecessário comentar as implicações disso nos custos agrícolas.
Por outro lado, os pomares bem manejados da maior região produtora de goiabas do Estado de São Paulo (Vista Alegre do Alto, Taquaritinga, Monte Alto e, etc.), têm três safras em dois anos, com produtividade média de 70 toneladas por hectare em cada safra. São pomares irrigados e manejados com podas drásticas, mas que garantem alta lucratividade aos fruticultores.
Questão de região
A análise econômica da nutrição adequada dos pomares é bastante complicada, pois varia muito dependendo da região, da produtividade, do mercado a que se destina (mesa ou indústria), entre outros aspectos. Entretanto, é seguro afirmar que para atingir elevados rendimentos a adubação é imprescindível, seja pela elevada exigência da cultura, seja pela pobreza dos solos brasileiros.
Sem o adequado manejo nutricional os frutos não terão as características organolépticas exigidas pelos consumidores ou pela indústria. Apenas para dar dois exemplos concretos da relação benefício-custo da aplicação de insumos nos pomares, pesquisas indicam que para cada R$ 1,00 aplicado em calagem obtém-se R$ 7,00 em beneficio. Para a adubação nitrogenada os números são ainda mais contundentes: para cada R$ 1,00 investido em nitrogênio o benefício é de R$ 20,00.
Fonte: Campo e Negócios (08/03/2016)
Imagem: Erli/ Campo e Negócios
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Noni a fruta proibida no Brasil
A fruta NoniMorinda citrifolianão existe no Brasil mas, é bastante comum no Taiti, Havai, e em todo o sudeste asiático e na Austrália, pelos aborígenes. No entanto, hoje ela está de moda e, ao que parece, possui propriedades curativas interessantes.

Mas, apesar das propriedades curativas que muitos investigam e toda uma população longe daqui aproveita, a Noni está proibida no Brasil até como alimento devido à inconclusividade de estudos científicos quanto à segurança do seu uso (foi autorizada nos EUA, Canadá e União Europeia, como suplemento alimentar sendo que neste último, somente o suco é permitido - leia aqui. Nos meios científicos médicos se têm desconfiança desta fruta pois, ocorreram casos de hepatite fulminante e necessidade de transplante de fígado relacionados ao seu uso indiscriminado (leia aqui sobre isso e aqui, neste informe da Anvisa ).

Por que a Noni ainda não é liberada no Brasil?

Sobre a questão da toxicidade da Noni, vale a pena ler este parágrafo da Wikipedia portuguesa:
“Em 2005, duas publicações científicas descreveram incidentes de hepatite aguda reportadas como causadas por uma preparação a base de noni. Consequentemente, a EFSA (Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar) iniciou uma avaliação dos produtos derivados do noni. Na Alemanha, a BfR (National Agency for Risk Evaluation) também iniciou investigações em 2006, sobre a hepatite aguda, que poderia ter sido causada por esses produtos. No entanto, os autores das duas publicações não encontraram toxinas nos produtos derivados desta planta, como por exemplo, o sumo (suco) de noni, mas sim antraquinona na raiz desta planta'. [http://ec.europa.eu/food/fs/sc/scf/out151_en.pdf]. Estudo recente, publicado em junho de 2006 na revista científica World Journal of Gastroenterology, não observou nenhum efeito tóxico ao fígado, mesmo em doses altas do suco. No Brasil, por insuficiência de estudos comprobatórios dos benefícios do noni e a possibilidade de provocar hepatite aguda, a ANVISA proibiu o uso e comercialização para fins medicinais.”
A fruta Noni é bastante parecida com as da graviola (Annona muricata) e da fruta do conde (Annona scamosa), ambas da família Annonaceae. No entanto, pertence a uma família botânica diferente, a do café, Rubiaceae. A aparência do fruto não indica, no caso, as mesmas qualidades nutricionais e medicinais mas, pode confundir quem vai comprar Noni.
Leia aqui sobre a graviola e a fruta do conde que têm propriedades medicinais reconhecidas e comprovadas sem terem a toxicidade da Noni:

Os estudos sobre as qualidades curativas da Noni

Diversos estudos científicos atribuíram ao noni e seus fitoquímicos propriedades analgésica, antibacteriana, antitumoral, anti-inflamatória, antioxidante, anti-tuberculosa e sendo preventiva para doenças cardiovasculares. No entanto, a maioria dos estudos que avaliam suas propriedades é in vitro ou com animais de laboratório. Em menor quantidade estão os estudos clínicos realizados com os extratos e/ou vários constituintes puros de Noni”. Leia mais aqui.

O uso medicinal de Noni no sudeste asiático

“As várias partes da planta (folhas, raízes, frutos, caules e cascas) são consumidas de diversas maneiras: como alimento, fitoterápico e ainda para tingimento de tecidos (WANG et al., 2002). Essa utilização ocorre há muitos anos, principalmente com dois propósitos: as raízes e as cascas são utilizadas para tingir roupas e cerâmicas, e todas as partes da planta têm sido utilizadas como um suplemento alimentar (PALU et al., 2008).
Conforme a medicina tradicional e popular, a planta tem a capacidade de prevenir ou curar diversas enfermidades: alergia, artriteasma, infecções bacterianas, câncer, diabetes, hipertensão, distúrbios menstruais e musculares, obesidade, úlceras gástricas, cefaléias, insônia, depressão, estresse, problemas respiratórios, esclerose múltipla e até dependência química (LAVAUT E LAVAUT, 2003; McCLATCHEY, 2002; WANG et al., 2002)”.
Este trecho que fala do uso medicinal está em uma dissertação de mestrado da Universidade Federal do Ceará, muito interessante e que vale a leitura.

Contraindicações de uso

Alguns efeitos contraindicados sobre o uso da Noni como suplemento alimentar já foram determinados pelo público adepto e na literatura. Estes são:
círculo verde Doenças renais - por seu elevado teor em potássio, o suco de Noni não é aconselhável a pessoas que sofram dos rins.
círculo verde Insuficiência cardíaca - não tome suco de Noni se você tem algum problema cardíaco medicamentado ou use anticoagulantes já que esta fruta tem sinergia com os remédios de coração, potencializando-os, o que pode ser perigoso.
círculo verde Transplantes - para quem sofreu algum tipo de transplante Noni não é indicado pois reforça os sistema imunológico podendo provocar rejeição do órgão transplantado.
círculo verde Gravidez e aleitamento - não há qualquer estudo que possa garantir o uso de Noni durante a gravidez e o aleitamento. Não se sabe se a ingestão do suco desta fruta possa ou não produzir efeitos indesejáveis tanto para você como para seu bebê.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Benefícios das frutas vermelhasFrutas vermelhas orgânicas ajudam contra a obesidade e envelhecimento precoce. 

Confira;
Uma fruta silvestre, não consumida tipicamente, não tão fácil de encontrar e nem sempre encontrada com preço acessível, mas para quem tiver a oportunidade, vale a pena incluir na alimentação.

Elas tem ótimo valor nutricional, devido a alta concentração de vitaminas e compostos bioativos.

 Ricas em vitamina C, antocianinas (responsáveis pela coloração) e flavonoides, com ação anti-inflamatória e antioxidante, auxiliando na redução do risco de doenças, como obesidade, a proteger contra o envelhecimento precoce, além de prevenir a redução do desempenho físico.

Além disso, tem baixa carga e índice glicêmico, 10 g de carboidratos a cada 100 g da fruta. Para comparar, por exemplo: uma banana de 100 g terá por volta de 25 g de carboidratos, além de ter índice glicêmico mais elevado.

Frutas vermelhas orgânicas para dietas

AMORAS: Recomendadas para melhorar a pressão, reforçar o sistema imunológico, combater o envelhecimento e perda de peso.
FRAMBOESAS: Ricas em vitaminas, antioxidantes e fibras, além de ser uma deliciosa fruta.
MIRTILO: Fruto rico em antioxidantes, que ajudam a combater os radicais livres que danificam as estruturas celulares em nosso corpo.
MORANGOS: Recomendado para combater o envelhecimento da pele, prevenir o câncer e melhorar a capacidade mental.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Figo e os benefícios para sua saúde

Ligeiramente doce, com textura lisa e crocante por causa das sementes, e pertencente à família Moraceae. Já desconfia de que fruta este texto se refere? Se você pensou em figo, acertou! Esse fruto é típico do Oriente Médio e países asiáticos e possui diversos benefícios.

Na culinária, os figos estão presentes, principalmente, na produção de doces e geleias, mas também podem ser consumidos secos ou frescos. Sua eficácia à saúde humana está relacionada aos minerais, as fibras e as vitaminas presentes em sua estrutura.

Eficácia nutricional

Rico em vitaminas A, B1 e B2, além de ferro, cálcio, magnésio, fósforo, potássio, sódio e cloro, o figo possui a quantidade necessária de calorias para o organismo: 250 a cada 100 gramas da fruta. Sua estrutura também contempla a presença das vitaminas C e K, além de fibras dietéticas, hidratos de carbono e vários antioxidantes.

Combate ao câncer
Rico em antioxidantes, o figo possui flavonoides e fenóis, a exemplo da catequina, rutina e ácido clorogénico, agentes que limitam o metabolismo de células causadoras do câncer. Já a fibra alimentar, também presente no figo, tem atuado na redução do surgimento do câncer de cólon e de mama.

Faz bem para a pele

Com elevados níveis de vitaminas, o figo auxilia na nutrição e no rejuvenescimento da pele. Pela presença de fenóis e flavonoides, a fruta também age como defensor das células da pele a partir da oxidação, devido os radicais livres, e atua também como anti-inflamatório.

Combate ao colesterol

Por conter pectina, uma fibra dietética solúvel, o figo é eficiente no auxílio da absorção do colesterol e estimula a liberação do mesmo sem causar danos ao organismo. A fruta também é rica em antioxidantes e ácidos graxos, e suas folhas podem ser utilizadas como componente redutor do nível de triglicerídeos.

Agente contra a diabetes

O consumo das folhas de uma figueira é excelente para diabéticos, pois elas reduzem a necessidade de insulina como estabilizador do açúcar no sangue. Já a presença do potássio, serve como monitorador do nível de glicose.  

Eficácia do figo também no tratamento de:
Anemias
Bronquite
Prisão de ventre
Fadigas
Doenças degenerativas
Dores de estômago
Infecções gerais
Esgotamento físico
Estresse
Faringite
Hipertensão
Fortalecimento dos ossos
Mau humor
Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Pequi e seus benefícios1. PROTEGE O CORAÇÃO
Pequi tem um teor muito elevado de ácidos graxos monoinsaturados, que são os mesmos compostos encontrados em nozes, azeitonas e compostos orgânicos benéficos que ajudam a diminuir os níveis de colesterol no sangue e protege o nosso coração.

Oléico, linoléico e ácido esteárico são encontrados no fruto, que tudo melhorar os efeitos oxidação no corpo, o que significa que menos colesterol se acumula nas paredes das artérias e vasos sanguíneos, assim, proteger os nossos sistemas cardiovasculares de aterosclerose, ataques cardíacos, derrames e doença cardíaca coronária.

2. FONTE DE POTÁSSIO
A mistura de vitaminas e minerais, incluindo potássio, bem como os efeitos anti-inflamatórios dos ácidos naturais encontradas no fruto, pode ajudar a aliviar a pressão sobre os vasos sanguíneos e relaxar eles, aumentando desse modo o fluxo sanguíneo e aliviando a pressão sobre o coração. A inflamação pode causar constrição dos vasos sanguíneos, o que pode agravar ainda mais problemas de coração, como colesterol entupimento.

3. COMPOSTOS ANTI-INFLAMATÓRIOS
Um estudo realizado em atletas exclusivamente com a dieta de pequi, constatou-se que a inflamação geral das articulações e músculos foram reduzidas após os treinamentos. O que é potencialmente explicado pelos altos níveis de compostos anti-inflamatórios encontrado no pequi. Isso poderia ser uma solução natural para as pessoas que sofrem de artrite e outras condições inflamatórias.

4. FONTE DE VITAMINA A
O pequi é uma boa fonte de vitamina A, e como você deve saber, o beta-caroteno é um dos derivados da vitamina A. O teor de carotenóides de pequi é alto, e estes atuam como antioxidantes, especificamente nas células oculares. Isso significa que, ao comer o fruto do pequi e outros alimentos ricos em carotenóides, podemos melhorar a visão, impedindo a degeneração macular e catarata que muitas vezes são causados pelos radicais livres.

5. ÓLEO ESSENCIAL
óleo essencial de Pequi pode ser extraído das nozes / sementes dentro do mesocarpo da fruta pequi. Este óleo essencial é frequentemente incluído em xampus e hidratantes tradicionais no Brasil, mas está começando a ganhar terreno no mercado internacional também. Além disso, o elevado teor de tocoferol e de vitamina A em pequi significa que a pele e o cabelo é protegida devido às propriedades antioxidantes destes compostos.

Consumir pequi pode manter sua pele de mostrar defeitos, melhorar a cicatrização, adicionar um brilho rico para a sua pele, e prevenir os sinais de envelhecimento prematuro. Ele também tem sido tradicionalmente usado para o tratamento de eczema e lesões cutâneas.

6. FONTE DE FIBRAS
A fibra é uma parte importante de a grande maioria das frutas e legumes, e pequi não é excepção. Os altos níveis de fibra encontrados em pequi ajuda a melhorar a sua saúde digestiva por adicionar volume ao seu banco e reduzir a ocorrência de constipação, flatulência, cólicas e diarreia. Fibra também ajuda a eliminar o excesso de colesterol “ruim” do seu sistema, melhorando ainda mais sua saúde cardíaca.

7. REMÉDIO NATURAL PARA ASMA
Pequi pode ser uma solução natural para asma, extraia o óleo do fruto. Coloque de 3 à 5 gotas sobre as refeições, duas vezes por dia.




SOBRE O PEQUI
Pequi ou Souari Nut (Caryocar brasiliense) é uma fruta brasileira, de cor amarela, e tem um cheiro e sabor forte. Fruto de Pequi é uma refeição muito popular em Goiás e Minas Gerais, e pode ser comido sozinho ou com outros alimentos.

Pequi tem sido usado por brasileiros como um adicional nutritivo durante anos na preparação de alimentos e às bebidas de sabor, ou simplesmente comido cru como um lanche. O óleo de Pequi, o qual é extraído do fruto, também é utilizada como um óleo de cozinha O Pequi com arroz e frango é especialmente popular. Um óleo extraído das sementes de pequi também é utilizado como um óleo comestível.

O pequi é habitualmente consumida pela população na zona de Cerrado e está profundamente enraizado na cultura e culinária regional. Para os mineiros, os habitantes do Cerrado de Minas Gerais, o pequi não pertence a ninguém, porque ele pertence a todos.

HISTORIA DO PEQUI

O pequi ocupa um papel importante na cultura dos povos indígenas da região do Cerrado do Brasil. Como a semente leva um longo tempo para germinar, a colheita tem de ser feito de forma sustentável, com árvores de substituição cuidadosamente plantadas para manter o fornecimento.

Por isso, eles mantêm o seu direito ancestral para levá-lo onde quer que seja, em terrenos públicos ou privados, cercado na terra ou a terra não protegida, etc, onde quer que seja, o pequi sempre foi “acessível” à sociedade regional. Desde os anos sessenta, devido à exploração madeireira e instalação em larga escala de plantações de eucalipto, o pequi e tudo o que ele representa estão sob uma ameaça séria.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Compostos extraídos da gravioleira têm potencial ação inseticida e antitumoralSubstâncias bioativas identificadas na gravioleira vêm chamando a atenção dos cientistas há pelo menos quarenta anos. São as acetogeninas anonáceas, uma classe de compostos derivados de ácidos graxos, cujo espectro de atividade biológica inclui propriedades inseticidas, anti-helmínticas e anticancerígenas. AEmbrapa e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) acabam de concluir um estudo que pode contribuir para que, no futuro, essas substâncias cheguem às prateleiras de supermercados e farmácias.
A pesquisa avaliou um método promissor para extrair e concentrar esses compostos. Um estudo que abre caminhos para que se possa transformar folhas em produtos, como suplementos alimentares ou fitoterápicos, sem que se percam os princípios ativos de interesse.
Conforme a pesquisadora Ingrid Vieira Machado de Moraes, da Embrapa Agroindústria Tropical (CE), as acetogeninas anonáceas já foram amplamente estudadas, mas ainda não existe um produto padronizado, cuja concentração seja determinada e segura para consumo humano. “Pesquisas em todo o mundo têm confirmado o que o conhecimento tradicional aponta: componentes bioativos naturais presentes nas folhas, caule, casca e semente dos frutos da gravioleira apresentam comprovado efeito anticancerígeno”, diz.
Muitas empresas brasileiras e estrangeiras têm comercializado a folha da gravioleira desidratada na forma de cápsulas e sachês de chá, obtidos a partir da secagem e trituração das folhas. Por meio desse processo, os compostos bioativos presentes nas folhas, encontrados na ordem de partes por milhão, estão misturados a diversos outros compostos e suas concentrações não são determinadas.
“O conhecimento das concentrações de moléculas potencialmente citotóxicas, como as acetogeninas anonáceas, é de extrema relevância para o consumo seguro dos produtos que contêm esses compostos”, afirma Ingrid de Moraes.
A pesquisadora extraiu os compostos bioativos utilizando um solvente reconhecido como seguro para o consumo humano, o etanol. O estudo foi realizado no Departamento de Tecnologia de Alimentos da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp (FEA-Unicamp). Foram avaliados alguns parâmetros visando otimizar os processos de extração e de separação e concentração por membranas.
Para que o extrato seja transformado em produto, são necessários ainda outros estudos, incluindo análises de estabilidade das moléculas e padronização dos extratos. A intenção é melhorar o método de produção e a qualidade final do extrato, dando condição de informar a concentração dos princípios ativos presentes.
Entre o veneno e o remédio
O estudo foi orientado pelo professor Flávio Luís Schmidt, do Departamento de Tecnologia de Alimentos da FEA-Unicamp. Ele diz que as anonáceas têm despertado atenção no mundo inteiro, porque, se por um lado podem ajudar no combate a diversas doenças, por outro lado também apresentam algum nível de toxidade. “ Não nos preocupamos neste estudo com as questões biológicas de seus princípios ativos, mas nos dedicamos à extração dos principais compostos e estudamos formas de purificação.”
Ele pondera que muito se tem falado dos benefícios das anonáceas e seus princípios ativos, porém os dados são de estudos feitos em ambiente puramente analítico, em escalas extremamente reduzidas. Segundo ele, qualquer viabilidade de aplicação desses componentes deverá passar por um processo de extração que possibilite uma produção em maior escala e comercialização. “O estudo foi direcionado nesse sentido, incluindo a utilização de solventes de fontes renováveis”, explica.
Para o professor, estudos como esse podem gerar empreendimentos viáveis, com geração de emprego e renda. “Neste caso, a matéria-prima é renovável e pode gerar produtos relativamente baratos, ao alcance da população, com ganhos em qualidade de vida”, acredita o professor.
O Brasil hoje é o maior produtor de graviola do mundo, tendo ultrapassado o México nos últimos anos. Só o estado da Bahia responde por aproximadamente 85% da produção nacional segundo a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB).
Tecnologias limpas
Uma das preocupações do estudo foi a de utilizar, na produção dos extratos, um solvente considerado seguro para o consumo humano. Dessa forma, não é necessário aplicar tratamento térmico para extrair o solvente utilizado no processamento, e, assim, evita-se que altas temperaturas degradem as moléculas de interesse.
O método usado para a produção do extrato foi a separação e concentração por membranas seletivas. O processo não envolve mudanças de fase e não utiliza temperaturas elevadas, garantindo as características nutricionais do produto. As membranas funcionam como peneiras moleculares. Conhecendo-se o tamanho molecular dos compostos de interesse, é possível aplicar a tecnologia adequada para a separação.
Dependendo da seletividade da membrana utilizada, é possível fracionar e concentrar diferentes compostos. É uma tecnologia limpa, que implica na redução de consumo energético e impactos ambientais.

Verônica Freire (MTb 01225/CE)
Embrapa Agroindústria Tropical

Telefone: (85) 3391-7116
Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Fruta do MillagreEntenda os benefícios da Fruta do Millagre (Synsepalum Dulcificum) para a sua saúde

A Fruta do Millagre (Synsepalum Dulcificum) também conhecida mundialmente como Miracle Berry, é uma planta nativa da África Ocidental e pertence a família das Sapotáceas. A planta inicia sua produção em torno de 3 a 4 anos após a semeadura (crescimento lento).

Essa frutífera, já é conhecida no âmbito botânico e ecológico desde o século 18 pelo explorador françês Chevalier des Marchais (1725) em uma expedição no qual buscava plantas exóticas na África.

Minha dica: Prove a Fruta do Milagre, e depois coma algo Ácido/Azedo ou Amargo e verá que o efeito dessa frutinha realmente é milagroso. Milagroso como assim ?

A polpa dessa berry possui uma glicoproteína chamada Miraculina, que ao entrar em contato com as papilas gustativas da língua (“taste receptors“), inibem a capacidade de sentir os gostos Ácido e Amargo de 30 minutos até 2 horas (“taste-modifying ability“).

Por essa característica marcante, a fruta do milagre vem sendo usada como poderoso “Adoçante” (“sweet taste induced“) para preparações em geral (que são de característica amarga ou ácida), no ramo medicinal e também na indústria cosmética.
Fruta do Millagre


Não é extraordinário poder adoçar um suco de limão puro (limão siciliano, camu camu, cambuci), com esse insumo da natureza que é totalmente diferente de qualquer outro adoçante (sem potencial lesivo/danoso e sem calorias).

Além dessa capacidade interessante, a fruta do milagre possui fortíssimos fitoquímicos Antioxidantes, Antiinflamatórios e Anticarcinogênicos como: Epicatequina, Rutina, Quercetina, Miricetina, Kampferol, Ácido Gálico/Ferúlico e Siringico, Antocianinas (Delfinidina glicosideo, Cianidina/Malvidina Galactosideo), Tocoferóis (alfa-tocotrienol, gama-tocoferol), Luteína e alta dose de Vitamina C.

A Miracle Fruit está se adaptando bem no clima do Brasil, e a minha intenção é mostrar pra vocês opcões novas, para que possamos fortalecer essa ideia, e incentivar nosso país a valorizar espécies de plantas “desconhecidas”, mas que podem nos auxiliar com maestria no âmbito da Saúde.

Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Amoreira-negra
Nome científico: Morus nigra

A amoreira-negra costuma ser a preferida para o consumo alimentar humano, pelo sabor mais pronunciado de seus frutos que são, também, mais volumosos. Além disso, a amoreira-negra é árvore de características ornamentais pois, apesar de não alcançar muita altura, sua copa de folhas abundantes proporciona boa sombra. Os ramos dessa variedade são usados popularmente contra a hipertensão; as folhas para diabetes; a raiz é contra a solitária e as frutas contra fraqueza, úlceras e vertigem. A folha da amora-preta também é utilizada para desinfeccionar pulmões e assim aliviar tosses e problemas respiratórios.

Morus é o nome do gênero que descreve as amoreiras, que dependendo da espécie são nativas da Ásia (a maioria), da África ou da América do Norte.

São árvores de porte médio que podem atingir 5m de altura. É uma espécie indispensável para cultivar em um jardim ou pomar, ocupando mesmo pequenos espaços e aceitando bem às podas. Embora a copa seja bastante grande, é comum que alguns meses antes da frutificação a planta perca todas as suas folhas, pois é caducifolia. Isso não é um problema, pois brotarão novas folhas brilhantes e levemente ásperas. As flores surgirão em seguida, branco-amareladas e pequeninas. Na primavera chegarão os frutos, pendentes, saborosíssimos quando maduros e muito aptos para compor geléias, bolos, caldas, sucos, sorvetes, licores, xaropes, etc. Na culinária, ainda, os brotos jovens da árvore da amoreira são comestíveis ao serem cozidos. 

A coloração das amoras varia de acordo com a espécie e com a maturação, mas todas elas são ricas em vitamina C, água e frutose (açúcar natural das frutas), ácido málico, pectina, vitaminas B1 e B2, betacaroteno, tanino e ácido linoleico.
As amoreiras também possuem altas propriedades medicinais, que variam de acordo com as partes da planta. 

As folhas agem como analgésicas, antibacterianas, antipiréticas (poder de abaixar febre), anti-inflamatórias e expectorantes, além de serem excelentes reguladoras hormonais (recomenda-se que mulheres prestes à menopausa tomem diariamente uma xícara de chá de folhas de amoreira). As bagas são um tônico para o sangue, laxativo, nutritivo e refrigerante. 

Amoreira-negra A fruta da amoreira, bem como as folhas e as cascas são anti-helmínticas e a casca é anti-inflamatória, catártica, diurética, expectorante e dilatadora bronquial. Os ramos agem como antiespasmódicos, anti-reumáticos e diuréticos.  Popularmente, é feito o gargarejo com o suco de amoras para tratar dores de garganta.

Além de todas essas maravilhas das amoreiras, elas ainda são muito atrativas aos pássaros!
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Kiwi Verde em FolhaKiwi: fruta de mil propriedades, usos e benefícios


O kiwi é uma fruta de polpa verde ou amarela, produzida por algumas plantas da família Actinidiaceae, cuja variedade principal é a Actinidia deliciosa. Sua pele é de tonalidade acastanhada e no interior do fruto estão numerosas sementes pretas.
Seu sabor pode ser mais ou menos ácido, dependendo do nível de maturidade da fruta, e seu gosto é refrescante.
O kiwi é nativo da China, onde fora cultivado há 700 anos.

Propriedades e benefícios do kiwi

 O kiwi é particularmente rico em vitaminas, contém 85 miligramas de vitamina C por 100 gramas. Consumir um kiwi por dia contribui para manter o consumo ideal diário desta vitamina pelo organismo.
O kiwi tem baixo teor de sódio, mas é rico em potássio, um recurso que lhe permite equilibrar os níveis destes importantes minerais na nossa alimentação.

Kiwi Verde em FolhaO kiwi é composto em 84% de água, 9% de carboidratos e o restante são traços de gordura e de proteínas. O kiwi contém cerca de apenas 44 quilocalorias por 100 gramas.

Além da vitamina C, o kiwi contém vitamina E que ajuda a proteger o corpo do envelhecimento dos tecidos, sendo considerado um poderoso antioxidante.
Quanto aos sais minerais, 100 gramas de kiwi fornecem 70 miligramas de fósforo, 25 miligramas de cálcio, 0,5 miligramas de ferro e não mais de 5 gramas de sódio. Kiwis também contêm fibras vegetais úteis para promover o bom funcionamento dos intestinos.

Seu alto teor de potássio (400 miligramas por 100 gramas) faz com que o kiwi seja especialmente recomendado para aqueles que sofrem de pressão arterial elevada, pois a base da hipertensão pode ser um desequilíbrio na relação entre o sódio e o potássio, o que poderia ser reequilibrado com a alimentação.
O kiwi é considerado um alimento benéfico para a proteção do organismo contra o câncer e na proteção do DNA. O kiwi ajuda a proteger o organismo contra doenças por causa do seu elevado teor de vitaminas e minerais. De acordo com um estudo realizado na Universidade de Rutgers, o kiwi é a fruta com maior densidade de nutrientes.
Kiwi Verde em Folha
Apreciar o kiwi pode também ser de ajuda para aqueles que sofrem de asma, uma vez que estudos científicos têm demonstrado sua capacidade de reduzir os sintomas mais típicos, como a tosse noturna e a dificuldade em respirar.
O teor de fibras presente nesta fruta ajuda a diminuir os níveis de colesterol ruim no sangue, bem como a regular a absorção de açúcares no decurso da digestão, enquanto que a sua riqueza de vitamina C é considerada benéfica não só para reforçar o sistema imunitário, mas também para proteger os vasos sanguíneos, melhorar a circulação e reduzir o estresse oxidativo no corpo.

Os diversos usos do kiwi

 Do kiwi podem ser comidos não apenas as sementes e a polpa, mas também a casca, especialmente se de origem orgânica, e depois de ter sido bem lavada.
Os kiwis podem ser utilizados na preparação de geleias e marmeladas, sozinhos ou em combinação com outras frutas.
Também podem ser consumidos em saladas de todos os tipos, sejam salgadas que de frutas.

No café da manhã pode ser consumido juntamente com aveia em flocos, ótimo para desintoxicar já nas primeiras horas do dia, mas também a qualquer hora.
O kiwi também pode ser usado na preparação de bolos, tortas, sorvetes e sacolés.


Com os Kiwis também se pode fazer tratamentos de beleza. Uma máscara facial caseira rápida, pode ser feita esmagando com um garfo a polpa do fruto bem maduro e misturando-a com colher de chá de óleo de amêndoas doces. Passe a mistura no rosto e deixe por 15 minutos e depois enxágue normalmente.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Acerola e seu cultivoA acerola é um dos frutos mais saborosos do mundo!
  
Ela é também conhecida como cereja, em Portugal, e tem uma fama enorme, tanto em Portugal como no Brasil.

Para infelicidade de muitas pessoas esta fruta apenas está disponível cerca de 1 mês por ano, que é quando a aceroleira dá fruto, por volta do mês de Abril até Junho, no máximo.

A sua produção não é muito difícil, mas isso também vai depender do tipo de acerola que escolhermos, pois existem diversos tipos que suportam temperaturas diferentes, solos diferentes, que dão cerejas de tamanho maior, maior resistência.. etc.

A acerola, azerola, cerejeira-do-pará, cerejeira-de-barbados ou cerejeira-das-antilhas (Malpighia emarginata) é um arbusto da família das malpighiáceas. O fruto se dá numa árvore chamada Aceroleira. Tem origem nas Antilhas, América Central e norte da América do Sul.

Fatores que temos de ter em atenção para cultivar acerola 

Acerola e seu cultivoTal como fazemos em todos os artigos do Como Cultivar, vamos apresentar a lista dos fatores mais importantes.

Segue a lista e lê o desenvolvimento de cada ponto, é muito importante para quem quer uma colheita final de sucesso!

Clima;
Ambiente;
Solo;
Espaçamento;
Adubação;
Colheita.
Como plantar Acerola / Cereja

Vamos explicar cada um dos pontos acima, servem para as pessoas que querem colocar apenas uma Cerdeira no nosso quintal ou para quem pretende produzir em massa para vender, por isso esteja atento/a a todos os detalhes.

Clima

Um clima favorável é extremamente importante para uma boa plantação de acerola, por isso terá de ver se tem mesmo um clima que lhe permita a plantação deste fruto.

As temperaturas recomendadas pelos nossos agricultores são de 14ºC a 30ºC, se tiver assim uma temperatura é quase certo que terá uma plantação de cereja de sucesso.

Ambiente

Ambiente húmido, com precipitação distribuída durante o ano e algum sol também é fundamental.

Terá de regar a árvore pelo menos 2 vezes por semana caso não exista chuva, isto porque ela para produzir os melhores frutos terá de estar bem hidratada, e se não existir chuva para o fazer terá de ser você a fazê-lo, mas nada que um bom sistema de rega automático não consiga realizar sem qualquer tipo de trabalho da sua parte.

Uma boa exposição ao sol também é fundamental, principalmente na altura da primavera que é quando as flores começam a nascer!

Ventos não muito fortes… Isto porque caso existam tempestades no local, os ventos fortes vão arrancar toda a flor das suas árvores e não nascem qualquer tipo de cerejas da plantação.

Solo

Acerola e seu cultivoAntes de mais deixe-me referenciar que deve manter o solo minimamente húmido, bem adubado e com poucas obstruções, ou seja, sem ramos partidos, vestígios de outras plantas (principalmente raízes), pedras e/ou outros objetos que entrem em conflito com o crescimento da sua árvore.

Espaçamento

O espaçamento apenas é aplicável caso esteja interessado em plantar a cereja em grande escala. Siga as regras do espaçamento que são de 4,5 Metros de largura Vs 4,5 Metros.

Sendo assim cada árvore deve estar distanciada a pelo menos 4,5M das outras, isto para permitir o bom desenvolvimento sem a obstrução do terreno.

Adubação

A adubação recomendamos fazer uma vez por ano. Poderá fazer na hora que planta a acerola e também entre o mês de Janeiro e Fevereiro.

Um solo adubado também é essencial para a produção desta fruta, seja ela para venda e exportação como para uso pessoal.

Recomendamos que “jogue” também com a polinização, ou seja, planta árvores de diversas espécies diferentes no mesmo local, isto porque as abelhas vão fazer o seu trabalho de polinização, fazendo com que a sua plantação cresça automaticamente e de forma extremamente natural.

Colheita

Caso os frutos sejam para exportar deve-se manter a uma temperatura inferior a -15ºC para que o fruto consiga se aguentar sem apodrecer e sem perder todos os seus nutrientes.

Caso seja para consumo próprio poderá ir tirando à medida que vai comendo, mas lembramos que a cereja apenas está disponível de 1 a 2 meses, por isso caso seja para consumo próprio e não consiga comer todas elas faça a colheita e congele.

Conclusão…

Agora que já sabe como plantar acerola resta-lhe colocar mãos à obra e preparar o seu terreno para a sua própria plantação.

Existem vários plantios de acerola de sucesso e o seu pode ser um deles, basta algum esforço e dedicação às nossas árvores para que elas produzam como nunca pensou!

Um aviso final que gostamos de fazer é relativamente às infestações e pragas, sulfate sempre que possível as árvores, não deixe nenhuma praga lhes pegar caso contrário a sua platinarão será um fracasso.

Qualquer dúvida ou comentário não hesite em deixar abaixo, teremos o maior gosto em lhe responder e com a maior brevidade possível.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Goiabeira Nome científico: Psidium guajava
Esta goiabeira é especial principalmente por conta dos frutos que são mesmo gigantes, podendo pesar em média de 600 a 1200g (embora haja frutos que possam chegar aos 3kg)!
Os produtores de goiaba brasileiros têm adquiro essa cultivar devido a sua alta procura comercial, já que a excelente qualidade e o tempo de conservação natural dos frutos faz com que tenham muita saída como fruta fresca de mesa, atrativa pela polpa suavemente vermelha de sabor doce muito agradável e saborosa, com pouquissimas sementes. Além disso o tamanho dos frutos permite alta rentabilidade nos processamentos industriais.  
Podendo produzir mais de 50 t/ha/ano, a vigorosa árvore deve ser conduzida com podas de formação, tração, limpeza e produção, a fim de facilitar o manejo e a colheita. Deve-se ralear as frutificações, deixando apenas 1 ou 2 frutas por galho para que fiquem maiores. Também é necessário sustentar com escoras ou podas os galhos em produção, deixando-os bem curtos, para que não quebrem devido ao peso dos frutos. 
Recomendamos 1 ou 2 pulverizações para afastar insetos indesejados. Na maturação pode-se fazer a proteção dos frutos com saquinhos de TNT, que são respiráveis, anti-UV, antimofo, antiestáticos, laváveis e reutilizáveis, protegendo contra insetos, lagartas, morcegos e pássaros, além de evitar que os frutos sofram agressões externas como granizos, frio, geada, excesso de sol, poluição e poeira.