Articles by "árvores"
Mostrando postagens com marcador árvores. Mostrar todas as postagens
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins

Gonçalo-alvesGonçalo, gonçalo-alves, gonçaleiro.

Árvore inerme, heliófila, caducifólia, andromonoica, resinosa, odorífera, até 12 m de altura e 40 cm de DAP. 

Ritidoma cinzento ou pardacento, íntegro com rugas transversais ou localizadamente fragmentado e descamante; casca interna róseo-avermelhada. Madeira muito pesada, com cerne castanho ou marrom  Folhas alternas, pilosas, imparipinadas, com 7-15 folíolos de 5-10 x 2,5-5 cm. Inflorescências paniculadas, glabras, com 15-35 cm de compr. Flores amareladas, diclamídeas, pentâmeras, actinomorfas, hermafroditas ou unissexuais, 3-5mm de compr. Frutos secos, oblongo-elípticos, pardacentos, com 10-15 mm de compr. x 2-4 mm de diâm. e cálice aderente, funcionando como asa. Sementes aderidas ao pericarpo dos frutos, pouco menores que eles.

Ocorre no México, América Central, Argentina, Paraguai, Bolívia e Brasil, nas unidades federativas das regiões Centro-Oeste e Nordeste e nos estados do Pará, Tocantins, Minas Gerais e São Paulo. É frequente na maior parte do bioma Cerrado, em cerrados e cerradões.

Floresce em julho e agosto e apresenta frutos maduros em setembro e outubro. As flores são frequentadas por insetos, com destaque para himenópteros e predominância de abelhas. As sementes são anemocóricas, com o cálice funcionando com aparato para a dispersão dos frutos pelo vento.

Fornece madeira muito resistente, usada em obras internas e externas, confecção de móveis e eventualmente em fabricação de carvão. A casa e as folhas são usadas na medicina popular, contra úlceras de pele, úlcera gástrica, hemorroida e diarreia. Os frutos verdoengos são consumidos por psitacídeos e as flores oferecem néctar e pólen a abelhas e outros himenópteros. A espécie é indicada para arborização urbana e rural, recomposição de áreas desmatadas e plantios destinados à produção de madeira de alta durabilidade.

 É propagada por sementes, utilizando-se os frutos inteiros, sem o cálice, que devem ser postos para germinar em recipientes contendo areia. A emergência das plântulas ocorre num prazo de 15-20 dias, a taxa da germinação é da ordem de 75%% e o crescimento das plântulas é moderado. As sementes podem ser guardadas por até 4 meses em condições ambientes, sem perdas significativas no poder germinativo.

A. fraxinifolium tem ampla dispersão no Cerrado e está presente em várias unidades de conservação de proteção integral nesse bioma, mas predomina em áreas preferenciais para lavouras e pastagens. Como medida precautória,  o seu corte em vegetação primária passou a ser permitido somente mediante Plano de Manejo de Rendimento Sustentado aprovado pelo IBAMA, conforme a Portaria 83-N∕91 desse órgão.

Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins


Fonte da imagem: ambientec.

VAMOS DESCOBRIR...

Estudo do Instituto de Medicina da Universidade de Exeter incluiu dados como as condições sociais, tabagismo e idade.

De acordo com estudo “Paisagem e Urbanismo”, publicado na revista científica Science Direct, quanto mais árvores, menos quadros de depressão são identificados. Os dados analisados pelos pesquisadores do Instituto de Medicina da Universidade de Exeter, no Reino Unido, foram coletados em Londres, no período de 2009 a 2010.

Árvores e sua saúde
Fonte da imagem: revistavisoesurbanas.

Entre as informações consideradas estão a quantidade de árvores nas proximidades das casas dos pacientes e as informações médicas acerca da saúde mental de cada um. Além disso, variáveis como as condições sociais, tabagismo e idade também entraram no levantamento.

Árvores e sua saúde
De acordo com o estudo, locais com maior densidade de árvores, as taxas de prescrição médica para remédios antidepressivos foi menor. Fonte da imagem: Pensamento Verde.

A pesquisa levou em conta apenas as informações sobre a quantidade de árvores na rua, na proximidade das residências, sendo que os parques e outros espaços públicos de lazer não foram validados. Dessa forma, a proposta era avaliar o impacto que a natureza em meio urbano pode ter sobre as pessoas.

Árvores e sua saúde
Fonte da imagem: mapio.

Um dado identificado foi que em locais com maior densidade de árvores, as taxas de prescrição médica para remédios antidepressivos foi menor. Assim, 40 árvores por quilômetro quadrado possui uma prescrição de antidepressivos que varia de 358 a 578 a cada mil pessoas.
Árvores e sua saúde

Avaliando os resultados da pesquisa, os pesquisadores consideram que a saúde e bem-estar são estimulados por locais com paisagem mais verde, que favorecem a prática de atividades físicas e a interação com a comunidade.

Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Embaúba-PrateadaOcorrência: do Sul da Bahia até São Paulo e Minas Gerais, principalmente na parte mais alta da encosta atlântica e na floresta de altitude da serra da Mantiqueira, podendo contudo ser encontrada até a Bacia do Rio Paraná.
Outros nomes: embaúba branca, embaúva preta.

Características

Espécie com 6 a 12 m de comprimento, com tronco de 20 a 30 cm de diâmetro.
Folhas peltadas de 50 a 60 cm de diâmetro, coriáceas com ambas as faces cobertas por densa camada de pêlos esbranquiçados.
Lobos com 20 a 35 cm de comprimento. Um Kg de sementes contém 900.000 unidades.
Habitat: floresta pluvial em altitudes superiores a 500 m.
Propagação: sementes.
Madeira: leva, macia, de baixa resistência mecânica e baixa durabilidade.

Utilidade

A madeira pode ser empregada na confecção de objetos leves como fósforos, caixotaria, lápis, brinquedos, aeromodelismo, tamancos, slato de calçados, etc.
A árvore é uma das mais bonitas de nossa flora, destacando-se pela tonalidade prateada da folhagem, o que porporciona sua utilização paisagística.
Seus frutos são apreciados pela fauna.
Florescimento: outubro a janeiro
Frutificação: julho a novembro
Embaúba-Prateada
Nome Popular: Embaúva Prateada, embaúva preta, embaúba branca, embaúva branca.
Nome Científico: Cecropia hololeuca
Família: Urticaceae
Sinomínia Botânica: Cecropia candida Snethl.
Origem: Bahia, Espirito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo
Locais de Ocorrência: Nordeste, Sudeste
Onde Plantar: Praças, parques e jardins.
Porte da Árvore: De 5 a 10 metros, De 10 a 15 metros
Utilidades: Caixotaria, Frutíferas para Passáros , Uso Ornamental
Madeira: Leve (densidade 0,43 g/cm³), macia, de baixa resistência mecânica e baixa durabilidade.
Tronco: Tronco de 20-30 cm de diâmetro, revestido por casca fibrosa, fina, com ritidoma estriado e reticulado.
Folha: Folhas alternas espiraladas, simples peltadas, concentradas no ápice dos ramos, estipuladas na região apical, palmatipartidas, 6-10 profundo-lobadas, com indumento flocoso em ambas as faces porém mais visível na face abaxial e nas folhas novas, coriáceas, de 50-60 cm de diâmetro, com lobos de 20-35 cm de comprimento.
Flor: Flores não vistosas, perfumadas, dispostas em espigas.
Fruto: Fruto seco, marrom, de 1 mm de comprimento, agrupado em espigas e dotado de 1 semente.
Potencial Paisagístico: A árvore é uma das mais belas de nossa flora, emprestando aspecto característico à fisionomia das matas que a contém em virtude de sua folhagem prateada que sobressai no meio do verde. Esse mesmo aspecto pode ser conferido ao paisagismo, onde encontra ampla aplicação.
Fenologia: Floresce em mais de uma época, porém com maior intensidade em outubro-janeiro. Os frutos amadurecem em julho-novembro.
Longevidade e Armazenamento: Sementes com alta longevidade natural, fazendo parte do banco de sementes do solo.

Descrição

Embaúba é designação comum a várias espécies de árvores, principalmente do gênero Cecropia, que podem chegar a 15 m de altura.
Pertence ao estrato das plantas pioneiras da Mata Atlântica.
É também chamada de árvore da preguiça, pois seus frutos são o alimento preferido deste animal. As Embaúbas são árvores leves, pouco exigentes quanto a solo, e muito comuns em áreas desmatadas em recuperação.
Possuem frutos atrativos a várias espécies de aves, assim, tornam-se capazes de se dispersar rapidamente.
Como possuem caule e ramos ocos, vivem em simbiose com formigas especialmente as do gênero Azteca, que habitam no seu interior e que as protegem de animais herbívoros – daí seu nomes castelhanos de hormigo ou hormiguillo.

Características

Esta espécie tem tamanho médio (gira em torno de 6 a 12 metros de altura, com tronco de 20 a 30 centímetros de diâmetro). Suas folhas são peltadas (em forma de escudo).
Difícil não notar essa árvore nas matas. O tom prateado de suas folhas é o que mais se sobressai em meio ao verde. Por isso mesmo, tem forte aplicação no paisagismo, em função de sua beleza exótica.
Quanto à qualidade de sua madeira, é macia e de baixa resistência. Ou seja, pode ser usada na confecção de objetos leves, como fósforos, caixotaria, lápis, brinquedos, aeromodelismo, tamancos e saltos de calçados. Mas bom mesmo é a qualidade de seus frutos, alegria da fauna onde há sua ocorrência.
Quanto à sua área de projeção, ela é bem ampla, característica da costa leste do Brasil adentrando-se até Minas Gerais e Mato Grosso. Ocorre em áreas preservadas da floresta ombrófila densa em regiões montanhosas com altitude até 1.400m. Também produz anualmente grande quantidade de sementes, dispersadas na maioria das vezes por pássaros que consomem seus frutos e garantem a sua manutenção. Um quilograma de sementes contém aproximadamente 900 mil unidades.

Época de frutificação e florada

Ela floresce mais de uma vez ao ano, com destaque para os meses entre outubro e janeiro. Já seus frutos amadurecem de julho a novembro.

Cultivo

O desenvolvimento das mudas e também das plantas no campo é bastante rápido.
Aves mais atraídas pela planta
Sanhaços, sabiás, saíras, tuins, tucanos, araçaris, periquitos, jandaias, arapongas, saís, anambés, sebinhos, tiês, trinca-ferros, Cotinga-azul, pipiras, pica-paus, dançarinos-de-cabeças-vermelhas, surucuás, papagaios, tico-ticos, cambaçicas entre outros.

Ocorrência natural

Ocorre no Brasil, Sul da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

Colheita

Colher os frutos diretamente da árvore quando estiverem maduros, o que é facilmente notado pela presença de danos provocados por pássaros. Em seguida, deixá-los amontoados em sacos de plástico por alguns dias para iniciar a decomposição e facilitar sua maceração em água. As sementes estão envoltas por um halo mucilaginoso que as recobre, o qual deve ser retirado por meio de lavagem e secagem ao sol. As sementes são separadas filtrando-se a suspensão de frutos e deixando-se o filtrado secar ao sol.
Quebra de Dormência
As sementes da imbaúba-prateada apresentam dormência tegumentar. Na natureza, as sementes da embaúba-prateada são ingeridas por aves, tendo seu poder germinativo aumentado graças à ação de seus sucos digestivos. Ainda não foram determinados tratamentos para superar a dormência das sementes.
Como Plantar
Colocar as sementes para germinar, logo que colhidas, em canteiros semi-sombreados contendo substrato argiloso. Como tratam-se de sementes pequenas, cobri-las apenas levemente com o substrato peneirado. A germinação é baixa. O desenvolvimento das plantas no campo é rápido.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Pinho de Riga O pinho-de-riga (Pinus sylvestris) é mais amplamente distribuído do que qualquer outra conífera na Terra, de acordo com o website Trees for Life. A sua escala nativa se estende do oeste da Escócia até o leste da Sibéria, e do sul da Espanha para além do círculo ártico, no oeste da Escandinávia. A sua madeira foi trazida para o Brasil entre os séculos XVII e XIX, em navios portugueses e ingleses, e foi usada na construção de casas nobres em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Árvore da Escócia
Embora a árvore seja conhecida como pinheiro-da-escócia, o nome mais comum para sua madeira é pinho-de-riga. Ela é uma espécie fundamental na floresta da Caledônia, que outrora cobriu a maior parte dos planaltos escoceses. Embora o pinho-de-riga cresça em muitas outras partes do mundo, a sua abundância na floresta da Caledônia é distintiva, porque ele é a única conífera da floresta. Por causa da proximidade da Escócia com o oceano, os pinhos-de-riga providenciam um habitat para musgos e líquenes.

Árvore de Natal
Nos Estados Unidos, o pinho-de-riga é uma popular árvore de Natal, porque conserva muito bem as agulhas. Os cortes das árvores duram muito tempo durante o processo entre a colheita, o transporte e a venda. A folhagem é rígida, por isso é boa para suportar vários enfeites, leves e pesados. De acordo com a National Christmas Tree Association, são necessários de seis a oito anos de crescimento para produzir árvores com dois a três metros de altura. O pinho-de-riga cultivado para o mercado natalino requer podas anuais e proteção contra insetos e doenças.

Características
Um espécime maduro, fora de seu habitat nativo, pode atingir até vinte metros de altura e doze metros de extensão. As agulhas do pinho-de-riga crescem em feixes de dois e, dependendo da variedade, podem atingir dois centímetros e meio até quase oito centímetros de comprimento. A cor das agulhas pode ser verde-claro ou verde-escuro; algumas têm até um tom azulado. A casca dos galhos superiores dos espécimes maduros exibe uma bonita coloração laranja-avermelhada.

Reprodução
As flores fêmeas e machos, que se parecem mais ou menos com uma vela, brotam na mesma árvore durante a primavera. Quando o vento carrega o pólen masculino para fertilizar as flores fêmeas, inicia-se o desenvolvimento de uma pinha, que leva dois anos inteiros para alcançar a maturidade. Com o clima quente e seco, a pinha libera as sementes, que são muito leves e têm uma "asinha" acoplada. Em anos de grande produção, o pinho-de-riga pode gerar 3.000 pinhas, as quais liberam dezenas de milhares de sementes.

Usos
Pinho de Riga Os pinhos-de-riga podem ser plantados enfileirados ou como espécimens solitários, e são úteis em locais de recuperação, pois se propagam rapidamente. No final do século XIX e no início do século XX, os fazendeiros norte-americanos, familiarizados com o pinho-de-riga em seu habitat europeu, costumavam plantar a árvore em campos desgastados, por causa de sua reputação como tolerantes ao solo pobre. 

Como as fontes de sementes eram extremamente variáveis, as árvores, às vezes, produziam resultados decepcionantes. Os fazendeiros modernos, especialmente os que cultivam a árvore para o mercado natalino, tomam o cuidado de selecionar as sementes, para que produzam árvores com as melhores qualidades.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
 Tão belas quanto surpreendentes, as imagens comprovam que, além de frutos e sombra, árvores também oferecem momentos de puro êxtase.
Rododendro de mais de 125 anos no Canadá
Rododendro com mais de 125 anos, Canadá
Avenida de Carvalhos, na Carolina do Sul, EUA
Uma avenida de carvalhos na Carolina do Sul, EUA

Túnel de Carvalhos, no Oregon, EUA
Um túnel de carvalhos no Oregon, EUA
Árvore Sangue-de-Dragão, Yemen
Sangue-de-Dragão, Yemen
Glicínia de 144 anos no Japão
Glicínia de 144 anos, Japão
Flamboyant, Brasil
Flamboyant, Brasil
Eucalipto Arco-íris, em Kauai, Hawaii
Arco-íris de madeira no eucalipto em Kauai, Havaí
Jacarandás em Cullinan, na África do Sul
Jacarandás em Cullinan, África do Sul
Cerejeira florescente em Bonn, Alemanha
Cerejeira florescendo em Bonn, Alemanha
Cerca-Viva Negra, na Irlanda do Norte
Cerca-Viva Negra, Irlanda do Norte
Carvalho na Ilha de John, na Carolina do Sul, EUA
Carvalho na Ilha de John, Carolina do Sul, EUA
Baobá, em Madagascar
Baobá, Madagascar
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
    Jacarandá madeira nobre e beleza
  • Nome Científico: Jacaranda mimosaefolia
  • Nomes Populares: Jacarandá-mimoso, Carobaguaçu, Jacarandá
  • Família: Bignoniaceae
  • Categoria: Árvores, Árvores Ornamentais
  • Clima: Continental, Mediterrâneo, Subtropical, Tropical
  • Origem: América do Sul, Argentina
  • Altura: acima de 12 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene
O jacarandá-mimoso é uma árvore decídua a semi-decídua, de floração muito exuberante. Seu porte é pequeno, alcançando cerca de 15 metros de altura. O caule é um pouco retorcido, com casca clara e lisa quando jovem, que gradativamente vai se tornando áspera e escura com a idade. Sua copa é arredondada a irregular, arejada e rala. Suas folhas são opostas e bipinadas, compostas por 25 a 30 pares de pequenos folíolos ovais, de coloração verde-clara acinzentada.

No inverno, o jacarandá-mimoso perde suas folhas, que dão lugar as flores na primavera. Suas flores são duráveis, perfumadas e grandes, de coloração azul ou arroxeada, em forma de trompete e são arranjadas em inflorescências do tipo panícula. A floração se estende por toda a primavera e início do verão. Os frutos surgem no outono, são lenhosos, deiscentes e contém numerosas e pequenas sementes.

Jacarandá madeira nobre e belezaÉ uma árvore maravilhosa para a arborização urbana, caracterizada pela rusticidade, floração decorativa e crescimento rápido. Pode ser utilizada na ornamentação de ruas, calçadas, praças e parques, pois suas raízes não são agressivas. 

É largamente utilizada no paisagismo, adornando pátios e jardins residenciais ou públicos, filtrando moderadamente a luz do sol. Muitos países utilizam o jacarandá-mimoso na arborização de grandes cidades, entre estes podemos citar a Argentina, Brasil, África do Sul, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Itália, Espanha e México, entre outros.

Sua madeira é de excelente qualidade e apresenta cor rosada muito apreciada. Ela é empregada, por exemplo, na indústria moveleira, pisos laminados e em aplicações no interior de automóveis de luxo.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado no primeiro ano após o plantio. Adapta-se a uma ampla variedade de locais, mas aprecia o clima subtropical. Quando jovem, não tolera frio excessivo, mas torna-se mais resistente ao frio com o tempo. Não necessita podas ou qualquer tipo de manutenção. Não tolera secas prologadas, ventos fortes ou a salinidade no solo. É resistente à poluição urbana moderada e à maioria das enfermidades. Multiplica-se por sementes.
Um blog para quem gosta de verde, plantas e jardins
Jacarandá- Verde em Folha

  1. Poluição - Desde o colégio aprendemos que as árvores absorvem dióxido de carbono, mas o que muita gente não sabe é que elas também absorvem do ar, poluentes pesados como chumbo, manganês, fuligem e óxido nitroso. Estes tóxicos ficam armazenados na madeira da árvore e quanto mais velha ela for, mais absorverá.


  1. Autossuficiência - Elas cuidam de si próprias e não precisam de muito para sobreviver, apenas de ar, água, luminosidade e sais minerais. É que as árvores têm seu próprio mecanismo de defesa e criam substâncias químicas para afugentar vários de seus inimigos (como ratos e alguns insetos). Algumas delas também são usadas como medicamentos, como o taxol, por exemplo, usado no combate ao câncer. Outro funcionamento particular das árvores é a reprodução, realizada por suas próprias sementes.

  2. Tranquilizantes - Já experimentou abraçar uma árvore? De acordo com alguns botânicos, o movimento das folhas das árvores, principalmente certas espécies de coníferas (pinheirinhos), liberam íons negativos que têm efeitos benéficos sobre a saúde e o humor das pessoas.

  3. Esponja - As árvores funcionam como grandes esponjas que absorvem o vento, o barulho, a iluminação e a poeira que vêm das ruas, impedindo que tudo isso entre no nosso lar.

  4. Temperatura – através da transpiração (até 60 litros de água por dia em algumas espécies adultas), as árvores reduzem a temperatura, deixando os ambientes mais fresquinhos. Por exemplo, um bairro com poucas árvores, como o centro de uma grande cidade, pode ser até 12ºC mais quente do que um bairro arborizado. Você sabia que as árvores podem influenciar tanto assim a temperatura dos lugares que frequentamos todos os dias? 

  5. Solo - As árvores também contribuem com a preservação do solo, pois suas raízes são responsáveis por grande absorção de água, além de que, normalmente elas se encontram em área permeável, ajudando assim na prevenção de enchentes e erosões. Não é incomum utilizarmos espécies como a Ficus benjamina em áreas de taludes para a diminuição do risco de deslizamentos, pois suas raízes são muito fortes e densas, algumas raízes ainda são aéreas formando barreiras naturais, diminuindo a velocidade da água e assim também prevenindo as erosões. Uma árvore adulta pode absorver até 250 litros de água do solo por dia.

            E pela mesma razão, o uso dessa espécie deve ser evitado em calçadas e praças.
     7. Oxigênio - Calcula-se que seria preciso dez árvores de porte médio/grande, para criar oxigênio suficiente para uma pessoa respirar durante um ano.
A primavera está chegando, você já tem a sua árvore?
Seguem algumas sugestões de árvores que poderão perfeitamente ser plantadas na calçada da sua casa:


Espécie
Cor da flor
Porte
Época de floração
Nome científico
Nome popular
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
Acacia podaliriaefolia
acácia mimosa
amarela
6m












Bauhinia purpurea
pata de vaca
roxa
6m












Caesalpinia pulcherrima
flamboianzinho
laranja
3m












Callicarpa reevesii
calicarpa
roxa
6m












Cassia cana
cássia dourada
amarela
3m












Cassia excelsa
cássa excelsa
amarela
6m












Cassia macranthera
cassaia macranta
amarela
4m












Cassia multijuga
cássia aleluia
amarela
5m












Grevillea banksii
grevílea-anã
vermelha
6m












Jacaranda caroba
carobinha
roxa
8m












Lagerstroemia indica
resedá
branca
6m












Schinus molle
falso-chorão
branca
6m












Tabebuia avellanedae
ipê roxo
roxa
10m












Tabebuia chrysotricha
ipê amarelo
amarela
8m












Tibouchina granulosa
quaresemeira
rosa
6m













Quer saber mais sobre as árvores para sua casa? Mais dicas ou sugestões? Entre em contatocontatomaze@terra.com.br