Articles by "acerola"
Mostrando postagens com marcador acerola. Mostrar todas as postagens
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Acerola e seu cultivoA acerola é um dos frutos mais saborosos do mundo!
  
Ela é também conhecida como cereja, em Portugal, e tem uma fama enorme, tanto em Portugal como no Brasil.

Para infelicidade de muitas pessoas esta fruta apenas está disponível cerca de 1 mês por ano, que é quando a aceroleira dá fruto, por volta do mês de Abril até Junho, no máximo.

A sua produção não é muito difícil, mas isso também vai depender do tipo de acerola que escolhermos, pois existem diversos tipos que suportam temperaturas diferentes, solos diferentes, que dão cerejas de tamanho maior, maior resistência.. etc.

A acerola, azerola, cerejeira-do-pará, cerejeira-de-barbados ou cerejeira-das-antilhas (Malpighia emarginata) é um arbusto da família das malpighiáceas. O fruto se dá numa árvore chamada Aceroleira. Tem origem nas Antilhas, América Central e norte da América do Sul.

Fatores que temos de ter em atenção para cultivar acerola 

Acerola e seu cultivoTal como fazemos em todos os artigos do Como Cultivar, vamos apresentar a lista dos fatores mais importantes.

Segue a lista e lê o desenvolvimento de cada ponto, é muito importante para quem quer uma colheita final de sucesso!

Clima;
Ambiente;
Solo;
Espaçamento;
Adubação;
Colheita.
Como plantar Acerola / Cereja

Vamos explicar cada um dos pontos acima, servem para as pessoas que querem colocar apenas uma Cerdeira no nosso quintal ou para quem pretende produzir em massa para vender, por isso esteja atento/a a todos os detalhes.

Clima

Um clima favorável é extremamente importante para uma boa plantação de acerola, por isso terá de ver se tem mesmo um clima que lhe permita a plantação deste fruto.

As temperaturas recomendadas pelos nossos agricultores são de 14ºC a 30ºC, se tiver assim uma temperatura é quase certo que terá uma plantação de cereja de sucesso.

Ambiente

Ambiente húmido, com precipitação distribuída durante o ano e algum sol também é fundamental.

Terá de regar a árvore pelo menos 2 vezes por semana caso não exista chuva, isto porque ela para produzir os melhores frutos terá de estar bem hidratada, e se não existir chuva para o fazer terá de ser você a fazê-lo, mas nada que um bom sistema de rega automático não consiga realizar sem qualquer tipo de trabalho da sua parte.

Uma boa exposição ao sol também é fundamental, principalmente na altura da primavera que é quando as flores começam a nascer!

Ventos não muito fortes… Isto porque caso existam tempestades no local, os ventos fortes vão arrancar toda a flor das suas árvores e não nascem qualquer tipo de cerejas da plantação.

Solo

Acerola e seu cultivoAntes de mais deixe-me referenciar que deve manter o solo minimamente húmido, bem adubado e com poucas obstruções, ou seja, sem ramos partidos, vestígios de outras plantas (principalmente raízes), pedras e/ou outros objetos que entrem em conflito com o crescimento da sua árvore.

Espaçamento

O espaçamento apenas é aplicável caso esteja interessado em plantar a cereja em grande escala. Siga as regras do espaçamento que são de 4,5 Metros de largura Vs 4,5 Metros.

Sendo assim cada árvore deve estar distanciada a pelo menos 4,5M das outras, isto para permitir o bom desenvolvimento sem a obstrução do terreno.

Adubação

A adubação recomendamos fazer uma vez por ano. Poderá fazer na hora que planta a acerola e também entre o mês de Janeiro e Fevereiro.

Um solo adubado também é essencial para a produção desta fruta, seja ela para venda e exportação como para uso pessoal.

Recomendamos que “jogue” também com a polinização, ou seja, planta árvores de diversas espécies diferentes no mesmo local, isto porque as abelhas vão fazer o seu trabalho de polinização, fazendo com que a sua plantação cresça automaticamente e de forma extremamente natural.

Colheita

Caso os frutos sejam para exportar deve-se manter a uma temperatura inferior a -15ºC para que o fruto consiga se aguentar sem apodrecer e sem perder todos os seus nutrientes.

Caso seja para consumo próprio poderá ir tirando à medida que vai comendo, mas lembramos que a cereja apenas está disponível de 1 a 2 meses, por isso caso seja para consumo próprio e não consiga comer todas elas faça a colheita e congele.

Conclusão…

Agora que já sabe como plantar acerola resta-lhe colocar mãos à obra e preparar o seu terreno para a sua própria plantação.

Existem vários plantios de acerola de sucesso e o seu pode ser um deles, basta algum esforço e dedicação às nossas árvores para que elas produzam como nunca pensou!

Um aviso final que gostamos de fazer é relativamente às infestações e pragas, sulfate sempre que possível as árvores, não deixe nenhuma praga lhes pegar caso contrário a sua platinarão será um fracasso.

Qualquer dúvida ou comentário não hesite em deixar abaixo, teremos o maior gosto em lhe responder e com a maior brevidade possível.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
A poderosa acerolaUma das maiores fontes naturais de vitamina C, a acerola é um santo remédio contra gripes, resfriados e infecções pulmonares.

Em 100 gramas da acerola encontram-se, inúmeros nutrientes, e contém aproximadamente 100 vezes mais vitamina C do que o limão, 80 vezes mais do que a laranja, vinte vezes mais do que a goiaba, além de flavonoides, vitaminas A, B1 e B6.

Ela também apresenta minerais como fósforo, ferro, potássio, magnésio e cálcio.
Outro famoso componente da acerola é o carotenoide, substância responsável pela cor vermelha da fruta, poderoso antioxidante, que auxilia na prevenção do envelhecimento precoce das células, ajudando no combate ao câncer e as doenças cardíacas.
Se um adulto consumir três acerolas por dia pode suprir a sua necessidade diária de vitamina C.
Também ajuda no combate à fadiga, esgotamento nervoso e estresse, além de contar com propriedades anti-infecciosas, que ajudam a estimular as defesas do organismo.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins


Duas unidades da fruta suprem a necessidade diária de vitamina C.
A acerola é uma fruta nativa da América Central, América do Sul e das ilhas do Caribe, conhecida também como cereja das Antilhas. É muito conhecida por causa do seu grande teor de ácido ascórbico, ou seja, vitamina, com apenas dois frutos as necessidades diárias de vitamina C são sanadas. É importante ressaltar que quanto mais verde a fruta estiver mais vitamina C terá e ainda, dependendo da época da colheita essa pode sofrer alteração na quantidade de vitamina C. Além dessa, a acerola ainda contém vitamina A, B1, B2, B3, cálcio, fósforo e ferro.

A acerola sofre variação em relação a sua cor, ao seu tamanho e ao seu formato, por possuir várias espécies. É extremamente frágil, permanece no pé por apenas dois dias após chegar à maturação. Quanto ao sabor, as acerolas podem ser doces, ácidas e super-ácidas sendo que sua utilização é maior na produção de sucos, o que não a restringe a outras finalidades. 

A fruta é bastante utilizada por pessoas com gripe, afecções pulmonares, doenças do fígado, doenças nasais e gengivais. Nasce de uma árvore chamada aceroleira que se desenvolve em regiões de clima tropical e subtropical. Sua proliferação pode ocorrer através do plantio da semente, por técnicas de enxerto e/ou por estaquia. A aceroleira possui porte médio de aproximadamente três metros de altura com características de arbusto. Sob irrigação constante, a árvore produz fruto o ano todo e em terrenos não regados com tanta freqüência, produz fruto até quatro vezes por ano. Nesse caso, a aceroleira floresce e frutifica principalmente no período da primavera e do verão. 

Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Verde em Folha
Acerola
A acerola é a segunda maior fonte desse nutriente, um poderoso antioxidante que protege o pulmão, o coração, a próstata e a pele. Para completar, tem pouquíssimas calorias


Ela só começou a ser cultivada no Brasil em meados do século 20, no Estado de Pernambuco. Mas seu uso para a saúde é mais antigo. Há tempos, a acerola (Malpighia punicifolia) tem sido uma das prescrições mais comuns entre os especialistas quando o assunto é fortalecer o organismo. 

"É fonte mais rica em vitamina C que a laranja", compara a nutricionista Ana Lúcia Chalhoub Chediác, coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo.

Os números comprovam. Nove unidades de acerola (o equivalente a 100 gramas) oferecem quase mil miligramas do micronutriente, enquanto uma laranja tem menos de 60 miligramas de ácido ascórbico (outro nome dado a essa vitamina). Nem mesmo abacaxi, limão, morango, brócoli e couve são páreos para a acerola (veja tabela abaixo).

Combate aos radicais

Verde em FolhaMas qual a importância da vitamina C? Quem acha que ela só é útil na hora de prevenir resfriados, se engana. Um dos mais prestigiados antioxidantes naturais, o composto é fundamental na batalha contra os radicais livres, que formam uma tropa de moléculas capazes de danificar as células - seus estragos, com o tempo, podem causar tumores e cânceres.
sse é um dos motivos de frutos recheados de vitamina C serem associados à longevidade. "Os antioxidantes garantem preservação da firmeza, elasticidade e resistência da pele, o que afasta o aparecimento de manchas e rugas", garante a nutricionista Daniela Jobst, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional (CBNF). Segundo a especialista, por favorecer a síntese do colágeno, eles também desempenham papel de destaque na cicatrização de ferimentos e evitam infecções.

Para se ter ideia, uma pesquisa feita em abril deste ano, publicada na revista Archives of Internal Medicine, apontou que a vitamina C pode diminuir em 45% o risco de gota em homens, por reduzir a quantidade de ácido úrico. Ou seja, em alta no organismo, o nutriente dá aquela força ao sistema imunológico e afasta o corpo de uma lista de encrencas.

O coração agradece

"Ao proteger o organismo da ação danosa dos radicais livres, a vitamina C consegue inibir a oxidação do LDL [o colesterol ruim], impedindo que ele provoque doenças como arteriosclerose [rigidez das artérias]", afirma Ana Lúcia. Tem mais: a acerola carrega boas doses de potássio, indispensável para o músculo cardíaco - o mineral equilibra a pressão sanguínea e controla a contração das fibras musculares.

Verde em Folha
Além disso, já parou para pensar por que a frutinha é tão vermelha? Culpa do licopeno, fitoquímico que dá cor aos alimentos e tem efeito antioxidante. Esse princípio ativo é mais uma fonte para inibir a oxidação do colesterol e, ainda, mandar para longe câncer de próstata, pulmão e estômago.


Cereja-das-antilhas

Esse é outro nome popular da acerola (devido ao vermelho vibrante de sua casca). A frutinha tem sabor amargo, germina em terras quentes e, apesar do tamanho (mede de 1 a 3 centímetros de diâmetro), vem carregada de nutrientes fundamentais à saúde. Era guardada a sete chaves em Porto Rico, até ser trazida às escondidas para o Brasil, em 1956, por uma professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Os brasileiros só deram o devido valor ao alimento nos anos 1990, quando se desvendaram seus muitos benefícios nutricionais. A partir daí, ela passou a ser cultivada em larga escala. Hoje, o País é o maior produtor e consumidor do alimento.

Fruta do verão

A acerola vem, também, com boas quantidades de outro fitoquímico, o betacaroteno, substância antioxidante precursora da vitamina A, bastante comum nas frutas alaranjadas. Acredite, até neste quesito ela deixa a laranja a ver navios - é o quarto alimento mais cheio de betacaroteno, perdendo apenas para cenoura, rúcula (sim, o fitoquímico também aparece em iguarias verdes), abóbora e couve-manteiga. Essa substância é perfeita para os dias quentes de verão.

Quando se transforma em vitamina A (é o único carotenoide com esse poder), age na recuperação da pele, que fica mais firme e sobe a produção de melanina. Isso significa que, além de proteger a pele dos raios solares, o betacaroteno estimula o bronzeamento.

A acerola também é fonte de licopeno, fitoquímico que atua contra o câncer de próstata

Sabia que...

A aceroleira produz frutos durante o ano todo? O pé de acerola começa a frutificar em seu segundo ou terceiro ano de vida. Se mantido ativo, pode durar até meio século. A germinação de uma acerola dura menos de um mês. Cada arbusto da aceroleira é capaz de dar de 20 a 30 quilos por ano da fruta. É acerola para uma vida inteira.

Esqueleto forte

A acerola oferece vantagem aos ossos. "Além de ser rica em vitamina C, que ajuda na retenção do cálcio pelo corpo, há presença de outros minerais na fruta, como fósforo e magnésio", adianta a nutricionista do Hospital Sírio-Libanês. Aliados, esses nutrientes formam um supertime responsável pela manutenção do esqueleto, porque aumenta a densidade óssea.

Aliás, não pense que osteoporose só vira problema na terceira idade. O ideal, alerta a especialista, é começar a prevenção desde a infância, já que a quantidade de minerais pode ser armazenada nos ossos (e, não é demais lembrar, nos dentes) ao longo dos anos para ser usada depois que a pessoa envelhece.

Xô, desânimo!

Quer mais benefícios da combinação vitamina C e minerais? Essa turma tem relevância nas funções do sistema nervoso central, que definem as alterações de humor. Sem contar que ajuda a manter a resistência muscular por muito tempo. Vale dizer que o ácido ascórbico estimula o organismo a absorver mais um mineral, o ferro, indispensável na formação das células vermelhas (as hemoglobinas), no transporte de oxigênio e nos sistemas de defesa. É bom destacar que a vitamina C potencializa a absorção de um tipo específico de ferro, o não heme, que está presente em frutas, hortaliças e grãos e é o mais difícil de ser armazenado pelo corpo.

Como consumir

"Ao natural ou em sucos", responde Daniela Jobst. Qualquer tipo de processamento diminui a quantidade de nutrientes da acerola. Se bater a frutinha no liquidificador, o ideal é tomar a bebida imediatamente após o preparo - ela vai bem acompanhada de abacaxi, laranja, melão ou maracujá. Aliás, outra boa notícia: 100 gramas da frutinha (quantidade ideal para um copo de 100 mililitros de suco) têm apenas 32 calorias.
Em qualquer situação, aproveite toda acerola, sem dispensar a casca - nela estão os fitoquímicos que colorem os alimentos e fazem bem à saúde. "É na casca das frutas que se concentram as fibras", ressalta Ana Lúcia. As fibras dão um baita estímulo ao metabolismo, facilitam a digestão dos alimentos e espantam os picos de fome.

A nutricionista oferece outra dica: se é vitamina C que você procura, por mais saborosa que a acerola pareça quando exibe sua coloração vermelha, dê preferência ao alimento quando estiver verde-alaranjado. Isso porque o ácido ascórbico se esvai da fruta ao longo de seu amadurecimento. "Duas ou três acerolas por dia são suficientes para você aproveitar as maravilhas do nutriente", sinaliza.

Para quem procura vitamina C, o nutriente está em maior concentração na fruta quando estiver verde-alaranjada



Suco com acerola


Verde em Folha
Ingredientes

2 xícaras (chá) de suco de laranja 1 polpa de acerola congelada (100 g) 6 colheres (sopa) de Neston



Preparo Em um liquidificador, bata o suco de laranja com a polpa de acerola e o Neston. Adoce a gosto e sirva.



Rendimento 2 porções

Fonte: Nestlé

Mingau de laranja e acerola

Ingredientes

1 xícara (chá) de suco de laranja 50 g de polpa de acerola 1 colher (sopa) de açúcar 3 colheres (sopa) cheias de Etapa 1 - Mucilon Milho

Preparo

Misture todos os ingredientes em um prato fundo e sirva a seguir. Dica: se desejar, substitua a polpa de acerola por três colheres (sopa) de suco de acerola concentrado.

Rendimento 1 porção

Fonte: Nestlé

Suco de acerola com banana e mamão

Ingredientes

4 colheres (sopa) de suco de acerola concentrado ½ banana 1 fatia de mamão sem casca 2 colheres (sopa) de Neston

Preparo

Ferva 100 mililitros de água e deixe esfriar. Coloque o suco de acerola, a banana, o mamão e a água no liquidificador e bata bem até obter um suco homogêneo. Junte o Neston, bata mais um pouco e sirva a seguir. Dica: se desejar, substitua o suco de acerola por suco de pitanga concentrado.

Rendimento 1 copo

Fonte: Nestlé
Sorvete de laranja e acerola

Ingredientes

1 polpa de laranja 1 polpa de acerola 1 lata de leite moça light 1 lata de creme de leite

Preparo

Em um liquidificador, bata todos os ingredientes. Coloque em um recipiente, coberto com filme plástico, e leve ao freezer por cerca de 4 horas. Retire, bata novamente no liquidificador e leve ao freezer por 12 horas ou até endurecer. Sirva.

Rendimento

10 porções Fonte: Serviço Nestlé ao Consumidor

Muffin de cenoura, maçã verde, nozes e coco

Ingredientes

2 xícaras (chá) de aveia fina 1 ¼ xícara (chá) de açúcar 1 xícara (chá) de cenoura ralada 1 xícara (chá) de óleo ¾ de xícara (chá) de nozes picadas ½ xícara (chá) de coco em flocos 2 colheres (chá) de bicarbonato de sódio 2 colheres (chá) de canela 3 ovos 1 maçã verde 1 pitada de sal

Preparo

Aqueça o forno em temperatura média. Em uma tigela, misture a farinha, o sal, a canela e o bicarbonato. Junte o coco, a cenoura, ½ xícara de nozes e misture bem. Em outra tigela, misture os ovos e o óleo. Descasque e rale a maçã e acrescente à mistura de ovos. Junte a mistura de farinha e mexa. A massa deve ficar aerada e granulada, sem estar borrachuda. Não é preciso mexer muito, para não ficar muito lisa. Divida a massa em forminhas, preenchendo-as até ¾ da capacidade. Polvilhe com as nozes restantes e asse por 15 minutos ou até que, ao enfiar um palito, ele saia limpo. Retire do forno e deixe amornar por 5 minutos sobre uma grade.

Rendimento

16 unidades

Fonte: Renato Caleffi, chef do Le Manjue Bistrô (SP)

Picadinho de banana-verde

Ingredientes

6 bananas-verdes 125 g de carne moída 2 tomates Cebola, alho, sal, orégano ou outro tempero a gosto

Preparo

Lave e enxágue as bananas e leve para cozinhar numa panela de pressão, cobertas com água, por 8 minutos (contados após o início da pressão). Tire a ponta e o cabinho. Descasque as bananas, coloque as cascas numa tigela com suco de limão por meia hora. Corte a polpa em rodelas finas e reserve. Em outra panela, refogue a carne moída com os temperos, o tomate e o sal. Acrescente água até cobrir o refogado e deixe ferver. Enxágue as cascas duas vezes e pique-as. Acrescente as cascas e a polpa ao refogado de carne. Deixe ferver por 3 minutos. Sirva a seguir.

Rendimento 4 porções

Fonte: Yes, nós temos bananas - Histórias e receitas com biomassa de banana-verde, Heloisa de Freitas Valle e Marcia Camargos, Editora Senac São Paulo

Molho khire ka raita

Ingredientes

3 a 5 dentes de alho amassados 3 pepinos japonês descascados e sem semente 400 g de iogurte natural de sabor suave Cominho em pó (se for torrado e moído melhor) Folhas de hortelã chifonada de aproximadamente 4 galhos 2 colheres (chá) de açúcar 1 colher (sopa) de vinagre branco Sal a gosto

Preparo

Rale os pepinos na lâmina grossa do ralador. Escorra a umidade ou desidrate-o com sal como os japoneses. Misture todos os ingredientes, corrigindo o tempero. Se necessário, adicione vinagre aos poucos para afinar o molho. Sirva gelado para pães, torradas, peixes fritos ou assados e filé de frango.

Rendimento 4 porções

Fonte: Renato Caleffi, chef do Le Manjue Bistrô (SP)

Mix de folhas, tofu, banana, molho tahine e linhaça

Ingredientes

30 g de mix de folhas (alface-americana, minirrúcula, mimosa, radiccio e frisée) 100 g de queijo tofu (ou mussarela de búfala) 1 banana-prata 50 ml de óleo de gergelim 2 g de tahine (pasta de gergelim) 5 ml de suco de limão 10 ml de azeite extravirgem 15 ml de iogurte 10 g de sementes de linhaça Sal e pimenta a gosto

Preparo

Lave e higienize as folhas. Corte a banana em lâminas. Grelhe a banana e o tofu em uma frigideira com um pouco de azeite e óleo de gergelim. Tempere com sal e pimenta. Coloque as folhas no centro do prato e decore com a banana, o queijo e finalize com o molho e as sementes de linhaça. Para o molho, coloque em uma tigela o tahine e o suco de limão e bata com um fio de azeite. Finalize com iogurte, sal e pimenta.

Rendimento 1 porção

Fonte: Silvana Cintra by Cuisine, chef especializada em cozinha de bem-estar

Camu-camu, o rei da vitamina C

Ele apresenta maior teor de vitamina C que a acerola - e qualquer outro alimento no mundo. O camu-camu (Myrciaria dúbia), bastante cultivado no Peru e já presente em alguns Estados brasileiros, como São Paulo, chega a acumular até 1,3 grama de ácido ascórbico para cada 100 gramas de sua polpa.

Na Universidade de Campinas (Unicamp), o fruto virou objeto de estudo da engenheira de alimentos Rosalinda Arévalo Pinedo, autora de doutorado realizado na Faculdade de Engenharia Química da entidade. No trabalho, ela aponta que o camu-camu vem lotado de fitoquímicos e sais mineiras capazes de fazer tantas maravilhas pela saúde quanto a acerola.

Ainda assim, por causa do gosto ácido e amargo, mais forte que da concorrente acerola, o camu-camu ainda é pouco apreciado pelos brasileiros. É especialmente aproveitado em geleias, sorvetes e refrescos, cápsulas de vitamina C e pela indústria de cosméticos - ainda que faltem pesquisas mais aprofundadas sobre sua capacidade de rejuvenescer a pele.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins

Acerola
Verde em Folha



Fruta de consumo restrito em estado natural, destina-se basicamente à indústria

Nome popular da fruta: Acerola (cereja das antilhas)

Nome científico: Malpighia punicifolia L. e Malpighia glabra L.

Origem: Antilhas (América Central).

Fruto: O fruto é uma drupa de superfície lisa e dividida em três gomos, com tamanho variando de 3 a 6 cm de diâmetro. A coloração externa do fruto varia do alaranjado ao vermelho intenso quando maduros com polpa carnosa e suculenta. Levam aproximadamente 22 dias desde a floração até a maturação.

Os frutos carnosos têm como característica comum sua riqueza em açúcares e acidez relativamente elevada. O tamanho varia em função do potencial genético da planta, tratos culturais e do número de frutos por gema reprodutiva. Em geral pesam de 3 a 16 g.

Planta: A aceroleira é uma árvore de 2 a 4 metros de altura, com ramificação compacta ou espalhada. Adquiriu importância mundial devido ao alto teor de vitamina C, além de ser boa fonte de vitamina A (caroteno), ferro, cálcio e tiamina.

As variedades de acerola são classificadas em doce ou ácida. Deste modo, os clones disponíveis para plantio foram selecionados levando-se em consideração o teor vitamínico. Nesta classificação, os frutos que produzem mais que 1.000 mg de ácido ascórbico (vitamina C) por 100 g de suco é que são considerados satisfatórios.

Cultivo: O clima ideal para o cultivo é caracterizado por temperaturas médias em torno de 26 ºC e 1.200 mm a 1.600 mm de chuvas.

Verde em FolhaDependendo da fertilidade do solo e dos tratos culturais, o espaçamento indicado varia de 5,0 x 5,0 m a 6,0 x 6,0 m. Espaçamentos menores também são possíveis, dependendo do terreno e tratos culturais, adotando-se 4,0 x 4,0 m. Com esse espaçamento e irrigação pode-se obter melhor produtividade, com 625 plantas por hectare e produção de até 100 kg de frutas por planta por ano.

Em relação às doenças e pragas, a aceroleira apresenta poucos problemas, mas é freqüente o aparecimento de cochonilhas e pulgões atacando os ramos e folhas. Deve ser feito o controle da mosca-das-frutas, evitando-se seus prejuízos. As doenças mais comuns são cercospora ou Mancha-das-folhas, verrugose e antracnose.

Abelhas da família Apidae, especialmente dos gêneros Centris e Epicharis, são relatadas como principais polinizadores da aceroleira. Esses insetos têm vida solitária e constroem seus ninhos, geralmente, em cavidades no solo. As abelhas Irapuá (Trigona spp.) também são observadas visitando as flores da aceroleira com certa freqüência, porém sua eficiência na polinização não está comprovada. As abelhas melíferas (Apis mellifera) não são eficientes na polinização da aceroleira devido à baixa atração das flores, possivelmente pela ausência ou baixa concentração de néctar.

A colheita dos frutos da aceroleira destinados ao consumo “in natura” ou ao processamento do suco deve ser feita de maneira bastante criteriosa. Os colhedores devem ser adequadamente treinados para o trabalho de colheita. As acerolas destinadas a mercados distantes devem ser colhidas "de vez". Deve-se evitar que os frutos sofram pancadas ou ferimentos durante a colheita, seleção e embalamento, pois isso acelera sua deterioração.

Deve-se ter cuidado no acondicionamento dos frutos, principalmente os maduros, que devem ser colocados nas caixas de colheita em poucas camadas, pois o peso das camadas superiores pode provocar o rompimento da casca dos frutos das camadas de baixo.

Usos: A produção de polpa e suco é, ainda, a principal destinação da fruta, dada sua perecibilidade e acidez. Os frutos da aceroleira apresentam rendimento de suco entre 49% e 75% do seu peso, com elevada acidez (pH 3,3). O teor de água nos frutos é, em média, de 90%.

Mercado: O produtor deve planejar o investimento nesta cultura com foco no mercado de destino. Como o consumo fresco é restrito, deve-se ter claro o destino das frutas, ou seja, qual indústria irá absorver a produção. Devido à perecibilidade, os plantios devem estar próximos aos mercados de destino, evitando-se transporte a longas distâncias.

As indústrias exigem frutos com mais de 80% de coloração rosada, virando para o vermelho, com mais de 15 mm de diâmetro, peso mínimo de 4 g/fruto, com boa firmeza e ausência de ferimentos.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa lançou uma nova variedade de acerola para mesa (Malpighia emarginata). Batizada de Cabocla, a nova cultivar pode ser destinada para o consumo natural ou para a indústria, apresentando frutos maiores e de vermelho intenso quando maduros.

Pesquisas analisam o aproveitamento do pó de acerola verde como fonte natural de vitamina C. Como o teor da vitamina decresce com o amadurecimento do fruto, pesquisadores testam a secagem (desidratação) e encapsulamento do pó do fruto verde, utilizando-o para enriquecimento de alimentos ou complemento vitamínico.