Mostrando postagens com marcador verde em folha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador verde em folha. Mostrar todas as postagens

20 de ago de 2017

Expoflora 2017

Expoflora 2017

Expoflora 2017A Expoflora é a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, realizada anualmente em Holambra (junção das palavras Holanda, América e Brasil) para dar as boas-vindas à primavera. O evento não se caracteriza como feira, pois o seu objetivo não é vender, mas, sim, mostrar ao público as flores e plantas ornamentais cultivadas por mais de 400 produtores que atuam em Holambra.
A antiga colônia holandesa, hoje uma cidade que, apesar de contar com pouco mais de 12 mil habitantes, é o maior centro de cultivo e comercialização de flores e plantas ornamentais do país, e responde por cerca de 50% das vendas do setor. Os produtores aproveitam a exposição para lançar novas variedades de flores e plantas, ditar tendências no paisagismo e decoração e para avaliar a sua aceitação pelo consumidor.
A Expoflora tem como atrações a Exposição de Arranjos Florais; a Mostra de Paisagismo; a Parada das Flores e a Chuva de Pétalas; o Shopping das Flores; o passeio turístico por Holambra, que inclui a visita a um campo de flores; as danças típicas e culinária holandesas, além de parque de diversões e visita ao Museu de Holambra.
Serviço:
Localização: Holambra/ SP
Data: 25 de agosto a 24 de setembro de 2017, de sexta a domingo, e também no dia 7 de setembro (Feriado da Independência do Brasil).
Horário: das 9 às 19 horas
Ingressos: R$ 46,00 na bilheteria – Descontos escalonados até 14 de agosto

17 de ago de 2017

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Com o ritmo de crescimento imobiliário, as casas e apartamentos estão ficando cada vez menores. Ter um jardim em casa é o sonho de muitas pessoas, mas num ambiente pequeno pode parecer difícil. 
Para te ajudar a construir um jardim pequeno na sua casa, preparamos algumas dicas super fáceis para você aplicar na sua casa.Se não couber uma planta maior no seu jardim, não insista, invista em plantas menores que são igualmente graciosas. Para que dessa forma seu jardim fique sempre saudável e bem cuidado. Apostar em treliças pode ser a saída para ganhar alguns centímetros de espaço e ter ainda mais vasos e espécies de plantas no seu jardim.
Usar espécies trepadeiras e pequenos vasinhos vão deixar qualquer parede mais bonita além de aumentar as possibilidades de ter mais plantas no seu jardim. Abuse das paredes para construir um jardim vertical ou para instalar uma jardineira com pequenas espécies.
Uma iluminação bacana, pode fazer toda diferença num jardim pequeno. A iluminação pode preencher o ambiente e deixá-lo mais aconchegante. Alguns focos de luz, uma luz amarela e alguns efeitos podem deixar o ambiente mais agradável e valorizado. Você pode reutilizar materiais naturais como madeira e vasos de barro, você pode criar um mundo em miniatura em casa vaso.
Você pode decorar o seu jardim com alguns móveis, para deixar o ambiente mais aconchegante. Móveis confortáveis são ideais, se o jardim ficar com uma parte sem cobertura, é ideal que os móveis sejam resistentes à água. Você pode optar por uma poltrona confortável, futtons e almofadas, mas antes de tudo escolha o estilo que deseja decorar o jardim.


Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar


Pequenos jardins para você criar





Pequenos jardins para você criar

Pequenos jardins para você criar


Pequenos jardins para você criar
Ideia para ter um jardim em casa

Ideia para ter um jardim em casa

Ideia para ter um jardim em casaEm um mundo cada vez mais urbano, onde estar perto da natureza é um privilégio de poucos, ter um pouco de verde em casa pode ser um alívio para as pressões do dia a dia. 

Além disso, a beleza natural pode deixar o décor personalizado e ainda mais charmoso. Neste seleção, mostramos ideias variadas de como incluir plantas para casa de diferentes formas na decoração. Mas, antes de escolher a sua, fique atento às espécies que vivem bem em ambientes fechados.

Ideia para ter um jardim em casa

Ideia para ter um jardim em casa



13 de ago de 2017

Espada de São Jorge barata e resistente

Espada de São Jorge barata e resistente

Espada de São Jorge barata e resistente
Planta é mais barato que sofá, que cadeira e que colcha. E nesse momento turbulento, elas ressurgem como salvação para renovação da casa. 

Sempre que se quer valorizar algo batido, uma receita tiro-e-queda é dar um nome novo. 

Quer ver? Ninguém quer bege. Já nude… Então vou te dar um nome pra começar a usar agora: Sanseveria.

São muitos os nomes da Sanseveria.. 

Os científicos: Sansevieria trifasciata (borda amarela), Sansevieria zeylanica (verde rajada) ou Sansevieria cylindrica (a cillíndrica). Os religiosos: espada-de- são-jorge, espada-de- santa-bárbara, espada-de- ogum (verde) ou espada-de- Oxóssi.

A multiplicidade de apelidos só mostra como a sanseveria é popular. Tanto que muita gente acha que é uma planta brasileira. Não é não! A espada-de-são-jorge é uma planta de origem africana! Vinda no bojo dos navios negreiros, se adaptou muito bem ao Brasil e se espalhou tanto, mas tanto, que todo mundo já viu e conhece, mas não é sequer fácil de encontrar para comprar. Mais fácil ganhar uma muda.

8 de ago de 2017

Como combater  impotência sexual?

Como combater impotência sexual?


Remédios Caseiros para Impotência Sexual

O chá de alecrim, com chapéu de couro e catuaba ou o xarope natural preparado com mel, guaraná e ginseng são alguns exemplos de excelentes remédios caseiros e naturais que podem ser usado para tratar a impotência sexual masculina. Conheça as principais causas e como é feito o tratamento da impotência sexual lendo abaixo.

Este problema surge geralmente em homens entre os 50 e os 80 anos de idade e a ansiedade, depressão ou a perda de libido e de desejo sexual são algumas das causas que levam ao surgimento da impotência. Conheça outras causas em Principais Causas da Impotência Sexual. Na maioria dos casos, o que geralmente acontece é que a ereção não acontece ou se acontece ela não é suficientemente rígida para permitir a penetração e uma relação sexual satisfatória. 

Aprenda a reconhecer se é impotência em Como Identificar se é Impotência Sexual. Assim, alguns remédios naturais incluem: 

1. Chá de alecrim, com Chapéu de couro e Catuaba

Este chá é composto por plantas medicinais com propriedades afrodisíacas, que estimulam e a aumentam a líbido, e pode ser preparado do seguinte modo: 
Ingredientes:
100 gramas de Alecrim;
100 gramas de Chapéu-de-couro;
100 gramas de Catuaba.
5 Remédios Caseiros para Impotência Sexual
Modo de Preparo: 
Faça uma mistura com as ervas secas e prepare o chá usando 20 g da mistura. Para preparar o chá, em uma panela colocar 20 gramas da mistura e adicionar 1 litro de água fervente.
Tampar deixar repousar durante 15 minutos antes de servir. 
Este chá deve ser bebido 4 vezes por dia durante 7 dias, respeitando sempre todas as quantidades referidas pois embora esta seja uma opção natural, estas plantas acabam sempre estimulam o organismo. 

2. Chá com cascas de Marapuama

O chá com Marapuama melhora a circulação sanguínea e aumenta tanto o desejo sexual como a líbido, sendo por isso uma ótima opção para ajudar no tratamento da impotência sexual. Para preparar esse chá vai precisar de:
Ingredientes:
2 colheres de sopa de cascas de Marapuama;
1 litro de água. 

Modo de Preparo: 
Colocar as cascas de Marapuama em uma panela com 1 litro de água e deixar ferver durante 20 minutos.
Passado esse tempo, desligue o fogo, tampe e deixe repousar durante aproximadamente 30 minutos ate amornar e coar antes de servir. 
Este chá deve ser bebido 3 a 4 vezes por dia, todos os dias até querer ou até que sejam verificadas melhoras. 

3. Chá de Tribulus terrestris

Este chá possuí propriedades que aumentam a produção de testosterona, sendo por isso muito utilizado no no tratamento de impotência e além disso aumenta o desejo e apetite sexual. Para preparar este chá precisa de: 
Ingredientes:
2 colheres de chá de folhas secas de Tribulus terrestris;
500 ml de água fervente.
Tribulus Terrestris para aumentar o apetite sexual
Modo de Preparo:
Em uma xícara colocar as folhas secas e adicionar os 500 ml de água fervente, deixando repousar durante 10 minutos.
Coar sempre antes de beber. 
Este chá deve ser bebido 2 vezes por dia, todos os dias até querer ou até que sejam verificadas melhoras.

4. Chá de raízes de Catuaba 

Esta planta medicinal é ótima para aumentar a líbido, melhorando o desempenho sexual masculino. Para preparar esse chá precisa de: 
Ingredientes:
40 gramas de raízes de Catuaba;
750 ml de água. 
Catuaba para melhorar a libido e o desempenho sexual
Modo de Preparo:
Em uma panela coloque a água e quando estiver fervendo adicione as raizes da planta e deixe ferver durante 10 minutos.
Retirar do fogo, tampar e deixar repousar durante 15 minutos, coando sempre antes de beber. 
Este chá deve ser tomado 3 vezes por dia, todos os dias até querer ou até que sinta melhoras. 

5. Xarope caseiro com Mel, Guaraná e Ginseng
Este xarope caseiro possuí propriedades energéticas, estimulantes e fortificantes que ajudam a ter mais disposição durante a relação sexual, além de melhorar a circulação sanguínea o que potencia a ereção pênis. Para preparar este xarope precisa de: 
Ingredientes:
1 xícara e meia de mel de abelhas;
1 colher de guaraná em pó;
1 colher de folhas de hortelã;
1 colher de ginseng em pó.

5 Remédios Caseiros para Impotência Sexual

Modo de Preparo:
Em um recipiente de vidro escurecido com tampa adicione todos os ingredientes e misture bem com uma colher até obter uma mistura homogênea. 
Deve tomar 1 colher de sopa desse xarope todas as manhãs, sempre que quiser ou sentir necessidade. Este xarope é no entanto contraindicado para hipertensos, gestantes, diabéticos e durante o período de amamentação. 

Além das opções naturais referidas, existem Sucos com propriedades afrodisíacas e outras plantas medicinais como a Yohimbe, que podem ser usadas no tratamento deste problema. Conheça outras opções em Chás e Plantas Medicinais para a Impotência Sexual e veja como adequar a alimentação com alimentos afrodisíacos no vídeo a seguir.

A impotência sexual pode ser tratada com remédios como viagra ou Cialis, terapia de reposição com hormônios ou com uso de aparelhos de vácuo, podendo em casos mais graves recomendada a implantação de próteses no pênis. Veja que remédios podem ser receitados pelo médico em Remédio para impotência sexual. Além disso, em alguns casos o aconselhamento com um psicologo ou psiquiatra e a realização de terapia de casal e psicoterapia são também muito importantes, pois ajudam tratar outros problemas, medos e inseguranças que possam existir. 

1 de ago de 2017

Como fazer uma estufa?

Como fazer uma estufa?

Como fazer uma estufa? 
Montar uma estufa não é algo muito dispendioso nem um bicho de sete cabeças. 

Tudo dependerá da finalidade que deseja dar a mesma e do capital para investimento de que se dispõe. Quanto maior o capital a ser aplicado, mais sofisticado poderá ser o projeto: estrutura de alumínio, plásticos e climatizadores. Mas se você quer ter uma estufa para hobby, o projeto pode ser bem mais simples e mais barato. Qualquer espaço pode ser aproveitado para esta finalidade.

Você pode aproveitar um corredor, um muro, um pergolado. Basta colocar um sombrite de setenta por cento ou plástico no teto a uma altura de dois metros e meio e fechar as laterais com o mesmo material. As vigas da estrutura poderão ser de madeira, metalon, concreto, enfim o material que se dispuser a mão.
Como fazer uma estufa?

No teto é recomendado se colocar um travessão a cada metro e meio no sentido vertical e um cabo de aço com extensor a cada metro no sentido horizontal. Isso fará com que a estrutura fique mais firme e dê sustentação ao sombrite ou plástico, evitando-se que se formem as indesejáveis barrigas.

Uma ou mais portas com um metro de largura (mínimo) é ideal, pois poderá passar com um carrinho de mão ou qualquer outro material de manutenção com folga.

As vigas de sustentação devem ser dispostas a cada três metros de distância uma da outra. Já o piso pode ser forrado com uma camada grossa de brita zero.
Bancadas - O tamanho médio de uma bancada deve ser de um metro e meio de largura no máximo (para que você possa alcançar todas as plantas) e o comprimento, de acordo com seu espaço. A altura da bancada deve ser de cerca de no mínimo oitenta centímetros.
Como fazer uma estufa?

Você pode fazer quantas bancadas quiser, não esquecendo de manter um espaço mínimo de um metro e meio para a circulação.

Quanto ao material a ser utilizado nas bancadas estas podem ser de madeira, concreto ou metal, dependendo do que for mais prático e viável. Caso falte espaço, na parte superior, se você colocar algumas hastes atravessadas, poderá pendurar também alguns vasos ou plantas em casca de madeira ou palitos de fibra de coco, embora não seja muito aconselhável, porque os fungos ou vírus das plantas penduradas podem escorrer com a água para as plantas de baixo.
No caso de você dispor somente de uma varanda ou peitoril de uma janela, isto não é motivo para desanimar, muitas pessoas cultivam belas plantas nestas condições.


Como fazer uma estufa?Pode ser que também sua casa seja coberta por laje em vez de telhas. Nesse caso, nada impede que sua estufa seja feita em cima da casa, desde que você crie a umidade necessária. Por exemplo, você pode colocar seixos rolados no piso e deixá-los sempre molhados.

Não vamos nos esquecer das árvores, onde a maioria das epífitas se ambientam muito bem.

Arejamento - Não se deve colocar as plantas muito aglomeradas para que haja arejamento entre elas e consequentemente possa se evitar o contagio de doenças ou parasitas.

Iluminação - Iluminação é essencial. O ideal é manter as plantas sob uma tela Sombrite de 50 a 70%, dependendo da intensidade da insolação local. Assim elas receberão claridade em luz difusa suficiente para realizarem a sua função vital que é a fotossíntese. Se as folhas estiverem com cor verde garrafa, é sinal que estão precisando de mais luz. E se estiverem com uma cor amarelada, estão com excesso de luz.

Temperatura - A maior parte das plantas se adapta bem a temperaturas entre 10º e 40º centigrados. Entretanto, há algumas que suportam temperaturas mais baixas. Assim, é bom observar a variedade da planta que se pretende cultivar para ter certeza que se aclimatará no lugar onde será cultiva. Caso contrário, o cultivo será muito mais trabalhoso, muitas vezes resultando na perda da planta. Felizmente, no Brasil, a variação de temperatura é adequada para milhares de espécies, tudo dependerá da região em que se encontra.

Água e Umidade - A umidade relativa do ar (quantidade de vapor de água existente na atmosfera) nunca deve estar abaixo de 30%, caso contrário, as plantas desidratarão rapidamente. Em dias quentes, a umidade relativa do ar é menor, por isso se faz necessário manter o ambiente úmido, molhando-se não só a planta, mas também o próprio ambiente em que se encontram. Por esse motivo quando se cultiva Bromélias e principalmente Tillandsias em estufas é recomendado se manter um conjunto de climatizadores (no caso de grandes conjuntos de estufas) nas épocas mais quentes ou se fazer uso de aspessores, borrifando as plantas várias vezes ao dia.

Num jardim, com muitas árvores e plantas e solo de terra a umidade relativa é bem maior do que numa área sem plantas com piso de cimento. Um bom conjunto de irrigação também ajuda muito nessas horas mais quentes, devendo-se observar que as plantas devem ser irrigadas e / ou borrifadas sem a incidência dos raios de sol sob as folhas, evitando-se a queima das mesmas sob efeito da lente de aumento proporcionada pelas gotículas de água nas folhas em contraste com os raios solares.

Adubação - Todas as plantas necessitam de alimento, seja ele químico ou orgânico. Quando o fertilizante for líquido, dilua um mililitro (um centímetro cúbico) por litro de água. Uma seringa de injeção é um medidor pratico. Quando for solido, mas solúvel em água, dilua uma colher de chá (um grama) para um litro de água numa frequência quinzenal.

Alerta - No cultivo de Bromélias e Tillandsias todo cuidado com fertilizantes químicos é pouco, pois os exemplares têm alto poder de absorção foliar e principalmente por não haver no Brasil uma formulação ideal especifico para essas espécies (NPK 17-08-22) os fertilizantes químicos quando utilizados devem sê-lo feito com muita parcimônia, utilizando-se tão somente 1/4 da dosagem recomendado pelo fabricante.

Essas soluções, nunca devem ser aplicadas com o sol quente, pois os estômatos (minúsculas válvulas) estão fechados. Faça-o de manhã bem cedo, ou fim da tarde, molhando os dois lados das folhas (a maior concentração de estômatos é na parte de baixo das folhas).

Nas Tillandsias especificamente, deve-se evitar de molhá-las a noite, pois esse ato irá prejudicar a respiração CAM que é realizada à noite (diferentemente das plantas tradicionais). As concentrações de fertilizantes em dosagens menores do que indicado acima ou pelo fabricante nunca é prejudicial.

Ao se diluir o fertilizante químico (um mililitro ou um grama) em dez litros de água ou mais um pouco e com ela borrifar diariamente as plantas, você poderá obter excelentes resultados. Esse ato corresponderá a um tratamento homeopático. Dosagem maiores funcionarão como veneno e poderão até matar as plantas.

Macro Nutrientes - Os adubos vendidos no comércio especificam as siglas NPK (com as respectivas porcentagens) que significam: N (nitrogênio), P (fósforo) e K (potássio), que são macro nutrientes. Mas existe mais três macro nutrientes não citados que são: Mg (magnésio), Ca (cálcio) e S (enxofre). Portanto, os macro nutrientes são seis e não três como são apresentados. Macro nutrientes são aqueles que as plantas necessitam em grande quantidade para crescer equilibradamente.
São chamados de micro nutrientes aqueles que as plantas precisam em menor proporção. A maior parte dos adubos químicos não contem os três últimos macro nutrientes citados acima, mas apenas um ou no máximo dois deles. Isto porque a formulação com todos eles é quimicamente incompatível, ou seja, há uma reação química e um dos sais, que geralmente é o sulfato de cálcio, não se dissolve e acaba se precipitando (o sulfato de cálcio também é adubo, porém solubilidade é de apenas dois gramas por litro e contém os elementos cálcio e enxofre).

Assim, existem no mercado os adubos básicos com NPK e uma outra embalagem com o restante dos sais minerais, que completam os anteriores, para serem aplicados alternadamente (os dois produtos jamais devem ser misturados). Mas poucas pessoas sabem da existência desse segundo produto. Resultado: muitas vezes suas plantas não vão bem, embora se aplique adubo, mas há carência justamente destes nutrientes.

Alternativa - A utilização de fertilizantes químicos importados é uma realidade, mas não são todos que têm poder aquisitivo para bancá-los. Uma boa alternativa é a utilização do Osmocote, que apesar de caro, seu resultado é surpreendente. Trata-se de um fertilizante de liberação lenta (três a quatro meses) em várias formulações. No caso das Bromélias é recomendado o 14-14-14. Os pequenos grãos devem ser espalhados nas bordas dos vasos e os resultados poderão ser observados logo no primeiro mês de uso. Dosagem - De três a sete gramas (aproximadamente uma colher de chá) por litro de substrato. Essa variação (de três a sete gramas) indica que se deve aplicar um pouco mais em plantas de rápido crescimento (flores, folhagens e mudas em geral) e menos para plantas lentas (Orquídeas e Cactos).

Superfertilização - O Osmocote é o fertilizante mais seguro que existe, não há riscos de superfertilização, portanto dosagens maiores podem ser aplicadas sem o perigo de perda da planta.

Adubação Orgânica - A adubação orgânica consiste na utilização tão somente de componentes de origem animal e / ou vegetal, tais como: esterco de gado, esterco de cavalo, urina de vaca, compostos orgânicos, húmus de minhoca. Cama de frango, esterco de galinha e esterco de porco (o esterco de porco não é totalmente digerido no organismo do animal - em média somente 30% é digerido o restante é expelido in natura) devem ser evitados, por serem muito quentes e conseqüentemente poderem ser prejudiciais as plantas.

Urina de Vaca - A urina, além de fornecer nutrientes e substâncias benéficas às plantas, não custa dinheiro, não é marca registrada de empresa, não causa risco à saúde do produtor e é tão, ou mais, fácil de aplicar que muito fertilizante químico ou agrotóxico.

A urina de vaca é um insumo que livra os agricultores da dependência. Na urina de vaca, encontramos vários nutrientes como o nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, ferro, manganês, boro, cobre, zinco, sódio, cloro, cobalto, molibdênio, alumínio (abaixo de 0,1 ppm), os fenóis, que são substâncias que aumentam a resistência das plantas. Também encontramos o ácido a indolacético, que é um hormônio natural de crescimento de plantas. Portanto, o uso da urina de vaca sobre os cultivos tem efeito fertilizante, fortificante (estimulante de crescimento) e também o efeito repelente devido ao cheiro forte.

Como Preparar - A urina deve ser recolhida em um balde e logo após ser envasada em recipiente fechado por no mínimo três dias antes de usar. Em recipientes fechados a urina poderá ser guardada por até um ano.
Como usar Diluir a um por cento (um litro de urina em cem litros de água), fazer pulverizações semanais nas plantas.

Para utilizar no solo ou substrato, junto ao pé da planta, diluir a cinco por cento (cinco litros de urina em cem litros de água). A integração da agricultura com a criação animal na propriedade é de extrema importância, pois além da urina, o esterco pode ser transformado em composto, muito importante para a agricultura orgânica.


31 de jul de 2017

Receita de adubo orgânico

Receita de adubo orgânico

Receita de adubo orgânicoComo se produz adubo orgânico e qual a maneira mais fácil de vendê-lo no mercado?

Maria Aparecida Fiori
Campo Limpo Paulista, SP

São diversos os adubos orgânicos que podem ser produzidos na propriedade como, por exemplo, o composto orgânico, composto de farelos (bokashi) e vermicomposto (húmus de minhoca). O mercado mais rentável e mais fácil em termos de comercialização é o de flores e paisagismo das áreas urbanas e arredores, que tem o húmus de minhoca como o adubo orgânico mais adequado e de maior valor econômico. Para a produção do vermicomposto são necessários canteiros, que podem ser construídos de materiais simples e baratos, como bambus, ou mais sofisticados e de maior custo, como os de alvenaria; resíduos vegetais, incluindo restos de comida, cascas de frutas e hortaliças e de jardinagem, como aparas de gramas, e/ou estercos semi-curtido de bovinos, preferencialmente; e minhocas – a espécie mais utilizada é a vermelha da califórnia. Os resíduos vegetais frescos devem passar por uma pré-compostagem de, pelo menos, 30 dias. A faixa ótima de temperatura e umidade para plena atividade das minhocas é de 15 a 27oC e 80 a 85%. Mais informações podem ser obtidas nas Circulares Técnicas 57 e 29 da Embrapa, disponíveis gratuitamente nos endereços 
Consultora: Ronessa Bartolomeu de Souza, pesquisadora da área de agricultura orgânica da Embrapa Hortaliças, Rod. BR 060, km 9, Brasília/Anapólis, Caixa Postal 218, CEP 70359-970, Brasília, DF, http://www.cnph.embrapa.br

27 de jul de 2017

Como proteger a Amazônia?

Como proteger a Amazônia?

Como proteger a Amazônia?Pergunta rápida: para defender seu bichinho de estimação, do que, exatamente, você precisa?
Em primeiro lugar, penso eu, a gente terá que saber do que ele gosta, né?! Além disso, para que continue bem forte e feliz, será vital conhecer seus alimentos favoritos e, claro, a melhor hora para ele dormir, brincar e fazer pipi.
Bem… Vamos pensar, agora, numa coisa bem maior: ao invés das necessidades do seu animalzinho, o que teríamos de saber para cuidar da Amazônia, essa floresta linda, grandona e cheia de riquezas naturais e minerais, com um montão de bichos, flores e rios?
Nussa! Deve ser difícil, né?!
Segundo dois cientistas brasileiros, o general Guilherme Theóphilo e o professor Wanderley Souza, há mesmo muita coisa por fazer!
Afinal, essa região tão linda do Brasil – mas que também chega a outros oito países da América do Sul – enfrenta um tanto de problemas: desmatamento, narcotráfico, extração, garimpo, imigração e pesca ilegais, tráfico de armas e de animais silvestres, além de zilhões de infrações ambientais.

PODE UMA COISA DESSAS?

Não, não pode, mesmo! Por isso é que nós (alunos, professores, cientistas e todos os outros cidadãos brasileiros) precisamos conhecer a Amazônia, para, então, protegê-la. Não há outra saída!
“A região amazônica tem grande diversidade de condições e possibilidades de respostas. A verdade é que existem várias Amazônias dentro da Amazônia”, conta, bem preocupado, o general Guilherme Theóphilo, que coordena um tantão de pesquisas, justamente, para conhecer melhor as características e as necessidades da floresta.
Com uso de helicópteros, laboratórios etc., centenas de cientistas brasileiros se espalham pela Amazônia para compreendê-la melhor. Triste saber, porém, que todos eles não veem só coisa bonita, não. Sabe o que há por lá, também, além de árvores e peixes?
Lixões! Não dá para acreditar, né?! “Outro problema é a busca das empresas por riquezas minerais como o Nióbio [Que tal procurar algo mais, na web, sobre esse elemento da tabela periódica? Você vai ver que muita gente está atrás dele!]”.

O QUE FAZER, ENTÃO?

Para proteger a Amazônia, em primeiro lugar, é preciso estudar muito o seu “jeitinho” de ser!
Para isso, os cientistas lutam para que mais e mais gente vá estudar a região. Atualmente, além de professores e pesquisadores, há militares por conta, somente, de conhecer as características da floresta.
Além disso, segundo o general Guilherme Theóphilo, é sempre importante responder a uma lista de perguntas importantes: “Como chegar à Amazônia? Como me manter por lá, e por quanto tempo? Outra coisa: como obter águaluz e comunicação?”.
Já segundo o professor Wanderley Souza, não tem como proteger essa floresta linda sem um programa, bem planejadinho, que atraia centenas e centenas de cientistas – que, por sua vez, precisam de se formar em bons cursos e universidades, né?!
“Importante lembrar que a gente também tem que melhorar a infraestrutura básica de laboratórios”, explica Wanderley, antes de dizer que também é preciso de conversar muito (e muito e muito e muito!) sobre o assunto, assim como de trocar ideias e esforços com cientistas de outras dezenas de países.
MAURÍCIO GUILHERME SILVA JR 

25 de jul de 2017

Baunilha  uma orquídea de cheiro

Baunilha uma orquídea de cheiro

Baunilha  uma orquídea de cheiro Nome científico: Vanilla Planifolia

Nativa e abundante do Sul do México, a Baunilha é uma trepadeira que pertencente à família das orquídeas, sendo uma das iguarias mais caras do mundo.
Herbácea e perene, pode ser conduzida naturalmente quando está plantada próxima à árvores (nesse caso consegue se alongar por mais de 20m de altura!) ou por meio de apoios como varais baixos ou esteios iguais aos que são usados para cultivo do maracujá, facilitando a colheita. A essência de baunilha é extraída dos frutos das flores da orquídea da Baunilha, e é do interior da fava que saem os minúsculos grãos que exalam um cheiro perfumado, doce e delicado.
O mais incrível da baunilha é o fato de ser aromatizante e conservante natural, e nesse sentido é largamente usada em sorvetes, chocolates, bebidas e confeitaria. Tem seu lugar também na perfumaria e cosmética em geral, além de possuir propriedades medicinais com valores afrodisíacos, estimulantes e digestivos.

A história da baunilha começou a ser registrada na Europa a partir dos povos Aztecas do México, os quais tinham forte tradição com o chocolate, muitas vezes aromatizado pela baunilha, cujo aroma também era utilizado pelas mulheres em ocasiões de festas e rituais. 
A produção do extrato de baunilha é um processo trabalhoso e de alto custo: a vanilina de extrato natural rende aproximadamente U$4.000 por um único kilo no mercado internacional. Em detrimento disso, a indústria se apropriou da produção artificial dessa essência através de liquores de sulfito, derivados do processamento da polpa de madeira para a fabricação de papel... É claro, então, que o extrato sintético de vanilina fornece apenas a nota sensorial principal do “flavour” (aroma) de baunilha. 
Com uma muda de baunilha no quintal é possível obter naturalmente uma das especiarias mais valiosas do mundo!
Existem orquídeas em todos os biomas pelo mundo - não são plantas de exclusividade das matas tropicais úmidas, também não são plantas exclusivamente epífitas (que vivem penduradas de outras) e sequer são só de clima quente.
Tem orquídea até na Sibéria, imagine só.
Baunilha  uma orquídea de cheiro Mas, as baunilhas de cheiro são das mais antigas, 120 milhões de anos e cerca de 100 espécies; todas Vanilla sp. alguma coisa: no Brasil há uma grande variedade dessas inclusive com endemismo regional e todas, mais ou menos, são bem cheirosas.
  • Vanilla angustipetala (Brasil - São Paulo)
  • Vanilla bahiana (Brasil - Bahia)
  • Vanilla bradei (Brasil - São Paulo)
  • Vanilla carinata (Brasil)
  • Vanilla cristagalli (Norte do Brasil)
  • Vanilla denticulata (Brasil)
  • Vanilla dietschiana (Brasil)
  • Vanilla dubia (Brasil - Minas Gerais)
  • Vanilla dugesii (Brasil)
  • Vanilla edwallii (do Brasil à Argentina)
  • Vanilla gardneri (Brasil)
  • Vanilla lindmaniana (Brasil - Mato Grosso)
  • Vanilla organensis (Brasil - Rio de Janeiro)
  • Vanilla parvifolia (do Sul do Brasil ao Paraguai)
  • Vanilla purusara (Brasil)
  • Vanilla ribeiroi (Brasil - Mato Grosso)
  • Vanilla schwackeana (Brasil - Minas Gerais)
  • Vanilla trigonocarpa (da Costa Rica ao Norte do Brasil)
  • Vanilla uncinata (Norte do Brasil).
Mas, de todas as baunilhas existentes somente 4 cultivares têm boa produtividade e nome no mercado. Os cultivares comercializáveis são resultado de hibridizações e seleções com as espécies Vanilla planifolia, V. tahitiensis, V. odorata e V. pompona, leia aqui em detalhe. E aqui também temos a Vanilla edwallii, nativa do nosso país (mas não só) que também começa a alcançar algum nome comercial.
ora da questão mercadológica, saiba que no cerrado brasileiro já são conhecidas (mas, não ainda catalogadas) mais de 30 espécies de baunilha do cerrado.

QUER PLANTAR SUA BAUNILHA?

Mas, como nosso objetivo não é ensinar você a fazer um cultivo comercial de baunilha então, claro, a recomendação básica é que você tenha em sua casa uma, ou mais, das plantas que são bem adaptadas ao seu clima (mais seco, mais úmido, mais frio, mais quente) pois, a baunilha é planta de sombreado, umas não florescem se não há um longo período de sequia, suas sementes são pouco viáveis, geralmente, e para reproduzí-las o melhor é você ter estacas com 30 a 100 cm de comprimento, saudáveis.
Para se ter uma planta de baunilha é preciso ter espaço, sombreado, para que ela possa crescer. As baunilhas vão se esticando, lançando ramos por donde possam se apoiar, e chegam a atingir os 20 ou 30 metros de comprimento.
Estas são orquídeas cujas raízes devem estar na terra - são terrestres porém, adoram uma subida como boas trepadeiras.As folhagens das baunilhas varia bastante, podendo ser mais escuras, mais claras, mais redondas, mais pontudas, mais duras, mais frágeis, assim como as flores que são grandes, em geral e com cores que vão do amarelo ao verde.
Baunilha  uma orquídea de cheiro Você poderá até ter sua baunilha dentro de casa, sem grandes dificuldades mas, não se esqueça que a polinização delas é feita por insetos diversos então se esses faltarem, faça-a a troca de material genético, gentilmente, à mão, com a ajuda de um pincel fino ou cotonete.

COMO PLANTAR BAUNILHA EM 7 PASSOS 

  1. Escolha a espécie que seja mais adaptada ao clima específico da sua casa
  2. Se for plantar no jardim, escolha um lugar sombreado e faça uma pérgola, caramanchão ou estrutura para amarrar a sua baunilha. Você também a poderá plantar junto de uma árvore, ou muro, mas em todos os casos, deverá orientar para que lado pretende que a planta se estique.
  3. Consiga ramas, estacas, da baunilha que quer plantar - mais compridas são melhores pois possuem mais gemas reprodutivas - enterre uma parte na terra (diretamente ou em vaso) e deixando de 1 a 3 nós sob o solo para enraizar. Retire as folhas desta parte da rama.
  4. A parte da rama que ficar sobre a terra deverá estar com algumas folhas saudáveis e quanto maior for esta mais rapidamente sua baunilheira florescerá
  5. O enraizamento das ramas demora entre 4 a 6 semanas
  6. A planta florescerá após o 2º ano de plantio e até o 4º ano somente.
  7. As raízes da baunilha são bem superficiais, tenha cuidado com elas ao limpar em volta para retirar outras plantas concorrentes.


AS VAGENS DA BAUNILHA

Baunilha  uma orquídea de cheiro
A planta em si, como toda planta, tem sua beleza mas, o verdadeiro charme da baunilheira está nas suas vagens frutíferas. É aí que se esconde o ouro, o aroma e o sabor da baunilha.
A colheita das vagens acontece de 6 a 9 meses após a floração. Para serem usadas, as vagens terão que passar por um processo de maturação  que pode ser por secagem ao sol ou cozimento em água a 65ºC. Mas esta parte, como maturar e usar as vagens da baunilha a gente conversa em outro artigo mais direcionado.

23 de jul de 2017

Jardim de pedras faça o seu

Jardim de pedras faça o seu

Jardim de pedras faça o seuO jardim de pedras dos seus sonhos é mais simples de fazer do que você imagina! Não importa o tamanho do espaço que você tenha. 

Pode ser um cantinho pequeno dentro da sua casa ou um espaço maior, como o quintal o até um jardim já existente, onde você possa adaptar com as nossas dicas! 
Conhecendo o espaço...

O primeiro passo é organizar o jardim conforme o espaço que você tem. Siga as dicas abaixo e depois é só colocar a mão na massa!
Jardim de pedras faça o seu
 - Analise o tamanho do jardim externo ou interno e seus limites;


- Pense sobre os itens que você gostaria de ter no espaço (use sua imaginação!); 

- Planeje a disposição dos elementos que devem estar presentes, como as pedras, vasos, plantas e outros adereços;

- Avalie a combinação entre as pedras e o gramado para deixar o ambiente harmônico.

Jardim de pedras faça o seu 
Dê vida ao jardim!

Veja o passo a passo:

1) Prepare o terreno, remova plantas velhas e deixe o espaço plano. Aparador de grama, pás e tesoura são as ferramentas ideais para utilizar nesta etapa. 
2) Escolha as plantas adequadas para o ambiente disponível, já que há espécies que exigem maior espaço. 

Também é importante levar em consideração as condições de clima do local em que o jardim está. Cactos e suculentas, por exemplo, são mais resistentes ao calor, pois sua capacidade de armazenamento de água é de até 30 dias. 
Jardim de pedras faça o seu3) Para melhor fixação das pedras e redução da manutenção, faça uma camada de areia sobre a terra.

4) Use e abuse da criatividade e faça combinações com diferentes cores de pedras. Ordene-as em formas circulares pelo jardim. Também é possível formar um caminho para passagem. Fica lindo!

5) Observe a disposição das pedras principalmente em dias de chuva. Caso elas afundem ou ocorra separação, basta acrescentar mais pedras. 

Jardim de pedras faça o seuComplemente seu jardim  

Para aproveitar melhor o seu jardim, tenha um espaço para o convívio, com bancos, cadeiras, mesas, vasos e floreiras. Assim o local torna-se um ambiente ideal para relaxar. 

Charme ao seu cantinho

Jardim de pedras faça o seuAproveite também para deixar seu cantinho mais charmoso. Coloque velas, almofadas, aromatizadores, para que este espaço seja muito mais que um jardim, mas um local na sua própria casa que voce possa receber amigos e compartilhar momentos agradáveis.

Fonte:http://www.cec.com.br