Articles by "dicas"
Mostrando postagens com marcador dicas. Mostrar todas as postagens
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins

O que faz uma planta crescer sadia?


PlantaAssim como nós, as plantas são seres vivos e necessitam de alimentos para crescerem de forma saudável. Os alimentos das plantas são fornecidos pelo solo, que, além de sustentá-las, é o depósito das substâncias das quais os vegetais se alimentam.
Essas substâncias alimentícias são chamadas de nutrientes, e são todos os elementos, ou compostos químicos, que os seres ingerem para garantir o funcionamento do metabolismo e das ações celulares de seu corpo. Em resumo: os nutrientes são o combustível e a matéria-prima para a vida.
No caso das plantas, os nutrientes são classificados em dois grupos: macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são os elementos de que a planta necessita em quantidades elevadas; e os micronutrientes, aqueles dos quais elas precisam em quantidade muito pequena. Os macronutrientes mais importantes para o desenvolvimento das plantas são o nitrogênio, o potássio e o fósforo. Além desses, são também essenciais para as plantas o cálcio, o magnésio e o enxofre. Quanto aos micronutrientes, os principais para elas são: boro, cloro, molibdênio, cobre, ferro, zinco e manganês.
Tanto os macronutrientes como os micronutrientes são necessários para o bom desenvolvimento das plantas e para a formação de flores e frutos saudáveis. Quando o solo não possui esses nutrientes nas quantidades exigidas, é necessário que coloquemos neles os fertilizantes, também chamados de adubos. No entanto, essa adição de adubos tem que ser feita de forma sustentável, com a preservação do meio ambiente e a melhoria da qualidade das plantas.

Texto: Rosa Maria Cardoso Mota de Alcântara
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Os benefícios de tomar água com limão todos os dias
Os benefícios de tomar água com limão de manhã

O consumo de água com limão pelas manhãs, em jejum, é uma prática recomendada pela medicina indiana (Ayurveda) e começou a ser adotada por muita gente que não, necessariamente, segue os preceitos orientais. 

A mistura destes dois ingredientes simples ajuda a aumentar a imunidade e ativa o metabolismo.

O limão é cítrico e ácido, mas em nosso corpo funciona como um alcalinizante. “Quanto mais alcalino o sangue, melhor, porque a maioria das doenças tem relação com a acidificação sanguínea. Açúcar, farinha branca, proteína em excesso, alimentos industrializados e refrigerante, por exemplo, acidificam o sangue. O limão faz o contrário”, explica Bianca Innocencio, nutricionista funcional da Clínica Andrea Santa Rosa.

A mistura de água com limão ativa o metabolismo e o sistema imunológico e tem propriedades diuréticas e antioxidantes, além de hidratar o corpo e auxiliar no emagrecimento. A fruta cítrica é reconhecida por ajudar na digestão e na eliminação de substâncias inúteis ao organismo, na absorção e na reabsorção de nutrientes e na produção de algumas vitaminas do complexo B. 

E ter uma boa digestão ajuda a manter um intestino saudável, o que também está relacionado a mais vitalidade e bom humor.

Como preparar a água com limão

Para que a mistura tenha mais eficácia, é importante que a água esteja morna. O líquido nestas condições também acelera o funcionamento do intestino pela manhã e tem seu efeito potencializado pela mistura com a fruta.  

Ajuda na digestão – Além de a água morna favorecer o trato gastrointestinal, o limão ajuda a estimular e purificar o fígado. A bebida também ajuda os ácidos gástricos a cumprirem seu papel de digestão e eliminação.

“Em um organismo saudável, os desequilíbrios desaparecem de forma natural, por meio do seu próprio poder de cura e regeneração. A água com limão auxilia o organismo a se restabelecer de forma natural”, explica Bianca Innocencio.  

Desintoxica – Água com limão é um diurético natural, o que significa que a bebida ajuda o seu organismo a eliminar líquidos e toxinas. O ácido cítrico também ajuda a maximizar enzimas que estimulam o fígado, que, por sua vez, tem a função de eliminar toxinas.

A receita é simples. De manhã, ainda em jejum, esprema meio limão em um copo e complete com água morna. Beba a mistura e espere, de preferência, 30 minutos para tomar o café da manhã. Algumas pessoas adicionam mel, sal, ou especiarias à receita básica de água com limão.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardimAmanda Shiffler

Como consumidores, várias pessoas estão constantemente à procura de formas de reduzir sua  "pegada" ambiental – reciclando, reutilizando, reaproveitando – em um esforço para ajudar mais o meio ambiente. Também há um tendência crescente de moradores que plantam seus jardins em casa para reduzir os impactos ambientais das substâncias químicas e para minimizar os resíduos químicos no produto. Dessa forma, faz sentido que as pessoas tenham criado ideias mirabolantes para reutilizar itens comuns em seus jardins.
Essas nove ideias maravilhosas reutilizam garrafas plásticas de uma forma criativa em seu jardim, evitando que elas sejam jogadas fora ou enviadas para reciclagem.
1. Mini estufa
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim
2. 
Plantas sensíveis, especialmente mudas, se beneficiam quando são cultivadas dentro de garrafas plásticas limpas. Corte o fundo de uma garrafa limpa e coloque a metade superior dela sobre a planta, empurrando ela no solo. Essa mini estufa ajudará a proteger a planta do frio, da chuva e dos ventos.

2. Alimentador profundo
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim

Você não precisa instalar um sistema de irrigação caro para regar suas plantas de forma automática. Abra/fure buracos nas laterais de uma garrafa plásticas grande e limpa, e enterre ela do lado de uma planta, deixando seu gargalo levemente para fora da superfície do solo. Preencha ela com água como necessário.
3. Regador
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim
Não há a necessidade de se comprar um regador se você tem uma garrafa plástica dando sopa. Limpe ela e use uma pequena broca para abrir buracos na tampa. Encha a garrafa com água, rosqueie a tampa de volta e você terá um regador artesanal.

4. Aspersor
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim
Abra ou perfure buracos nas laterais de uma garrafa plástica de dois litros vazia e limpa para criar um aspersor para jardim e quintal. Adicione uma extremidade fêmea para mangueira, um adaptador giratório fêmea e arruelas para mangueira para conectá-lo diretamente à sua mangueira de jardim.

5. Pegador de Fruta
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim

Alcançar galhos mais altos de árvores frutíferas ficou incrivelmente mais fácil com essa ideia. Abra um buraco na lateral da parte inferior de uma garrafa de 2 litros e encaixe um cabo na boca da garrafa. Deslize a fruta para dentro do buraco, puxe para baixo e assista pêssegos, peras e maçãs caírem facilmente dentro da garrafa.

6. Armadilha para vespas

Algumas fontes, como o State-By-State Gardening, encorajam que jardineiros deixem que vespas voem livremente pelo jardim para afastar outras pragas e aumentar a polinização. Mas se você não quiser correr risco e acabar levando uma picada, você pode fazer facilmente uma armadilha para vespas artesanal com uma garrafa plástica, usando uma faca e um grampeador. As vespas entram para chegar à solução, mas não conseguem sair.
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim

7. Pá plástica
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim
A jardinagem pode ser simplificada com algo tão simples quanto uma pá de jardim. Use ela para cavar os buracos para plantio ou para distribuir fertilizante pelas plantas. Pegue uma garrafa grande de vinagres, de detergente ou outro tipo de garrafa plástica resistente e corte cuidadosamente o fundo/laterais para criar uma pá.

8. Encher vasos de plantas

Os vasos de plantas podem ficar bem pesados se pedras/pedregulhos forem colocados para aumentar a drenagem. Para manter o vaso mais leve, facilitando assim sua movimentação, preencha o fundo dos vasos com garrafas plásticas limpas e vazias (fechadas com tampas) e adicione a terra até a altura desejada. Gardening Know How recomenda o uso de garrafas marcadas com a classificação 1, 2, 4 ou 5 de segurança.
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim


9. Vaso com garrafas penduradas
Guarde suas garrafas plásticas – você precisará delas para seu jardim
Crie um jardim suspenso eclético reutilizando garrafas plásticas como vasos de plantas. Remova o fundo com uma faca afiada. Decore com fitas, faça furos para pendurar e coloque sua planta favorita.

Fonte: http://diyeverywhere.com
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
O inverno está vindo hora da manutenção do jardimO outono está aí, e a palavra de ordem no jardim é uma só: manutenção. Depois de sofrer com os dias quentes de verão, as plantas precisam receber cuidados especiais para se renovar, enfrentar os dias mais frios que o inverno reserva e poder, novamente, florescer na primavera. 

É tempo de plantar novas mudas, fazer limpeza, podas de formação, controlar as ervas-daninhas, retirar as folhas velhas e corrigir o pH do solo. 



Sálvia



Muitas espécies não florescem nesta época, porém, suas folhagens se mantêm verdes e bonitas se forem bem cuidadas. 



Mas engana-se quem acha que flores não suportam as temperaturas mais baixas. Há espécies resistentes, que florescem justamente nesta época e garantem um jardim colorido no outono e no inverno, como a boca-de-leão, o amor-perfeito, o beijo rajado e as azaléias. 



Um dos principais cuidados que se deve ter é com a rega, já que o frio reduz a necessidade de água. As plantas devem ser hidratadas sempre pela manhã, isso em qualquer estação, mas, principalmente, nos meses mais frios. 



Beijo Americano



O inverno está vindo hora da manutenção do jardim

A planta não vai absorver a água durante a noite e qualquer umidade em excesso que fique nas raízes pode causar pragas e doenças. 


Outra dica importante é não podar plantas que vão florir no inverno ou início da primavera, pois sua floração pode ser prejudicada. 



Quem quer ter um jardim bonito o ano inteiro deve mesclar flores. 



Lavandas



O inverno está vindo hora da manutenção do jardimO ideal é misturar plantas perenes que podem viver mais de dois ciclos sazonais sem que as suas folhas caiam e plantas da estação. Assim, o jardim fica sempre verde e com flores. 



O que plantar: 



- Boca-de-leão 

- Cravina 
- Sálvia 
- Amor-perfeito 
- Begônia 
- Beijo-rajado 
- Beijo-americano 
- Beijo-americano-dobrado 
- Lavandas 
- Azaléia 
- Ipomeia 
- Aleluia 
- Pata-de-vaca 
- Frutíferas em geral 
- Roseiras 




Gilberto Matter, Engenheiro Florestal, Pós-graduação, com Especialização em Paisagismo, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná Fonte:www.paisagismobrasil.com.br 
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Veja como recuperar a grama mortaUma área com grama morta em seu gramado não deve destruir sua aparência geral, no entanto. Com um pouco de trabalho e algumas semanas de cura, você pode recuperar os pontos mortos em seu gramado e deixa-lo totalmente verde. Mesmo com os melhores cuidados e manutenção do gramado, a grama pode ser afetada por doenças, insetos ou outros fatores. 

O que fazer com a grama morta

Retirar a grama morta com uma pá e remover pelo menos dois centímetros de solo imediatamente. Retirar mais terra na área da grama morta, vai aumentar as chances de remover qualquer doença ou fungo.
Adicione um pouco de condicionador de solo no local  desenterrado. Misturar antes a terra nova com o fertilizante orgânico de solo.
Espalhe sementes de capim novo sobre a área reparada do seu gramado. Cortar a grama com um machado ou uma faca para caber na área e coloque-a com as mãos.
Aplique uma camada de fertilizante  para a semente de grama. Isso ajudará a dar a sementes de capim novo os nutrientes adequados para promover o crescimento da raiz.
Molhar com um regador para que a semente da grama não fique molhada fora de lugar com fluxos mais forte de água.
Espalhe uma camada de 1 polegada de palha de trigo / feno / capim sobre a semente de grama após molhar. Isto impedirá à semente de ser desintegradas ou ser comido pelos pássaros.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Como fazer uma estufa? 
Montar uma estufa não é algo muito dispendioso nem um bicho de sete cabeças. 

Tudo dependerá da finalidade que deseja dar a mesma e do capital para investimento de que se dispõe. Quanto maior o capital a ser aplicado, mais sofisticado poderá ser o projeto: estrutura de alumínio, plásticos e climatizadores. Mas se você quer ter uma estufa para hobby, o projeto pode ser bem mais simples e mais barato. Qualquer espaço pode ser aproveitado para esta finalidade.

Você pode aproveitar um corredor, um muro, um pergolado. Basta colocar um sombrite de setenta por cento ou plástico no teto a uma altura de dois metros e meio e fechar as laterais com o mesmo material. As vigas da estrutura poderão ser de madeira, metalon, concreto, enfim o material que se dispuser a mão.
Como fazer uma estufa?

No teto é recomendado se colocar um travessão a cada metro e meio no sentido vertical e um cabo de aço com extensor a cada metro no sentido horizontal. Isso fará com que a estrutura fique mais firme e dê sustentação ao sombrite ou plástico, evitando-se que se formem as indesejáveis barrigas.

Uma ou mais portas com um metro de largura (mínimo) é ideal, pois poderá passar com um carrinho de mão ou qualquer outro material de manutenção com folga.

As vigas de sustentação devem ser dispostas a cada três metros de distância uma da outra. Já o piso pode ser forrado com uma camada grossa de brita zero.
Bancadas - O tamanho médio de uma bancada deve ser de um metro e meio de largura no máximo (para que você possa alcançar todas as plantas) e o comprimento, de acordo com seu espaço. A altura da bancada deve ser de cerca de no mínimo oitenta centímetros.
Como fazer uma estufa?

Você pode fazer quantas bancadas quiser, não esquecendo de manter um espaço mínimo de um metro e meio para a circulação.

Quanto ao material a ser utilizado nas bancadas estas podem ser de madeira, concreto ou metal, dependendo do que for mais prático e viável. Caso falte espaço, na parte superior, se você colocar algumas hastes atravessadas, poderá pendurar também alguns vasos ou plantas em casca de madeira ou palitos de fibra de coco, embora não seja muito aconselhável, porque os fungos ou vírus das plantas penduradas podem escorrer com a água para as plantas de baixo.
No caso de você dispor somente de uma varanda ou peitoril de uma janela, isto não é motivo para desanimar, muitas pessoas cultivam belas plantas nestas condições.


Como fazer uma estufa?Pode ser que também sua casa seja coberta por laje em vez de telhas. Nesse caso, nada impede que sua estufa seja feita em cima da casa, desde que você crie a umidade necessária. Por exemplo, você pode colocar seixos rolados no piso e deixá-los sempre molhados.

Não vamos nos esquecer das árvores, onde a maioria das epífitas se ambientam muito bem.

Arejamento - Não se deve colocar as plantas muito aglomeradas para que haja arejamento entre elas e consequentemente possa se evitar o contagio de doenças ou parasitas.

Iluminação - Iluminação é essencial. O ideal é manter as plantas sob uma tela Sombrite de 50 a 70%, dependendo da intensidade da insolação local. Assim elas receberão claridade em luz difusa suficiente para realizarem a sua função vital que é a fotossíntese. Se as folhas estiverem com cor verde garrafa, é sinal que estão precisando de mais luz. E se estiverem com uma cor amarelada, estão com excesso de luz.

Temperatura - A maior parte das plantas se adapta bem a temperaturas entre 10º e 40º centigrados. Entretanto, há algumas que suportam temperaturas mais baixas. Assim, é bom observar a variedade da planta que se pretende cultivar para ter certeza que se aclimatará no lugar onde será cultiva. Caso contrário, o cultivo será muito mais trabalhoso, muitas vezes resultando na perda da planta. Felizmente, no Brasil, a variação de temperatura é adequada para milhares de espécies, tudo dependerá da região em que se encontra.

Água e Umidade - A umidade relativa do ar (quantidade de vapor de água existente na atmosfera) nunca deve estar abaixo de 30%, caso contrário, as plantas desidratarão rapidamente. Em dias quentes, a umidade relativa do ar é menor, por isso se faz necessário manter o ambiente úmido, molhando-se não só a planta, mas também o próprio ambiente em que se encontram. Por esse motivo quando se cultiva Bromélias e principalmente Tillandsias em estufas é recomendado se manter um conjunto de climatizadores (no caso de grandes conjuntos de estufas) nas épocas mais quentes ou se fazer uso de aspessores, borrifando as plantas várias vezes ao dia.

Num jardim, com muitas árvores e plantas e solo de terra a umidade relativa é bem maior do que numa área sem plantas com piso de cimento. Um bom conjunto de irrigação também ajuda muito nessas horas mais quentes, devendo-se observar que as plantas devem ser irrigadas e / ou borrifadas sem a incidência dos raios de sol sob as folhas, evitando-se a queima das mesmas sob efeito da lente de aumento proporcionada pelas gotículas de água nas folhas em contraste com os raios solares.

Adubação - Todas as plantas necessitam de alimento, seja ele químico ou orgânico. Quando o fertilizante for líquido, dilua um mililitro (um centímetro cúbico) por litro de água. Uma seringa de injeção é um medidor pratico. Quando for solido, mas solúvel em água, dilua uma colher de chá (um grama) para um litro de água numa frequência quinzenal.

Alerta - No cultivo de Bromélias e Tillandsias todo cuidado com fertilizantes químicos é pouco, pois os exemplares têm alto poder de absorção foliar e principalmente por não haver no Brasil uma formulação ideal especifico para essas espécies (NPK 17-08-22) os fertilizantes químicos quando utilizados devem sê-lo feito com muita parcimônia, utilizando-se tão somente 1/4 da dosagem recomendado pelo fabricante.

Essas soluções, nunca devem ser aplicadas com o sol quente, pois os estômatos (minúsculas válvulas) estão fechados. Faça-o de manhã bem cedo, ou fim da tarde, molhando os dois lados das folhas (a maior concentração de estômatos é na parte de baixo das folhas).

Nas Tillandsias especificamente, deve-se evitar de molhá-las a noite, pois esse ato irá prejudicar a respiração CAM que é realizada à noite (diferentemente das plantas tradicionais). As concentrações de fertilizantes em dosagens menores do que indicado acima ou pelo fabricante nunca é prejudicial.

Ao se diluir o fertilizante químico (um mililitro ou um grama) em dez litros de água ou mais um pouco e com ela borrifar diariamente as plantas, você poderá obter excelentes resultados. Esse ato corresponderá a um tratamento homeopático. Dosagem maiores funcionarão como veneno e poderão até matar as plantas.

Macro Nutrientes - Os adubos vendidos no comércio especificam as siglas NPK (com as respectivas porcentagens) que significam: N (nitrogênio), P (fósforo) e K (potássio), que são macro nutrientes. Mas existe mais três macro nutrientes não citados que são: Mg (magnésio), Ca (cálcio) e S (enxofre). Portanto, os macro nutrientes são seis e não três como são apresentados. Macro nutrientes são aqueles que as plantas necessitam em grande quantidade para crescer equilibradamente.
São chamados de micro nutrientes aqueles que as plantas precisam em menor proporção. A maior parte dos adubos químicos não contem os três últimos macro nutrientes citados acima, mas apenas um ou no máximo dois deles. Isto porque a formulação com todos eles é quimicamente incompatível, ou seja, há uma reação química e um dos sais, que geralmente é o sulfato de cálcio, não se dissolve e acaba se precipitando (o sulfato de cálcio também é adubo, porém solubilidade é de apenas dois gramas por litro e contém os elementos cálcio e enxofre).

Assim, existem no mercado os adubos básicos com NPK e uma outra embalagem com o restante dos sais minerais, que completam os anteriores, para serem aplicados alternadamente (os dois produtos jamais devem ser misturados). Mas poucas pessoas sabem da existência desse segundo produto. Resultado: muitas vezes suas plantas não vão bem, embora se aplique adubo, mas há carência justamente destes nutrientes.

Alternativa - A utilização de fertilizantes químicos importados é uma realidade, mas não são todos que têm poder aquisitivo para bancá-los. Uma boa alternativa é a utilização do Osmocote, que apesar de caro, seu resultado é surpreendente. Trata-se de um fertilizante de liberação lenta (três a quatro meses) em várias formulações. No caso das Bromélias é recomendado o 14-14-14. Os pequenos grãos devem ser espalhados nas bordas dos vasos e os resultados poderão ser observados logo no primeiro mês de uso. Dosagem - De três a sete gramas (aproximadamente uma colher de chá) por litro de substrato. Essa variação (de três a sete gramas) indica que se deve aplicar um pouco mais em plantas de rápido crescimento (flores, folhagens e mudas em geral) e menos para plantas lentas (Orquídeas e Cactos).

Superfertilização - O Osmocote é o fertilizante mais seguro que existe, não há riscos de superfertilização, portanto dosagens maiores podem ser aplicadas sem o perigo de perda da planta.

Adubação Orgânica - A adubação orgânica consiste na utilização tão somente de componentes de origem animal e / ou vegetal, tais como: esterco de gado, esterco de cavalo, urina de vaca, compostos orgânicos, húmus de minhoca. Cama de frango, esterco de galinha e esterco de porco (o esterco de porco não é totalmente digerido no organismo do animal - em média somente 30% é digerido o restante é expelido in natura) devem ser evitados, por serem muito quentes e conseqüentemente poderem ser prejudiciais as plantas.

Urina de Vaca - A urina, além de fornecer nutrientes e substâncias benéficas às plantas, não custa dinheiro, não é marca registrada de empresa, não causa risco à saúde do produtor e é tão, ou mais, fácil de aplicar que muito fertilizante químico ou agrotóxico.

A urina de vaca é um insumo que livra os agricultores da dependência. Na urina de vaca, encontramos vários nutrientes como o nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, ferro, manganês, boro, cobre, zinco, sódio, cloro, cobalto, molibdênio, alumínio (abaixo de 0,1 ppm), os fenóis, que são substâncias que aumentam a resistência das plantas. Também encontramos o ácido a indolacético, que é um hormônio natural de crescimento de plantas. Portanto, o uso da urina de vaca sobre os cultivos tem efeito fertilizante, fortificante (estimulante de crescimento) e também o efeito repelente devido ao cheiro forte.

Como Preparar - A urina deve ser recolhida em um balde e logo após ser envasada em recipiente fechado por no mínimo três dias antes de usar. Em recipientes fechados a urina poderá ser guardada por até um ano.
Como usar Diluir a um por cento (um litro de urina em cem litros de água), fazer pulverizações semanais nas plantas.

Para utilizar no solo ou substrato, junto ao pé da planta, diluir a cinco por cento (cinco litros de urina em cem litros de água). A integração da agricultura com a criação animal na propriedade é de extrema importância, pois além da urina, o esterco pode ser transformado em composto, muito importante para a agricultura orgânica.


Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Receita de adubo orgânicoComo se produz adubo orgânico e qual a maneira mais fácil de vendê-lo no mercado?

Maria Aparecida Fiori
Campo Limpo Paulista, SP

São diversos os adubos orgânicos que podem ser produzidos na propriedade como, por exemplo, o composto orgânico, composto de farelos (bokashi) e vermicomposto (húmus de minhoca). O mercado mais rentável e mais fácil em termos de comercialização é o de flores e paisagismo das áreas urbanas e arredores, que tem o húmus de minhoca como o adubo orgânico mais adequado e de maior valor econômico. Para a produção do vermicomposto são necessários canteiros, que podem ser construídos de materiais simples e baratos, como bambus, ou mais sofisticados e de maior custo, como os de alvenaria; resíduos vegetais, incluindo restos de comida, cascas de frutas e hortaliças e de jardinagem, como aparas de gramas, e/ou estercos semi-curtido de bovinos, preferencialmente; e minhocas – a espécie mais utilizada é a vermelha da califórnia. Os resíduos vegetais frescos devem passar por uma pré-compostagem de, pelo menos, 30 dias. A faixa ótima de temperatura e umidade para plena atividade das minhocas é de 15 a 27oC e 80 a 85%. Mais informações podem ser obtidas nas Circulares Técnicas 57 e 29 da Embrapa, disponíveis gratuitamente nos endereços 
Consultora: Ronessa Bartolomeu de Souza, pesquisadora da área de agricultura orgânica da Embrapa Hortaliças, Rod. BR 060, km 9, Brasília/Anapólis, Caixa Postal 218, CEP 70359-970, Brasília, DF, http://www.cnph.embrapa.br
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Jardim de pedras faça o seuO jardim de pedras dos seus sonhos é mais simples de fazer do que você imagina! Não importa o tamanho do espaço que você tenha. 

Pode ser um cantinho pequeno dentro da sua casa ou um espaço maior, como o quintal o até um jardim já existente, onde você possa adaptar com as nossas dicas! 
Conhecendo o espaço...

O primeiro passo é organizar o jardim conforme o espaço que você tem. Siga as dicas abaixo e depois é só colocar a mão na massa!
Jardim de pedras faça o seu
 - Analise o tamanho do jardim externo ou interno e seus limites;


- Pense sobre os itens que você gostaria de ter no espaço (use sua imaginação!); 

- Planeje a disposição dos elementos que devem estar presentes, como as pedras, vasos, plantas e outros adereços;

- Avalie a combinação entre as pedras e o gramado para deixar o ambiente harmônico.

Jardim de pedras faça o seu 
Dê vida ao jardim!

Veja o passo a passo:

1) Prepare o terreno, remova plantas velhas e deixe o espaço plano. Aparador de grama, pás e tesoura são as ferramentas ideais para utilizar nesta etapa. 
2) Escolha as plantas adequadas para o ambiente disponível, já que há espécies que exigem maior espaço. 

Também é importante levar em consideração as condições de clima do local em que o jardim está. Cactos e suculentas, por exemplo, são mais resistentes ao calor, pois sua capacidade de armazenamento de água é de até 30 dias. 
Jardim de pedras faça o seu3) Para melhor fixação das pedras e redução da manutenção, faça uma camada de areia sobre a terra.

4) Use e abuse da criatividade e faça combinações com diferentes cores de pedras. Ordene-as em formas circulares pelo jardim. Também é possível formar um caminho para passagem. Fica lindo!

5) Observe a disposição das pedras principalmente em dias de chuva. Caso elas afundem ou ocorra separação, basta acrescentar mais pedras. 

Jardim de pedras faça o seuComplemente seu jardim  

Para aproveitar melhor o seu jardim, tenha um espaço para o convívio, com bancos, cadeiras, mesas, vasos e floreiras. Assim o local torna-se um ambiente ideal para relaxar. 

Charme ao seu cantinho

Jardim de pedras faça o seuAproveite também para deixar seu cantinho mais charmoso. Coloque velas, almofadas, aromatizadores, para que este espaço seja muito mais que um jardim, mas um local na sua própria casa que voce possa receber amigos e compartilhar momentos agradáveis.

Fonte:http://www.cec.com.br

Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Estufas utilidade e como fazer
As estufas são utilizadas com o objetivo do melhor desenvolvimento da planta, uma vez que, ela oferece proteção aos ataques externos. Assim, a função da estufa é proteger as plantas que são condicionadas em seu interior, mantendo as melhores condições para o perfeito desenvolvimento do cultivo.

As estufas retêm o calor do sol aprisionando-o dentro dela. Os raios solares atravessa o vidro e aquecem o solo, liberando raios infravermelhos. O calor que vem do sol aquece a massa de ar quente que sobe do teto da estufa, e não se perde porque ele é aprisionado.

As estufas de vidro são bem indicadas, já que o vidro é um material que deixa passar 90% da radiação solar, o que ajuda a reter o calor. O material sintético, por sua vez capita menos radiação solar.

As plantas que são cultivadas dentro da estufa sempre terão um clima adequado, o que proporciona maior qualidade e desempenho, consequentemente maior lucratividade.

Montar uma estufa não é algo muito dispendioso nem um bicho de sete cabeças. Tudo dependerá da finalidade que deseja dar a mesma e do capital para investimento de que se dispõe. Quanto maior o capital a ser aplicado, mais sofisticado poderá ser o projeto: estrutura de alumínio, plásticos e climatizadores. Mas se você quer ter uma estufa para hobby, o projeto pode ser bem mais simples e mais barato. Qualquer espaço pode ser aproveitado para esta finalidade.

Você pode aproveitar um corredor, um muro, um pergolado. Basta colocar um sombrite de setenta por cento ou plástico no teto a uma altura de dois metros e meio e fechar as laterais com o mesmo material. As vigas da estrutura poderão ser de madeira, metalon, concreto, enfim o material que se dispuser a mão.
No teto é recomendado se colocar um travessão a cada metro e meio no sentido vertical e um cabo de aço com extensor a cada metro no sentido horizontal. Isso fará com que a estrutura fique mais firme e dê sustentação ao sombrite ou plástico, evitando-se que se formem as indesejáveis barrigas.

Uma ou mais portas com um metro de largura (mínimo) é ideal, pois poderá passar com um carrinho de mão ou qualquer outro material de manutenção com folga.

As vigas de sustentação devem ser dispostas a cada três metros de distância uma da outra. Já o piso pode ser forrado com uma camada grossa de brita zero.
Bancadas - O tamanho médio de uma bancada deve ser de um metro e meio de largura no máximo (para que você possa alcançar todas as plantas) e o comprimento, de acordo com seu espaço. A altura da bancada deve ser de cerca de no mínimo oitenta centímetros.

Você pode fazer quantas bancadas quiser, não esquecendo de manter um espaço mínimo de um metro e meio para a circulação.

Quanto ao material a ser utilizado nas bancadas estas podem ser de madeira, concreto ou metal, dependendo do que for mais prático e viável. Caso falte espaço, na parte superior, se você colocar algumas hastes atravessadas, poderá pendurar também alguns vasos ou plantas em casca de madeira ou palitos de fibra de coco, embora não seja muito aconselhável, porque os fungos ou vírus das plantas penduradas podem escorrer com a água para as plantas de baixo.
Estufas utilidade e como fazer No caso de você dispor somente de uma varanda ou peitoril de uma janela, isto não é motivo para desanimar, muitas pessoas cultivam belas plantas nestas condições.

Pode ser que também sua casa seja coberta por laje em vez de telhas. Nesse caso, nada impede que sua estufa seja feita em cima da casa, desde que você crie a umidade necessária. Por exemplo, você pode colocar seixos rolados no piso e deixá-los sempre molhados.

Não vamos nos esquecer das árvores, onde a maioria das epífitas se ambientam muito bem.

Arejamento - Não se deve colocar as plantas muito aglomeradas para que haja arejamento entre elas e conseqüentemente possa se evitar o contagio de doenças ou parasitas.

Iluminação - Iluminação é essencial. O ideal é manter as plantas sob uma tela Sombrite de 50 a 70%, dependendo da intensidade da insolação local. Assim elas receberão claridade em luz difusa suficiente para realizarem a sua função vital que é a fotossíntese. Se as folhas estiverem com cor verde garrafa, é sinal que estão precisando de mais luz. E se estiverem com uma cor amarelada, estão com excesso de luz. 

Temperatura - A maior parte das plantas se adapta bem a temperaturas entre 10º e 40º centigrados. Entretanto, há algumas que suportam temperaturas mais baixas. Assim, é bom observar a variedade da planta que se pretende cultivar para ter certeza que se aclimatará no lugar onde será cultiva. Caso contrário, o cultivo será muito mais trabalhoso, muitas vezes resultando na perda da planta. Felizmente, no Brasil, a variação de temperatura é adequada para milhares de espécies, tudo dependerá da região em que se encontra. 

Estufas utilidade e como fazer Água e Umidade - A umidade relativa do ar (quantidade de vapor de água existente na atmosfera) nunca deve estar abaixo de 30%, caso contrário, as plantas desidratarão rapidamente. 

Em dias quentes, a umidade relativa do ar é menor, por isso se faz necessário manter o ambiente úmido, molhando-se não só a planta mas também o próprio ambiente em que se encontram. Por esse motivo quando se cultiva Bromélias e principalmente Tillandsias em estufas é recomendado se manter um conjunto de climatizadores (no caso de grandes conjuntos de estufas) nas épocas mais quentes ou se fazer uso de aspessores, borrifando as plantas várias vezes ao dia.

Num jardim, com muitas árvores e plantas e solo de terra a umidade relativa é bem maior do que numa área sem plantas com piso de cimento. Um bom conjunto de irrigação também ajuda muito nessas horas mais quentes, devendo-se observar que as plantas devem ser irrigadas e / ou borrifadas sem a incidência dos raios de sol sob as folhas, evitando-se a queima das mesmas sob efeito da lente de aumento proporcionada pelas gotículas de água nas folhas em contraste com os raios solares.

Adubação - Todas as plantas necessitam de alimento, seja ele químico ou orgânico. Quando o fertilizante for líquido, dilua um mililitro (um centímetro cúbico) por litro de água. Uma seringa de injeção é um medidor pratico. Quando for solido, mas solúvel em água, dilua uma colher de chá (um grama) para um litro de água numa freqüência quinzenal.
Alerta - No cultivo de Bromélias e Tillandsias todo cuidado com fertilizantes químicos é pouco, pois os exemplares têm alto poder de absorção foliar e principalmente por não haver no Brasil uma formulação ideal especifico para essas espécies (NPK 17-08-22) os fertilizantes químicos quando utilizados devem sê-lo feito com muita parcimônia, utilizando-se tão somente 1/4 da dosagem recomendado pelo fabricante. 
Essas soluções, nunca devem ser aplicadas com o sol quente, pois os estômatos (minúsculas válvulas) estão fechados. Faça-o de manhã bem cedo, ou fim da tarde, molhando os dois lados das folhas (a maior concentração de estômatos é na parte de baixo das folhas).

Nas Tillandsias especificamente, deve-se evitar de molhá-las a noite, pois esse ato irá prejudicar a respiração CAM que é realizada à noite (diferentemente das plantas tradicionais). As concentrações de fertilizantes em dosagens menores do que indicado acima ou pelo fabricante nunca é prejudicial.

Ao se diluir o fertilizante químico (um mililitro ou um grama) em dez litros de água ou mais um pouco e com ela borrifar diariamente as plantas, você poderá obter excelentes resultados. Esse ato corresponderá a um tratamento homeopático. Dosagem maiores funcionarão como veneno e poderão até matar as plantas.

Macro Nutrientes - Os adubos vendidos no comércio especificam as siglas NPK (com as respectivas porcentagens) que significam: N (nitrogênio), P (fósforo) e K (potássio), que são macro nutrientes. Mas existem mais três macro nutrientes não citados que são: Mg (magnésio), Ca (cálcio) e S (enxofre). Portanto, os macro nutrientes são seis e não três como são apresentados. Macro nutrientes são aqueles que as plantas necessitam em grande quantidade para crescer equilibradamente. 

São chamados de micro nutrientes aqueles que as plantas precisam em menor proporção. A maior parte dos adubos químicos não contem os três últimos macro nutrientes citados acima, mas apenas um ou no máximo dois deles. Isto porque a formulação com todos eles é quimicamente incompatível, ou seja, há uma reação química e um dos sais, que geralmente é o sulfato de cálcio, não se dissolve e acaba se precipitando (o sulfato de cálcio também é adubo, porém solubilidade é de apenas dois gramas por litro e contém os elementos cálcio e enxofre).

Assim, existem no mercado os adubos básicos com NPK e uma outra embalagem com o restante dos sais minerais, que completam os anteriores, para serem aplicados alternadamente (os dois produtos jamais devem ser misturados). Mas poucas pessoas sabem da existência desse segundo produto. Resultado: muitas vezes suas plantas não vão bem, embora se aplique adubo, mas há carência justamente destes nutrientes. 

Alternativa - A utilização de fertilizantes químicos importados é uma realidade, mas não são todos que têm poder aquisitivo para bancá-los. Uma boa alternativa é a utilização do Osmocote, que apesar de caro, seu resultado é surpreendente. Trata-se de um fertilizante de liberação lenta (três a quatro meses) em várias formulações. No caso das Bromélias é recomendado o 14-14-14. Os pequenos grãos devem ser espalhados nas bordas dos vasos e os resultados poderão ser observados logo no primeiro mês de uso. Dosagem - De três a sete gramas (aproximadamente uma colher de chá) por litro de substrato. Essa variação (de três a sete gramas) indica que se deve aplicar um pouco mais em plantas de rápido crescimento (flores, folhagens e mudas em geral) e menos para plantas lentas (Orquídeas e Cactos).

Superfertilização - O Osmocote é o fertilizante mais seguro que existe, não há riscos de superfertilização, portanto dosagens maiores podem ser aplicadas sem o perigo de perda da planta.

Adubação Orgânica - A adubação orgânica consiste na utilização tão somente de componentes de origem animal e / ou vegetal, tais como: esterco de gado, esterco de cavalo, urina de vaca, compostos orgânicos, húmus de minhoca. Cama de frango, esterco de galinha e esterco de porco (o esterco de porco não é totalmente digerido no organismo do animal - em média somente 30% é digerido o restante é expelido in natura) devem ser evitados, por serem muito quentes e conseqüentemente poderem ser prejudiciais as plantas.

Urina de Vaca - A urina, além de fornecer nutrientes e substâncias benéficas às plantas, não custa dinheiro, não é marca registrada de empresa, não causa risco à saúde do produtor e é tão, ou mais, fácil de aplicar que muito fertilizante químico ou agrotóxico.

A urina de vaca é um insumo que livra os agricultores da dependência. Na urina de vaca, encontramos vários nutrientes como o nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, ferro, manganês, boro, cobre, zinco, sódio, cloro, cobalto, molibdênio, alumínio (abaixo de 0,1 ppm), os fenóis, que são substâncias que aumentam a resistência das plantas. Também encontramos o ácido a indolacético, que é um hormônio natural de crescimento de plantas. Portanto, o uso da urina de vaca sobre os cultivos tem efeito fertilizante, fortificante (estimulante de crescimento) e também o efeito repelente devido ao cheiro forte.

Como Preparar - A urina deve ser recolhida em um balde e logo após ser envasada em recipiente fechado por no mínimo três dias antes de usar. Em recipientes fechados a urina poderá ser guardada por até um ano.
Como usar Diluir a um por cento (um litro de urina em cem litros de água), fazer pulverizações semanais nas plantas.

Para utilizar no solo ou substrato, junto ao pé da planta, diluir a cinco por cento (cinco litros de urina em cem litros de água). A integração da agricultura com a criação animal na propriedade é de extrema importância, pois além da urina, o esterco pode ser transformado em composto, muito importante para a agricultura orgânica.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Verde em FolhaPor que você nunca deve manter suas cebolas na geladeira?

Cebolas são usados em quase todos os pratos são preparados, desde sopas a ensopados e saladas e alguns salsa. 

Ele é importante para tê-los em casa, mas isso também é importante que conseguir duradoura e usá-los todos, caso contrário, vamos estar jogando nosso dinheiro fora.

É por isso que hoje nós queremos para dizer- lhe sobre o caminho certo para salvar -los para durar por muito tempo porque, como algo que descobrimos recentemente, ele parece que temos vindo a manter errado todo esse tempo.
Se você é um dos que guardam as cebolas na geladeira ou em sacos de papel você tem que parar imediatamente, pois de acordo com o Daily Mail ambos os métodos causar a cebola ruim lugar muito rapidamente.

Isto porque esta planta contém muitos açúcares que são rapidamente convertidos em amidos  e sua presença provoca a cebola perde sua característica textura crocante.

A melhor maneira de armazenar -los é para colocá-los em um local seco, escuro e nunca colocá-los em um saco de papel. De acordo com o site Housekeeping muitas pessoas acreditam que os sacos de papel ajudar, no entanto, cebolas precisa de espaço e ar para evitar brotando ou apodrecendo rapidamente.
Sim, evitá-los ao lado das batatas e misture ambos os vegetais poderiam fazer com que as cebolas brotar muito mais rápido.