Articles by "plantas decorativas"
Mostrando postagens com marcador plantas decorativas. Mostrar todas as postagens
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Conheça todas as  características do bambu mossô
O bambu mosso ou mossô (Phyllostachys edulis) é uma das espécies mais conhecidas de bambu. 

Essa é uma planta de clima temperado com grande incidência na China, além de ser a mais utilizada em diversas cadeias produtivas no mundo inteiro como no setor de acabamentos, pisos, forros além de carvão e tecidos.

Seu plantio pode ser feito em lugares com os mais variados climas, o que o torna uma matéria-prima muito versátil. O bambu mosso é ideal para fins decorativos, para se transformar em uma fonte futura de madeira e até mesmo para a contenção de erosão com bambu.

Continue lendo e saiba de todas as características do bambu mosso, bem como os cuidados que devem ser tomados em seu plantio!

Características do Bambu Mosso

O nome bambu mosso não é por acaso. Ele é conhecido assim devido à forma com a qual ele é conhecido em japonês, que por sua vez derivou do nome em chinês, “Mao Zhu”, que significa bambu peludo. A função dos pelos desse bambu é a de proteger contra o ataque de insetos.

As folhas e as hastes dessa espécie de bambu são bem verdes, o que é uma característica bem marcante. Sua altura, quando adulto, é de no, mínimo, 15 metros, embora possa alcançar até 25 metros.

O diâmetro das varas de bambu mosso varia de 12 a 15 cm. Embora seja uma espécie originária da China, seu plantio pode ser feito em países e regiões com os mais variados climas, já que a temperatura mínima suportada pela espécie é de -19 ºC.

A reprodução desse bambu pode ocorrer tanto de modo sexuado quanto assexuado, embora este seja o mais comum. Sua ocorrência se dá quando os rizomas subterrâneos enviam novos colmos, que são as varas do bambu. Esses novos colmos crescem rapidamente e podem superar os 25 metros.

Em bambus que já estejam em sua fase adulta, os colmos mais jovens tendem a crescer mais em altura e diâmetro de acordo com o crescimento do colmo principal. Porém, assim que esse colmo para de crescer, o processo não volta a ocorrer novamente.

Algo que pouca gente sabe é que o bambu mosso também floresce e produz sementes, embora isso aconteça em períodos de aproximadamente 50 anos. Porém, é comum que apareçam algumas flores em algum lugar do colmo.

O Bambu Mosso Pode Ser Plantado em Vasos?

Conheça todas as  características do bambu mossôEssa é uma das características que poucas pessoas conhecem, já que quando se fala de bambu, a imagem que vem à cabeça é de um terreno muito grande e repleto de colmos.

O bambu mosso não forma touceiras, que é quando várias plantas crescem muito perto entre si. Por isso, é possível plantar uma única muda dessa espécie de bambu no jardim ou até mesmo em um vaso e, ainda mais curioso, no formato desejado.

Esse “truque” que permite escolher o formato curvilíneo é razoavelmente simples. Assim que a planta ainda está em sua fase de crescimento, as cascas que envolvem o colmo são retiradas, o que, consequentemente, afeta a resistência do bambu.

Como ele estará bem mais flexível, basta amarrar o colmo em algum outro ponto até que se obtenha a curva desejada. Então, quando o colmo desenvolver uma nova casca (chamada de bainha) e continuar crescendo, ainda terá o formato que foi escolhido anteriormente.

Depois de finalizado esse processo, o bambu pode ser levado ao local em que ele ficará permanentemente. É importante ressaltar que mesmo com um formato curvo, o bambu manterá sua resistência inalterada.

Bambu Mosso Cuidados: O Que Fazer?

Para o plantio e cultivo de bambu mosso cuidados se fazem necessários, assim como ocorre com qualquer outra planta.

Alguns dos principais são os seguintes:

Plantio no solo: se você for plantar o bambu mosso em um jardim ou campo, o espaço ideal para a cova é de 40 cm de largura, comprimento e profundidade. Assim, ele terá espaço suficiente para crescer e se desenvolver de forma saudável.

Conheça todas as  características do bambu mossôPlantio em um vaso: se optar por um vaso, é essencial que este seja grande, pois caso contrário o bambu pode não se desenvolver adequadamente ou até quebrar o vaso. O mais recomendável é que o vaso tenha, pelo menos, as mesmas medidas da cova feita no solo.
Condições do solo: seja no próprio solo ou em um vaso, é muito importante que a terra esteja adubada e com uma boa capacidade de drenagem. Você pode escolher o fertilizante que preferir, como esterco, húmus ou composto orgânico.
Posterior adubação: para o bambu mosso cuidados se fazem necessários com a adubação mesmo depois do plantio. O famoso composto NPK 10-10-10 pode ser aplicado, preferencialmente com intervalos de 3 meses, para um desenvolvimento totalmente saudável.

Nível de luminosidade: essa espécie de bambu gosta muito da luz solar, mas ela também pode se desenvolver próximo a uma janela ou porta bem iluminada. Caso a muda seja deixada em um local que não haja iluminação suficiente, ela pode morrer.

Não se pode esquecer que para o plantio de bambu mosso cuidados com a rega são essenciais. Cada planta possui diferentes necessidades e, por isso, é preciso levar em conta as características de cada espécie. Regar as mudas de bambu 4 vezes por mês é o ideal, pois assim ela não ficará muito seca nem muito encharcada.

Agora que você já conheceu tudo o que precisava sobre essa espécie, compre uma muda de bambu mosso no site do Sítio da Mata, que é um viveiro que já possui mais de 19 anos de experiência no mercado e oferece apenas produtos de excelente qualidade!
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Suculenta é a planta da vez na decoração
Fácil de cuidar, suculenta é a planta da vez na decoração


Elas não gostam de muito sol e de muita água; habitam vasos pequenos; em geral, têm folhas gordinhas e raízes curtas; e sobrevivem bem em ambientes internos. Em alta entre arquitetos e paisagistas, as suculentas — espécie de planta da família das crassuláceas, com vários tipos de arbustos diferentes — são charmosas para enfeitar cantinhos, como uma prateleira, uma pilha de livros ou uma bancada de banheiro, e até se camuflar entre outros arranjos florais.
Suculenta é a planta da vez na decoração
— Sempre que fazemos uma exposição de suculentas, acabam todas no mesmo dia — observa o florista Mário Duarte Pereira, da Nova Hera Flores, na Cobal do Humaitá, que se surpreende com as utilidades para as quais procuram as tais plantinhas. — Eu não podia imaginar, mas já tive clientes que compraram para fazer buquê de noiva.

A exposição, como Mário chama, se resume a um monte de vasinhos decorados com pedrinhas brancas, emparelhados em cima de um carrinho de dois andares.

Sol: apesar de resistentes, as suculentas não estão acostumadas ao sol pleno, do meio-dia. Portanto, são ideais para ambientes internos.

Luz: qualquer planta precisa de claridade. A quantidade de luz deve ser equilibrada.
Suculenta é a planta da vez na decoraçãoÁgua: deve ser regada no máximo duas vezes por semana e em poucas quantidades.
Terra: as suculentas sobrevivem bem tanto no barro quanto na areia. Com pedrinhas também.

Vasos: em geral pequenos, os recipientes podem ser de cerâmica, plástico ou alumínio.




Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins

Nome Científico: Beaucarnea recurvata

Sinonímia: Beaucarnea tuberculata, Nolina recurvata, Nolina tuberculata

Nome Popular: Pata-de-elefante, nolina, biucarnea

Família: Ruscaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: México

Ciclo de Vida: Perene

A pata-de-elefante é uma planta arbustiva, de textura semi-lenhosa e aspecto escultural. Apesar de se assemelhar com as palmeiras, a pata-de-elefante não é uma palmeira verdadeira. Ela é considerada um arbusto ou arvoreta, que pode alcançar cerca de 5 metros de altura quando adulta. Seu tronco é muito ornamental, geralmente único com a base dilatada, para o armazenamento de água. Uma adaptação para sobreviver por longos períodos de estiagem. 

Suas folhas são muito belas também, com um aspecto de cabeleira, dispostas em densos tufos nas extremidades dos ramos. Elas são coriáceas, achatadas, longas e recurvadas, com margens ásperas. As flores somente são produzidas nos exemplares mais velhos, já arbóreos. Elas despontam em inflorescências longas e eretas, com numerosas flores pequenas e esbranquiçadas. Ocorrem plantas fêmeas e plantas machos (espécie dióica).

As patas-de-elefante fazem muito sucesso no paisagismo, criando pontos de destaque no jardim. Sua beleza imponente e escultural pode ser valorizada isolada ou em pequenos grupos. Encaixa-se perfeitamente em jardins contemporâneos, de inspiração desértica ou tropicais. Devido ao lento crescimento, também é muito explorada como planta envasada, enquanto é jovem, para decoração de interiores, pátios, sacadas e varandas. É uma planta que praticamente não exige manutenção, mas que alcança altos valores no mercado de plantas ornamentais.

Deve ser cultivada sob sol pleno, meia-sombra ou luz difusa, em solo fértil, bem drenável e irrigado a intervalos bem espaçados, para evitar o apodrecimento das raízes. É muito rústica, tolerando o calor e o frio, não suportando apenas o encharcamento. Multiplica-se por estaquia e por sementes produzidas apenas nas plantas fêmeas.