Articles by "verde em folha"
Mostrando postagens com marcador verde em folha. Mostrar todas as postagens
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Nim um repelente naturalDe origem indiana, a planta conhecida como Nim (ou neem) ou amargosa – Azadirachta indica – é uma árvore que pode atingir até 20 metros quando adulta e copa com diâmetro de mesmo tamanho. 

É uma planta muito tolerante ao calor e à seca, o que justifica a grande incidência dela nos estados do Nordeste, como o Piauí. Em várias cidades nordestinas, o nim é usado até como paisagismo, integrando canteiros de avenidas e de praças.

As folhas são compostas, com bordos levemente irregulares. As flores, na realidade, inflorescências, são pequenas e pentâmeras (com 5 pétalas), de coloração branca e são polinizadas por abelhas. O fruto é carnoso do tipo drupa (com uma semente), de tamanho pequeno.

APLICAÇÕES DO NIM:

A planta vem sendo usada no meio rural como repelente para insetos diversos, inclusive contra a mosca do chifre, que traz grande incômodo ao gado. Em alguns locais o nim vem sendo empregado também para o controle do carrapato, um aracnídeo.

Além da aplicação veterinária, o nim vendo sem empregado para espantar diversas pragas nas mais variadas lavouras e hortas.
Alguns estudos têm mostrado que a planta também pode contribuir para repelir o Aedes aegypti, vetor de várias doenças ao homem como dengue, chicungunya, febre amarela e zika. Há estudos que comprovam a eficácia do nim como repelente para 418 espécies de pragas.

Nim um repelente naturalNa área médica, a planta é usada no tratamento de doenças do couro cabeludo (neste caso, usa-se um óleo extraído das sementes, que tem ação antifúngica), no combate à diarreia e para o tratamento de vermes intestinais (neste caso, usa-se o suco de suas folhas).

PREPARO DO EXTRATO DE NIM:
Para cada 1 litro de água, usam-se 100 g de folhas (verdes ou secas). Como as folhas são compostas, recomenda-se retirar o eixo central e usar somente os folíolos. Coloca-se tudo em liquidificador e bate. Deixa-se a mistura em repouso por 24 horas.
O produto obtido pode ser pulverizado sobre o cultivo desejado e repetido por mais duas vezes, em intervalos de 7 dias entre uma aplicação e outra.
Nim e a espécie humana:
A principal substância responsável pela toxidade do nim é a azadiractina, muito abundante no fruto e nas folhas.

Trata-se de uma substância que rapidamente sofre degradação em condições de campo, principalmente por ação da luz ultravioleta e queda no pH. Em decorrência disso, a duração da ação de um extrato de nim é de, no máximo, 8 dias.

Estudos mostraram que os produtos à base de nim apresentam baixa toxidade ao homem e aos demais mamíferos.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Chá de moringa para que serve?A moringa é uma planta nativa da Índia e é bastante conhecida por ter grande valor nutricional. Ela também possui diversas propriedades medicinais, o que fazem dela um excelente remédio e é por este motivo que apresentaremos neste artigo o chá extraído de suas folhas.
Como já falamos em outros artigos, a moringa, cujo nome científico é conhecido como Moringa oleifera, é uma planta nativa da Índia e também pode ser encontrada na Ásia, América Central e América do Sul.

MORINGA: TODAS AS PROPRIEDADES MEDICINAIS, OS USOS CULINÁRIOS E COMO PLANTAR
A moringa possui grande quantidade de proteínas, aminoácidos, vitaminas, carotenóides e minerais, fazendo dela um superalimento capaz de erradicar a fome até mesmo nas regiões áridas do deserto africano.

Sobre as propriedades medicinais da moringa, o Dr. Dayan Siebra cita alguns exemplos das ações dessa planta:

Antiespasmódica;
Diurética;
Anti-inflamatória;
Antipirética;
Antiepilética;
Antitumoral;
Antioxidante;
Antidiabética;
Reduz o colesterol ruim;
Combate úlceras e previne hipertensão.

Dr. Dayan também afirma que ela pode ser excelente para ajudar no emagrecimento, pois acelera o metabolismo, principalmente de quem tem Hipotireoidismo subclínico (que não é diagnosticado nos exames). No entanto, segundo ele esses benefícios não são comprovados cientificamente, pois os laboratórios não têm interesse em pesquisar plantas medicinais para usar como medicamento.
Como se não bastasse todos esses benefícios, a moringa tem o poder de purificar a água, através do óleo extraído de suas sementes. A propriedade coagulante do óleo de moringa faz com que sedimentos e bactérias presentes na água se depositem no fundo, tornando a água límpida e potável.

Como fazer o chá de moringa
Existem várias formas de usar a moringa para obter todos os seus benefícios. Dentre elas, a mais comum é através do chá extraído de suas folhas.

Para fazer o chá de moringa, basta colocar:

1 colher de sopa da erva em uma xícara e
acrescentar 200 ml de água quente.
Deixar em infusão por 3 minutos e consumir em seguida, de preferência sem adoçar.
Já o Dr. Dayan Siebra ensina a receita do chá com:

1 e ½ colher sopa das folhas de moringa,
500 ml de água fervente e
1 colher de sopa de mel.
 Adicione as folhas na água fervente, tampe e deixe descansar por 10 minutos.
 Coe e adicione o mel se achar necessário.
Ele explica que o chá dessa planta tem baixa caloria, principalmente se for tomado sem adoçar, favorecendo ainda mais o emagrecimento, se este for o seu objetivo.

Consulte um médico
Aproveite os benefícios da moringa para sua saúde, mas não sem antes conversar com um médico para saber sobre seus efeitos colaterais, pois o uso excessivo da moringa pode prejudicar a absorção de algumas vitaminas.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Plantas têm um "cérebro" que determina o seu crescimentoPesquisadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, descobriram que plantas podem ter um tipo de "cérebro". 

Diferentemente das estruturas avançadas dos animais, essas células atuam como um centro de comando de escolhas, determinando quando ocorre a germinação — o que é fundamental para a manutenção do ciclo de vida das espécies. 

Os cientistas descobriram que as células estão divididas em dois tipos: as que estimulam e as que desestimulam a germinação. Com a ajuda de hormônios elas decidem quando o clima está melhor para que o processo seja iniciado.

 Após essas observações, os especialistas refizeram o experimento com plantas geneticamente modificadas, comprovando o primeiro descobrimento. Entretanto, como é difícil estudar esses seres vivos em tempo real, um modelo matemático foi criado para prever como funcionam as células em diferentes situações. "Nosso trabalho revela uma separação crucial entre os componentes de um centro de tomada de decisões dos vegetais", afirma o Professor George Bassel, líder do estudo, em declaração. 

 O mais curioso é que dois tipos de células são necessários porque elas podem ter "opiniões diferentes" em relação ao clima ao redor delas e, portanto, a planta só germinará quando ambas "concordarem" que chegou o momento: "É como ler a resenha de um crítico quatro vezes ou combinar quatro pontos de vista diferentes antes de decidir ir ao cinema", brinca o biomatemático Iain Johnston.

Fonte: Galileu
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins


Plantas  em qualquer ambienteFalta mais frescor e alegria para a decoração e ornamentação de sua casa ou apartamento? As folhagens e flores podem ser excelente alternativa para quebrar a monotonia que assombra muitos lares. 

Elas conseguem incrementar a decoração, levar referências de natureza ao espaço e, ainda, proporcionar sensação de aconchego maior. Recorrer a plantas na decoração ajuda a criar ambientes mais acolhedores. Mas antes de colocar qualquer planta em casa, é preciso definir o espaço onde ela ficará. Na varanda? Perto de uma janela? Em local onde bate vento? Em ambiente com ar-condicionado? 



Plantas  em qualquer ambiente“Essas informações são fundamentais para adequar o tipo de planta ao lugar. Não adianta colocar uma planta que gosta de sombra em um ambiente onde bate sol, pois ela morrerá rápido, causando frustração nos moradores”, ressalta Laura Lopes, arquiteta e sócia da Arqsol, empresa especializada em arquitetura bioclimática.


Plantas  em qualquer ambienteAs orquídeas são mais indicadas para quem quer colocar mais verde dentro de casa. “Em geral, são flores fáceis de cuidar e se adaptam a diferentes ambientes, além de ser lindas”, justifica. Além da variedade de cores e estilos, essas plantas não demandam muita atenção, nem precisam ser regadas com muita frequência. “Outras opções que seguem essa mesma linha de ‘pouco trabalho’ são as suculentas, bromélias, samambaias e árvore da felicidade ou beijinho, também conhecida como maria-sem-vergonha”, cita Laura Lopes. 



Plantas  em qualquer ambientePorém, essas plantas, apesar do pouco trabalho, exigem atenção exclusiva. “No caso das suculentas, algumas se queimam sob o sol. É importante lembrar de molhar apenas a terra, assim como os cactos que resistem ao sol”, explica a arquiteta. O maior cuidado que se deve ter é em relação aos espinhos dos cactos e ao líquido que sai da planta. “Algumas espécies dão alergia. Então, se há crianças em casa, o cuidado deve ser redobrado”, destaca. 



JARDINS 



Reciclar objetos com ideias do tipo “faça você mesmo” é uma forma criativa de trazer mais personalidade ao espaço. Com a inclusão de plantas nesses ambientes, os resultados são incríveis. Para quem quer inovar e dar um toque moderno e verde dentro lar, os jardins verticais estão dominando o cenário da decoração. Ter um espaço pequeno não é mais uma desculpa, já que essa tendência tem utilização versátil e é ideal tanto em varandas quanto em salas de estar, de jantar, nas cozinhas e até mesmo em ambientes comerciais. As paredes, antes nuas, podem dar lugar a hortas e jardins completos. “As principais vantagens são a beleza e a possibilidade de aproveitar uma área que, talvez, estivesse sem utilidade”, comenta Laura Lopes. 

Plantas  em qualquer ambiente 

De acordo com a arquiteta, os jardins verticais exigem cuidados redobrados, principalmente na questão da irrigação. “A sugestão aqui é escolher suculentas, por exemplo, que são espécies que não precisam de muita água. Agora, se o espaço for muito grande, será necessário sistema de irrigação automática”, aconselha. 


Para fazer um jardim vertical é preciso colocar uma tela para pendurar os vasos ou então colocá-los diretamente na parede, usando cachepôs. Dá para pendurá-los lado a lado, em recipientes separados. Uma dica importante é comprar as plantas já no tamanho adequado e “sempre que uma ficar feia, com folhagem seca, faça a substituição. Assim, será possível manter aquele aspecto bonito, de bem cuidado”, ensina a arquiteta. 


Outra dica para montar um jardim vertical é pensar no movimento, nas cores e nas texturas. “As samambaias, por exemplo, são ótimas para isso. Além de fáceis de cuidar e baratas”, pontua Laura Lopes. Outras opções são chifre-de-veado, ripsális, peperômia, columeia e barba-de-serpente. 



Plantas  em qualquer ambientePensando na comodidade, muitos fazem o uso de flores e plantas artificiais para compor esses jardins. A arquiteta conta que já existem técnicas de preservação dessas flores, que ficam exatamente iguais às frescas e funcionam bem, inclusive para os jardins verticais. Assim, elas ficam sempre bonitas, sem o trabalho de manutenção. “Com relação aos cuidados, não deixá-las expostas à luz solar intensa e direta, porque podem desbotar, e tirar a poeira com um espanador, no mínimo, duas vezes na semana”, orienta. 



LOCAL DE TRABALHO 

Plantas  em qualquer ambiente

Dentro de escritórios, por exemplo, é aconselhável evitar plantas que demandem muito cuidado. É preciso, então, colocar plantas resistentes a ele e que não precisem de muitos cuidados e nem muita irrigação. Esses espaços costumam ter ar-condicionado, o que exige uma atenção a mais na escolha das plantas. “As plantas também não podem ser venenosas e a espécie não pode liberar muito pólen, para não dar alergia nas pessoas que estão no local. Como esses ambientes, geralmente, ficam com janelas fechadas, esse cuidado é muito importante”, finaliza. Plantas  em qualquer ambiente


Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
5 tipos de manjericãoVocê sabia que há entre 50 a 150 espécies diferentes de manjericão? Nem todas são comestíveis, mas algumas dezenas disso tudo são muito apreciadas na culinária.
 5 diferentes tipos de manjericão  do manjericão comum, do miúdo, de um tailandês, do roxo e do italiano!

2-
 Manjericão Comum ou Manjericão alfavaca. É um dos tipos mais fáceis de encontrar aqui no Brasil. A folha tem uma espessura fina e o sabor é de média intensidade. Igualmente delicioso. Este e o italiano são os mais conhecidos para fazer um bom molho pesto.1 – Manjericão Miúdo (creio que também seja chamado de Manjericão Francês). Tem folhas bem pequenas e delicadas flores brancas. Um sabor suave e delicioso. Eu fiquei com a língua levemente dormente depois de comer algumas folhinhas cruas.
5 tipos de manjericão
4-
 Manjericão roxo. Suave e com fraco aroma. Ótimo para usar na decoração de pratos, já que a tonalidade arroxeada dá uma graça extra.3 –Manjericão Thai SweetDe origem tailandesa, esse manjericão é intenso, com característico sabor e odor de anis. Refrescante, folhas mais carnudas que o manjericão comum. Floresce relativamente cedo, lindas flores roxas com branco. Comprei as sementes no Rare Seeds e todas germinaram super bem no RS.
5 tipos de manjericão5- Manjericão italiano. Odor intenso, folhas de espessuras mais grossa que o comum e curvadas. Levemente amargo quando cru e com leve sabor de cravo.

Bom, essa é minha análise superficial e os considerando somente quando crus. E estou ansiosa para plantar as outras variedades de sementes que tenho aqui: um outro tailandês, um com sabor de limão e o outro chamado manjericão toscano.

5 tipos de manjericão Dicas rápidas de como plantar Manjericão

Todos os tipos de manjericão requerem um clima moderado a quente para ser produtivo. Acima de 18°C é o ideal. Eu sempre planto os meus primeiro em sementeira e transplanto quando atinge uma altura de uns 10 cm a 15cm.  Sol é essencial, pelo menos algumas horas por dia e o restante do dia com uma boa luminosidade. As flores são comestíveis (mas é bom tirá-las do talo para ficarem mais saborosas). Pode-se fazer mudas por estaquia, cortando um ramo de uns 15 cm de uma planta saudável, removendo as folhas da base e deixando em água por alguns dias para enraizar.
Dizem que tomates se beneficiam quando são plantados próximos a manjericões. Outras plantas companheiras para o manjericão são o orégano e pimentas ou pimentões.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Oito temperos de fácil cultivoOito temperos de fácil cultivo e manutenção para plantar em casa.

Cansado de ir à feira ou ao mercado sempre que precisa de uma pitada de salsa, orégano ou de alecrim? 

Uma ótima alternativa é criar em sua casa ou apartamento uma pequena horta de temperos, pode ser até mesmo em vasos. 

De cultivo e manutenção fácil, algumas plantas podem ser colhidas em até 30 dias depois do plantio. A revista Globo Rural fez uma lista com 8 temperos fáceis de cuidar para você plantar em casa. 

Confira: 
1. Manjericão
Usado, principalmente, em molhos para massas e carnes, e no tempero de omelete, frango e salada, o manjericão precisa ser cultivado em lugares com temperatura superior a 18°C. Em regiões em que o clima quente predomina, pode ser cultivado o ano todo. Além da temperatura, o manjericão precisa ser plantado em lugar com alta luminosidade, onde fique exposto a, pelo menos, 3 horas de sol por dia. O solo em que a muda for plantada deve receber irrigação diária e moderada. 
O manjericão pode ser colhido entre 60 e 90 dias após o plantio. 

2. Alecrim 

Ideal no tempero de diferentes tipos de carnes, o cultivo do alecrim é recomendado para quem não tem tanto tempo para se dedicar à horta, já que pode passar até três dias sem ser regado. Logo que é plantado, porém, recomenda-se que o solo seja regado com frequência. Quando está desenvolvido, deve-se diminuir a frequência para que o solo fique levemente seco. Além disso, o alecrim se adapta a diferentes temperaturas, desde que não beirem extremos. 

O alecrim pode ser colhido em cerca de 90 dias após o plantio. 

3. Salsa 

Frequentemente usada para ressaltar o sabor de alimentos como sopas, saladas, omeletes, suflês e carnes, a salsa precisa ser plantada em lugar com clima ameno, que não ultrapasse os 22°C, ou pode florescer precocemente. A planta precisa de luz solar, mas é preciso evitar os horários mais quentes do dia. Uma dica é deixá-la em local com sombra parcial, que permita que ela absorva a luminosidade, sem ficar exposta a altas temperaturas. O solo em que a salsa está plantada deve estar sempre úmido, sem ficar encharcado. 

A salsa pode ser colhida quando a planta tem entre 12 centímetros e 16 centímetros de altura, o que acontece entre 60 e 90 dias após o plantio. 

4. Tomilho 

Utilizado bastante em molhos e em carnes cozidas, o tomilho é uma planta extremamente adaptável, podendo ser cultivada em locais com temperaturas entre 4°C e 28°C. É recomendado que seja irrigado a cada dois dias, porque quanto menor a umidade do vaso em que está plantado, melhor o aroma do tomilho. A muda necessita de alta luminosidade, precisando de luz solar direta por, pelo menos, 5 horas diárias. 

O tomilho pode ser colhido entre 60 e 90 dias após o plantio, quando a planta está em pleno florescimento. 

5. Orégano 

Popularmente conhecido por ser usado em pizzas, o orégano também é bastante utilizado em molhos e assados. O ideal é que a planta fique em um local com temperatura entre 21°C e 25°C, mas o orégano é bem adaptável, sobrevivendo a temperaturas mais altas ou bem mais baixas. É recomendado que o solo não fique seco por muito tempo nem muito úmido. O orégano precisa receber, pelo menos, 4 horas diárias de luz solar direta e, quanto mais luz solar receber, mais aromáticas crescerão as folhas. 

O orégano pode ser colhido quando a planta atingir cerca de 20 centímetros de altura. 

6. Hortelã 

Tradicional na culinária árabe, a hortelã também é usada na decoração de pratos, no tempero de assados e grelhados e no preparo de chás. Como tem raiz muito profunda, recomenda-se que seja plantada isolada em um vaso, para que não atrapalhe o desenvolvimento das plantas vizinhas. Deve ser plantada em local de temperatura amena e bem protegido do vento, que impede seu crescimento. O ideal é que o solo em que a hortelã está plantada esteja sempre úmido e nunca fique seco durante o desenvolvimento. 

O melhor momento para colher é hortelã é quando está florescendo, momento em que o sabor e o aroma estão mais intensos. 

7. Pimenta 

Com sabor picante, a pimenta é bastante utilizada em molhos, temperos e conservas, além de acompanhamento durante a refeição. Assim como a hortelã, deve ser plantada em vaso isolado, já que precisa de bastante espaço para se desenvolver. As pimentas devem ser plantadas em local que não ultrapasse os 34°C. É preciso ficar atento às particularidades de algumas espécies. Algumas pimentas, como a Jalapeño, precisam ser cultivadas em climas mais úmidos; outras, como a Habanero, preferem climas completamente secos. Independentemente da espécie, as pimentas se desenvolvem melhor em ambientes muito bem iluminados. 

A colheita da pimenta varia entre 80 e 150 dias após o início do cultivo. 

8. Sálvia 

Usada para temperar carnes gordurosas e para decorar pratos, a sálvia cresce melhor em temperaturas amenas ou mais baixas. Diariamente, é preciso que a planta seja exposta à luz solar por, pelo menos, 2 horas. O solo deve ser mantido úmido durante todo o cultivo. Se a sálvia estiver plantada em local de temperatura mais baixa, a umidade deve ser mais branda. 

A colheita da sálvia pode ser feita entre 90 e 120 dias após o plantio, quando as plantas estão bem desenvolvidas. Fonte: Revista Globo Rural 
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Múltiplos uso do alecrimO alecrim é uma erva de origem mediterrânica com diversas propriedades que trazem benefícios para a nossa saúde, para a nossa pele, cabelo, promove relaxamento, alivia dores, é utilizado como tempero na culinária, perfuma o ambiente e muito mais. Conheça no artigo as principais utilidades do alecrim e veja como é vantajoso ter essa plantinha em casa.

ALECRIM COMO REMÉDIO NATURAL

O chá de alecrim é um excelente remédio natural. Ele é eficiente no combate ao reumatismo, depressão, má circulação, má digestão, gases intestinais, insônia, dores de cabeça, sintomas da TPM, combate o cansaço, alivia os sintomas da gripe e resfriado e de outras doenças respiratórias. Melhora também a circulação sanguínea sendo um aliado para tratar da pressão alta, ajuda a prevenir problemas cardíacos, acalma as dores musculares, estimula a concentração e combate o stress.

Como utilizar: Para usufruir de todos os benefícios, sugerimos o consumo de 2 a 4 xícaras desse chá por dia. Ferva ½ litro de água, acrescente um ramo de alecrim e abafe por 15 minutos. Depois é só tomar, de preferência sem adoçar.
Precauções: O Chá não deve ser ingerido em excesso, não ultrapasse as 4 xícaras diárias. Não é recomendado para pessoas que sofram de nefrite, gastroenterite, com histórico de epilepsia e convulsão. As grávidas e menores de 12 anos também não devem consumir este chá.

ALECRIM PARA TRATAR DO CABELO E DO COURO CABELUDO

É um poderoso fortificante para o couro cabeludo, previne a caspa, o envelhecimento precoce dos fios e a degeneração do folículo capilar. Ele ainda fortalece os fios e, por ser rico em antioxidantes, combate os radicais livres evitando a queda e as caspas.
Como utilizar: Faça um chá bem concentrado, se quiser um efeito mais poderoso, coloque também 5 gotinhas de óleo essencial de hortelã no seu chá. Pegue 50 ml do chá de hortelã e passe no couro cabeludo, massageando bem com as pontas dos dedos. Deixe agir por meia hora e depois lave o cabelo como de costume. Repita esse procedimento 3 vezes na semana.

ALECRIM PARA TRATAR DA PELE

Essa erva também é poderoso para tratar da pele, são inúmeros os benefícios que essa erva tem para deixar sua pele saudável. Ele é refrescante, anti-inflamatório, antisséptico, antiacne, tem ação analgésica, estimula a circulação e é ideal para peles mistas e oleosas.

Como utilizar: Faça um chá bem concentrado, utilizando cerca de 50 ml de água. Com um algodão, espalhe o alecrim em todo o seu rosto limpo, especialmente nas áreas mais afetadas pela acne. O alecrim ajuda a retirar a vermelhidão da espinha e previne o aparecimento de outras.  Em seguida, lave o rosto com água fria para fechar os poros. Se restar, você pode guardar o chá de alecrim em um vidro escuro, ao abrigo da luz, por alguns dias. Utilize-o diariamente.

ALECRIM COMO TEMPERO

O alecrim é delicioso como tempero. Você pode utilizá-lo no preparo de carnes assadas, de sopas, de molhos, para temperar queijos e como a sua imaginação mandar. Você encontra a versão desidratada em qualquer supermercado, mas o alecrim fresco é mais saboroso e muito mais nutritivo que o desidratado, por isso vale a pena ter a plantinha em casa ou comprar os ramos frescos.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Cóleus beleza e variedades
Suas cores e a facilidade de cultivo a tornam uma apreciada planta ornamental, que pode ser cultivada em jardins ou em vasos grandes.
 Suas inflorescências ocorrem em espigas terminais, e são geralmente roxo-azuladas mas são muitas vezes eliminadas assim que surgem para que a folhagem permaneça compacta e exuberante.

Nome científico:

Plectranthus scutellarioides ou Solenostemon scutellarioides. Anteriormente conhecida como Coleus blumei .

Origem:

Sul da Ásia e Malásia.
Nome Científico: Solenostemon scutellarioides
Nomes Populares: Cóleus, Coração-magoado
Família: Lamiaceae

Categoria: Folhagens, Forrações à Meia Sombra, Forrações ao Sol Pleno
Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Indonésia, Java, Malásia
Altura: 0.1 a 0.3 metros, 0.3 a 0.4 metros


Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno

Ciclo de Vida: Perene

Cóleus beleza e variedades O cóleus é uma planta herbácea muito apreciada pelo colorido de suas folhas. Ela originou-se da hibridização entre espécies do gênero Solenostemon, como S. laciniatus e S. bicolor e atualmente conta com numerosas cultivares. Suas folhas são grandes, macias e podem apresentar diversas cores e combinações entre amarelo, vermelho, rosa, roxo, verde e marrom. É interessante observar que as cores das folhas podem formar degradeés ou contrastar bruscamente. As flores azuladas surgem em inflorescências do tipo espiga, acima da folhagem, em qualquer época do ano e têm importância ornamental secundária. O cóleus, também chamado de cóleu e coleus-de-java, é uma planta arbustiva perene que geralmente atinge de 40 cm a 1 m de altura, embora algumas vezes possa chegar a atingir até 2 m de altura. Suas folhas variam bastante na forma, cor e tamanho, podendo ser variegadas ou uniformes.
Cóleus beleza e variedades
As cores vivas desta vistosa folhagem podem ser aproveitadas em diversos ambientes. No jardim, ela poderá formar maciços ou conjuntos, além de bordaduras junto a muros. 

Em pátios e varandas, ou em uma janela bem iluminada, o cóleus será uma espécie muito decorativa, podendo ser plantado em vasos ou jardineiras. Em climas quentes, é possível desfrutar de sua beleza colorida o ano todo. É uma planta de baixa manutenção, não exigindo podas e tolerando um pouco a estiagem. Atinge cerca de 40 a 90 cm de altura, de acordo com a variedade.
Cóleus beleza e variedades
Deve ser cultivada sob pleno sol ou meia sombra, em substrato bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Adubações a cada 15 dias são suficientes para que a planta cresça bonita. Apesar de perene, o cóleus deve ser replantado bienalmente, pois perde a beleza com a idade. Planta tipicamente tropical, que pode ser conduzida em clima temperado, requerindo estufa no inverno. Não tolerante a geadas. Multiplica-se por sementes e estacas de caule e ponteiros.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Flores que suportam bem o verão
 Estamos chegando na estação mais quente do ano. Amada por uns, nem tão amada por outros, uma coisa é fato: verão é estação de alegria e claro, de cores.

     A beleza do jardim durante essa época do ano pode ser totalmente evidenciada pela harmonia de elementos e espécies que fazem essa parte florida da casa vibrar.
     Além de mais fresco e colorido, o jardim fica deslumbrante e pode proporcionar momentos de descontração e relaxamento. Afinal, tem coisa mais gostosa que sentar no jardim pra ler um livro, escutar uma música ou apenas admirar a paisagem?
Flores que suportam bem o verão     Selecionamos algumas flores de verão para ajudar você na missão de colorir tudo por aí!

1. Dálias

     Pertencente à família Asteraceae, as dálias são fenomenais e fazem muito sucesso. Não é pra menos, são lindas e super coloridas.
     Elas são herbáceas de porte médio, perene e na idade adulta podem atingir até 1,50 m.
     São perfeitas para a estação quente e em diversas formas e cores são as queridinhas de muitos jardins.
    
Flores que suportam bem o verão

2. Lírios de dia

     Essas herbáceas perenes com rizoma, são muito conhecidas por desabrocharem de manhã e fecharem-se durante a noite.
     Curiosamente, apesar do nome que recebem não são lírios verdadeiros.
     Elas apresentam uma extensa variedade de formas e flores e são plantas super populares.
     Vistosas, trazem alegria e beleza ao jardim. Uma ótima opção para deixar tudo ainda mais colorido.
Flores que suportam bem o verão

3. Vincas

     Muito rústica, pouco exigente e de baixa manutenção, as vincas são ótimas para essa estação.
     Suas flores são delicadas e bem simples, com um centro de tonalidade mais forte.
     São muitas as variedades de vinca. Há flores com pétalas largas ou estreitas, nas cores roxa, vermelha, branca, e com o centro róseo ou branco.
     A espécie precisa ser cultivada em ambientes com altas temperaturas e sua plantação exige um solo muito fértil.
Flores que suportam bem o verão

4. Coleus

     Essa é mais uma herbácea muito utilizada na decoração de jardins ou pérgolas.
     Eles são conhecidos por serem bem grandes, macios e com diversas combinações de cores. Entre elas, amarelo, vermelho, roxo, verde, rosa e castanho.
     Maravilhosas e apaixonantes, são plantas tropicais que se dão muito bem com temperaturas altas. Justamente por isso são ideais para o verão.
   
Flores que suportam bem o verão

5. Gerânio

     Da família Geraniaceae, gerânio é uma planta que permanece em constante florescimento desde a primavera até ao outono e isso garante que seu jardim esteja sempre exuberante em cores durante o verão.
     Graciosa e com um aspecto delicado, essa planta tão especial já foi eleita em 2008 como perene do ano, pela Associação de Plantas Perenes.
     É uma espécie muito popular nas regiões temperadas e montanhosas.
Flores que suportam bem o verão

6. Flor de chagas

     Conhecida por suas flores e pétalas serem comestíveis, a flor de chagas também é uma queridinha da estação.
     A espécie apresenta um sabor apimentado e florescem muito bem durante o verão, mas não resistem às temperaturas extremas.
     Apresenta uma vasta variedade de cores, como o cor-de-rosa, verde, laranja e amarelo.
     A flor de chagas também é conhecida como flor de sangue, agrião do México, Capuchinha, Nastúrio, entre outros nomes.
Flores que suportam bem o verão

7. Zínias

     Essas fofinhas são da família Asteraceae e destacam-se pelo comprimento do caule.
     Uma espécie que adapta-se muito bem as altas temperaturas, elas colorem o jardim com muito charme e intensidade.
     Gostam de solo rico em húmus e são super elegantes.
     Fazem sucesso na ornamentação de jardins.
     Confira um conteúdo específico sobre o cultivo de zínias aqui do blog, clicando aqui.
Flores que suportam bem o verão

8. Flor de cone

     Essa perene duradoura retorna todos os anos para colorir e dar brilho ao jardim, sempre durante o verão.
     Muito tolerante à seca e de baixa manutenção ela se destaca como planta da estação e faz muito sucesso.
     As flores de cone apresentam uma grande variedade de cores como o cor-de-rosa, laranja, amarelo e branco.
     Essas opções fazem com que a decoração do seu jardim seja deslumbrante e um verdadeiro mosaico natural.
Flores que suportam bem o verão
     Gostou de conhecer algumas espécies perfeitas para colorir seu jardim durante o verão? 
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Novo Código Florestal pode aumentar o desmatamento na Amazônia
Amazônia - Um estudo apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de São Paulo afirma que até 15 milhões de hectares de Floresta Amazônica podem perder a proteção legal por causa do novo Código Florestal. 

A área estimada é aproximadamente do tamanho do estado do Ceará.

O artigo, publicado nesta semana em uma revista científica estrangeira, é escrito por pesquisadores brasileiros e suecos. O estudo considera o novo Código Florestal, aprovado em 2012, para fazer a estimativa.Se o estado tiver mais de 65% dos territórios protegidos por unidades de conservação ou demarcações indígenas, os proprietários privados passam a poder desmatar até 50% das terras. Esse percentual antes era de 20%.

Pelos cálculos dos pesquisadores, se o artigo for implementado, de 7 a 15 milhões de hectares ficam desprotegidos e podem ser desmatados legalmente. A estimativa varia porque existem terras públicas ainda sem destinação específica. 

Caso essas áreas sejam protegidas, elas permitirão um maior desmatamento de terras privadas.Segundo o pesquisador da USP, Gerd Sparovek, a nova lei cria uma condição contraditória. Ao criar unidades de conservação, permite-se a expansão do desmatamento.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Planta dormideira tem memóriaPlanta dormideira ‘aprende’ e tem ‘memória’, afirma estudo

Biólogos demonstraram que a espécie 'Mimosa pudica', conhecida como dormideira ou não-me-toques, é capaz de responder a estímulos de aprendizado.
Conversar com plantas pode não ser em vão. Segundo biólogos da University of Western Australia, uma espécie vegetal não só tem ‘memória’, como se lembra do que aconteceu durante um longo tempo. O estudo, publicado na edição de janeiro da revista Oecologia, demonstra como as plantas são capazes de aprender e de recordar o aprendizado semanas depois.

CONHEÇA A PESQUISA


Onde foi divulgada: revista Oecologia

Quem fez: Monica Gagliano, Michael Renton, Martial Depczynski e Stefano Mancuso

Instituição: University of Western Australia

Resultado: Os pesquisadores descobriram que as plantas são capazes de aprender e de se lembrar do aprendizado por longos períodos.

Para provar essa tese, a bióloga Monica Gagliano e outros três cientistas usaram a espécie Mimosa pudica, originária das américas Central e do Sul e conhecida no Brasil pelo nome de não-me-toques ou dormideira. Quando tocadas, suas folhas se fecham rapidamente, uma estratégia natural de defesa contra predadores. A equipe criou um mecanismo para submeter as plantas a choques que não ofereciam ameaça a sua integridade. Suspensas sobre uma base de espuma, os vasos de dormideira caíam de uma altura de 15 centímetros, deslizando sobre um trilho. O objetivo era descobrir se as folhas poderiam ser treinadas a ignorar o estímulo – lembrando-se de que a queda não oferecia risco algum.
No primeiro choque, as dormideiras fechavam suas folhas e repetiam o gesto em uma mesma queda oito horas depois. Os biólogos então submeteram um grupo de 56 plantas a uma série de 60 quedas, distantes poucos segundos entre elas, repetidas sete vezes em um dia. As folhas habituaram-se ao estímulo, mantendo-as abertas depois de quatro ou seis quedas. Para checar se as folhas não estariam apenas em estado de fadiga, os cientistas um experimentaram um tipo de choque diferente. As folhas se fecharam.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Bromélias do  gênero neoregeliaAs Bromélias se caracterizam por serem flores muito bonitas e resistentes, alem de serem muito fáceis de serem cultivadas. 

Além disso, as Bromélias possuem a vantagem de não atrair os malfadados mosquitos transmissores da dengue. As bromélias estão distribuídas nas regiões tropicais do planeta, com exceção de uma espécie que é nativa do continente africano. As bromélias podem ser encontradas por todo o continente americano: desde os Estados Unidos, passando pela América Central e pela América do Sul. As Bromélias estão divididas em 60 (sessenta) gêneros e em torno de 3.000 (três mil) espécies.

No Brasil, existem Bromélias sendo cultivadas por todas as regiões, pois em vários lugares o clima e as condições são favoráveis para o cultivo das Bromélias, sendo essas espécies vegetais sendo encontradas com muita facilidade na mata atlântica, sendo presente cerca de 40 (quarenta) gêneros e 1.200 (mil e duzentas) espécies. Uma das curiosidades das Bromélias é que essas plantas só florescem somente uma vez quando se encontram em seu estado adulto, depois geram filhotes para encerrar o seu ciclo de vida. A grande maioria das Bromélias são espécies vegetais epífitas que vivem apoiadas em outras plantas, principalmente nas florestas tropicais.

O Gênero Neoregelia de Bromélias

Esse gênero é nativo do Brasil, e se caracteriza por não apresentar caule e ser uma planta rizomatosa, isto é, possui rizomas que são uma espécie de caule subterrâneo que tem como função armazenar nutrientes para o sustento e desenvolvimento da espécie vegetal embaixo do solo. As Bromélias que fazem parte do gênero Neoregelia possuem rosetas bem abertas, que apresentam até 40 (quarenta) centímetros de diâmetro. As folhas das espécies vegetais que pertencem a este gênero, podem ser largas e estreitas, mudando de acordo com a espécie de Bromélia. As folhas das Bromélias do gênero Neoregelia são duras e possuem aspecto coriáceo (lembram o couro), e apresentam espinhos em suas margens. As folhas podem ser encontradas na coloração verde. As inflorescências deste gênero de Bromélia são representadas pela mudança das folhas que ficam dentro da roseta, as chamadas brácteas, e de uma maneira geral apresentam coloração vermelha, com o objetivo de proteger as discretas flores brancas que são formadas. Essa combinação acaba compondo um conjunto bastante decorativo e ornamental, o que acaba ajudando o uso ornamental dessa espécie vegetal.

As Principais Características das Bromélias do Gênero Neoregelia

Bromélias do  gênero neoregeliaAs Bromélias pertencentes ao gênero Neoregelia se caracterizam por serem plantas epífitas, isto é, são plantas que vivem sobre outras plantas, fazendo das espécies vegetais uma espécie de apoio para conseguir melhores condições de sobrevivência (nutrientes, ventilação, luminosidade e etc.). Apesar dessas Bromélias viverem sobre outras plantas elas não se caracterizam como seres parasitas, pois elas não roubam os nutrientes da espécie vegetal em que se apoiam. As Bromélias deste gênero também são bastante encontradas vivendo nas fendas das pedras. As Bromélias que pertencem ao gênero Neoregelia possuem uma excelente capacidade de retenção de líquidos, fazendo com que a água seja retida na parte chamada de copo central, que se forma conforme a disposição das rosetas das folhas das bromélias deste gênero. As folhas das Bromélias que compõem este gênero se caracterizam por serem dura e apresentarem grande brilho, podendo ter a sua coloração modificada conforme as condições de luminosidade (maior ou menor quantidade de luz) e durante a época da floração, como uma maneira de realizar a atração dos agentes polinizadores destas Bromélias.
Bromélias do  gênero neoregelia

Na grande maioria das vezes em que as folhas mudam de cor, elas passam a apresentar coloração vermelha e algo próximo as suas demais tonalidades. As folhas podem ter variegações (áreas com cores diferentes), com a presença de listras e de pequenas manchas que lembram salpicos. As flores desse gênero de Bromélias são de tamanho pequeno, e geralmente possuem cor branca, azul, púrpura e rosa. Depois que acontece a floração, as Bromélias do gênero Neoregelia costumam emitir brotações em suas laterais, das quais irão surgir novas espécies vegetais. As bromélias que compõem este gênero, devem ser cultivadas fazendo a aplicação de substrato apropriado para as plantas epífitas, como por exemplo: a areia, a casca e a fibra de coco e outros tipos de substratos. É interessante que o substrato seja mantido úmido para o bom desenvolvimento da espécie vegetal cultivada. O substrato aplicado para o cultivo das Bromélias deste gênero não precisam ser ricos em nutrientes. A luminosidade é outro fator importante para o bom desenvolvimento das Bromélias deste gênero, que podem ser cultivadas recebendo incidência de luz solar direta nos momentos em que esta for menos quente e mais amena (os melhores horários são pela manha cedo e no final da tarde). No restante do dia, as bromélias devem ser cultivadas a meia sombra.

A Multiplicação das Bromélias do gênero neoregelia

As bromélias pertencentes ao gênero Neoregelia se propagam de 03 (três) maneiras: dispersão das sementes, por divisão dos rizomas e pela separação dos brotos laterais. A multiplicação por dispersão das sementes é bastante comum, e consiste em espalhar as sementes geradas pelas bromélias pertencentes a este gênero, em locais apropriados para o cultivo, de forma que as sementes germinem e brotem uma nova planta. A multiplicação por divisão por rizomas, consiste em dividir o rizoma da Bromélia que pertence ao gênero Neoregelia em pequenas partes, de forma que estas partes possuam ramos, folhas e raízes. Esse pedaços serão colocados em novas covas para germinarem e gerarem uma nova bromélia. A multiplicação por separação dos brotos laterais consiste em fazer a retirada das brotações laterais que surgem nas bromélias, e colocar as mesmas em locais apropriados para o cultivo de forma que estas brotações consigam gerar novas plantas. Esses brotos devem ser retirados da planta mãe quando atingirem o tamanho aproximado de 2/3 da Bromélia original.

A utilização das Bromélias do gênero neoregelia

Bromélias do  gênero neoregeliaBromélias do  gênero neoregeliaAs espécies vegetais que pertencem a esse gênero de Bromélias são muito utilizadas pelos paisagistas e decoradores de ambientes, podendo ser usadas no jardins, em espaços abertos e com bastante sol. Quando as Bromélias do gênero Neoregelia são cultivadas nessas condições climáticas (local aberto e expostas ao sol pleno), as suas folhas passam a apresentar uma cor verde amarelada, o que acaba deixando as plantas mais bonitas e com suas características decorativas realçadas. Essas espécies vegetais podem ser utilizadas na composição de jardins suspensos, na composição de jardins verticais e podem ser cultivadas em vasos, jardineiras e cestas suspensas.