28 de nov de 2017

Suculentas na decoração

Suculentas na decoração

Suculentas na decoraçãoPlantas harmonizam e embelezam qualquer ambiente. 

E, ainda, garante um pouco de paz interior, leveza e enriquece o “olhar”.
Com tantas opções que a natureza oferece, a dúvida maior é qual tipo de planta escolher para decorar o espaço.

Uma excelente opção de paisagismo e de decoração é usar a planta suculenta!
As suculentas são excelentes porque são lindas, marcantes e delicadas. Ao mesmo tempo, são tipos de plantas práticas, que não exigem muita manutenção. São vegetais duradouros. Esses são só alguns motivos para você decorar com suculentas.

Também, são plantas versáteis e adaptáveis aos mais variados tipos de ambientes. Podem ficar ao ar livre, em ambientes fechados, existem de vários tamanhos, ficam lindas sozinhas ou com outros tipos de plantas em conjunto…

E, combinam com a multiplicidade de tipos de vasos que existem por aí… Lugar para plantar é o que não vai faltar! Vidro, vaso de barro, cerâmica, no chão, no concreto, na chaleira abandonada da sua vó… O mais bacana é isso! As suculentas estimulam a criatividade.

Suculentas na decoraçãoPlantar suculenta é uma arte! Sem você perceber, já estará fazendo arte e inventando lugares para plantar. Suculentas trazem inspirações! Plante no seu jardim, na sua xícara, na vasilha abandonada… Invente!

Suculentas na decoraçãoE cuidar das suculentas é muito fácil! Os especialistas indicam molhar uma vez por semana no verão e, no inverno, a cada 20 dias. O excesso de água pode apodrecer a raiz. Essas plantas gostam de áreas iluminadas. Certifique-se de escolher um espaço que a luz chegue até ela, mesmo que seja de forma indireta. Algumas espécies não gostam da luz direta e queimam. E uma dica muito importante: para durar, o vaso precisa ter dreno (aquele furo embaixo), que permite que a água escoe.

Esses são apenas parâmetros de cuidados que funcionam para a maioria das suculentas. Mas, é claro que cada caso é um caso. Tudo vai depender do lugar que ela estiver e do tipo de suculenta. Não custa, por exemplo, você verificar se a terra ainda está úmida, antes de regar novamente.


Quem quiser se aprofundar nesse assunto, há publicações específicas sobre suculentas no mercado. Vá até a livraria e divirta-se!

Muita gente usa a suculenta como decoração temporária para festas e, até mesmo, na própria casa. Nesse caso, em inúmeros casos, plantam em uma peça sem dreno.

As suculentas encantam tanto que tem até noiva fazendo buquê de suculentas. Não é o máximo? As suculentas trazem alegria para qualquer ambiente!
Plantas suculentas

Suculentas na decoraçãoO maior motivo que leva alguém a desistir de ter uma planta é a falta de espaço e as suculentas cabem em qualquer espacinho mesmo.  Elas podem ser cultivadas em espaços mínimos como xícaras ou até mesmo dentro de uma concha pendurada na parede.  

Suculentas na decoraçãoEm várias fotos você poderá se surpreender em como elas podem ser compactar e ganhar um espaço pequeno aí na sua casa. Muita gente deixa sua plantinha na pia do banheiro, que tal?

Cultivo de suculentas

É sempre bom ter um pedacinho da natureza em casa e quem sempre ligou esse fato ao cultivo ou de flores ou de temperos pode mudar de ideia. Outro fato também é esse tipo de planta  que exige muitos cuidados pode não ser a melhor opção para um dono inexperiente, mas as suculentas proporcionará a deliciosa sensação de conviver com plantinhas no lar, sem correr o risco de ele não resistir à sua rotina. Porque as vezes a planta é que desiste do dono, não é?

23 de nov de 2017

Conheça 10 tipos de uva para vinhos

Conheça 10 tipos de uva para vinhos

Conheça 10 tipos de uva para vinhosO vinho é uma das bebidas mais apreciadas em todo o mundo. 
maneira como é preparado, a região na qual as uvas são cultivadas e o tipo de cepa utilizada em cada receita, permite que cada garrafa de vinho produzida apresente características completamente diferentes uma das outras.

E para te contar ainda mais sobre isso, nesse artigo iremos te apresentar um pouco mais sobre os 10 tipos de uva mais utilizadas para a produção de bons vinhos em todo o mundo, descobrindo um pouco mais sobre suas peculiaridades e sabor. Acompanhe!

CABERNET SAUVIGNON

cabernet-sauvignon
Se você gosta de saborear bons vinhos tintos, provavelmente já ouviu falar da uva Cabernet Sauvignon. Essa é, sem sombra de dúvidas, a casta tinta mais utilizada para produzir vinhos em várias regiões do mundo. Sua origem é francesa, mais especificamente da região de Bordeaux, mas ela é hoje cultivada em países como a Argentina, o Chile, os Estados Unidos e também no Brasil, por sua facilidade de se adaptar a diferentes terrenos. A Cabernet é uma uva que produz vinhos encorpados, discretamente tânicos e com aromas herbáceos, que envelhecem muito bem em garrafa.

MERLOT

merlot
A uva Merlot é outra cepa francesa originária de Bordeaux, também muito popular em vinhos produzidos fora desse país. Essa uva produz bebidas macias, porém encorpadas, com aroma e sabores frutados, ideais para se consumir ainda jovem — ao contrário da Cabernet, que aproveita bem o processo de envelhecimento.

MALBEC

malbec
Outra uva francesa, a Malbec, começou a fazer muito sucesso em produções vinícolas fora desse país. A Argentina é, atualmente, a maior produtora dessa uva, elaborando também os melhores vinhos derivados dessa cepa específica. A Malbec é uva uma que produz um vinho macio, bastante aromático, com leve sabor de especiarias e flores.

CARMÉNÈRE

carmenere
Assim como a Cabernet Sauvignon e o Merlot, a uva Carménère também é uma cepa originária de Bordeaux. Apesar de ser uma fruta típica da região, a Carménère não é encontrada com facilidade nessa cidade francesa, já que os vinhos chilenos elaborados com a cepa são considerados os melhores do mundo. A Carménère produz um vinho bastante encorpado, ao contrário das outras uvas francesas, com taninos marcantes, sabor frutadoe aroma discretamente apimentado.

PINOT NOIR

pinot-noir
A grande maioria das uvas ideais para a produção de vinhos tem origem francesa. O Pinor Noir talvez seja a uva mais popular em vinhos franceses que são muito admirados ao redor do mundo. Originária da Borgonha, a Pinot Noir permite a elaboração de vinhos suaves, discretos, porém únicos e com tons sofisticados. Poucos países se arriscam a produzir vinhos com essa cepa além da França, por isso, é pouco comum encontrar vinhos com Pinot Noir que não sejam originários desse país.

SYRAH

syrah
Mais uma cepa tinta francesa, a Syrah é originária do Vale do Rhône, e também se adaptou muito bem a vários países fora da Europa, como a Austrália, a Argentina e o Uruguai. A Syrah produz vinhos únicos de cor intensa, aroma rico em especiarias e defumados, com um sabor discretamente frutado.

TANNAT

tannat
A uva Tannat é cultivada no sudoeste francês e se adaptou muito bem aos terrenos uruguaios, país que adotou a casta como sua principal produtora de vinhos na região. Essa cepa é usada para elaborar bebidas mais encorpadas e com bastante tanino, características que permitem que esses vinhos sejam melhores para se saborear após o envelhecimento, se tornando mais suaves. Os vinhos produzidos na França com essa cepa, ao contrário dos uruguaios, mantem a característica forte de sua origem mesmo após o envelhecimento.

TEMPRANILLO

tempranillo
A uva tempranillo é uma cepa popular de origem espanhola, também muito usada para produzir vinhos portugueses. Inclusive, em Portugal, ela recebe outros nomes, como Tinta Roriz e Aragonês. Ela elabora vinhos com corpo médio, porém de sabor frutado e aroma de ervas e especiarias. Quando envelhecidos em barris de carvalho, podem adquirir notas de baunilha. A tempranillo também é utilizada para produzir bons vinhos na Argentina, especialmente os jovens, que passam por curto tempo de envelhecimento no barril.

CHARDONNAY

chardonnay
Essa uva francesa, originária da Borgonha, é responsável por produzir os mais famosos vinhos brancos e espumantes em todo o mundo. A cepa Chardonnay produz vinhos encorpados, porém macios e muito elegantes, especialmente quando produzidos em terras francesas. Apesar de sua produção ser encontrada em outras regiões do país e do mundo, poucas apresentam o mesmo valor e sabor das receitas originais da Borgonha.

SAUVIGNON BLANC

sauvignon-blanc
Outra cepa clássica para a produção de vinhos brancos é a Sauvignon Blanc, que faz sucesso em vários países ao redor do mundo, apesar de sua origem francesa. A Sauvignon produz um vinho suave, com boa acidez e sabor discretamente herbáceo, especialmente quando produzido na França. A Nova Zelândia tem se destacado na produção de vinhos com essa uva, ao deixá-lo com sabor mais frutado e encorpado.

Qual das tradicionais cepas de uvas citadas nesse texto é a sua favorita? Venha contar para nós através dos comentários. Participe da conversa!
7 Mitos do Vinho

7 Mitos do Vinho


7 Mitos do Vinho

1 – Quanto mais cara a garrafa, melhor

Paladar é pessoal e intransferível e gosto pessoal não se mede com cifras. Vinhos de uma faixa mais alta de preço podem ser melhores que muitas “pechinchas” suspeitas, mas um vinho
inacreditavelmente caro pode ser tão bom quanto outro que não arrombe sua conta bancária.

2 – Quanto mais pesada a garrafa, melhor o vinho (ou quanto mais elaborado o rótulo, melhor)

É isso mesmo que os departamentos de marketing querem que você pense. Mas o que importa não é a garrafa e sim o que está dentro dela. Antes de beber não dá pra saber se o vinho é bom. Tome como exemplo os maiores e mais conhecidos vinhos, como Bordeaux ou Borgonha. As garrafas são boas e simples. Os rótulos não são chamativos, extra coloridos ou elaborados.

3 – Vinho tinto deve ser bebido com carnes vermelhas e brancos, com peixe

Essa é uma regra bem geral, mas não absoluta. A harmonização depende de muitos outros fatores além da cor dos ingredientes. É preciso analisar o “peso” dos sabores e aromas do prato, o método de cocção, os molhos, guarnições e muito mais coisas além da cor.

4 – Os vinhos melhoram com a idade

Ao contrário, a maioria é feita para ser bebido jovem. Quem ganha com o tempo são os vinhos de guarda que são mais raros e caros. Vinhos de guarda precisam ser produzidos com essa intenção e não é qualquer lugar que tem uvas, métodos e até mesmo vontade de produzir vinhos de guarda. Para muitos produtores é melhor, mais econômico e lucrativo fazer vinhos para consumo imediato.

5 – Existem vinhos para homens e vinhos para mulheres

Bobagem, muita, muita bobagem!

O que existe são vinho para principiantes e vinhos para quem já tem experiência. Paladar não tem gênero e evolui da mesma forma. Normalmente quem está começando a beber vinhos prefere os mais leves, adocicados e fáceis de beber. Com o tempo e a prática o paladar evolui e deixamos de gostar dos vinhos mais fáceis, partimos para os mais complexos, tânicos e difíceis.

Algumas regiões, como a Borgonha, produzem vinhos frequentemente descritos como “femininos” mas o termo nada tem a ver com o gênero de quem vai beber os vinhos e sim com sua complexidade.

6 – Vinho de misturas de uvas não são bons

Outra bobagem. O corte, blend ou assemblage visa melhorar os vinhos. O que falta em uma uva pode ser complementado com outra e assim criar um vinho equilibrado. É como uma orquestra. Um piano solo pode ser lindo, mas uma música que inclua outros instrumentos pode ser ainda melhor.

7 – Vinhos “Reserva” são melhores

Depende do país de origem. A expressão pode ser usada em alguns países que possuem leis que regem a produção e ter diferentes significados que vão desde o tempo de madeira até teor alcoólico. Ou pode também ser usada por produtores de países que ainda não possuem leis no setor apenas para atrair o consumidor incauto.

21 de nov de 2017

Que tal investir em uma árvore natural para o Natal

Que tal investir em uma árvore natural para o Natal

Kaizuca 
Então, que tal substituir a árvore artificial por um lindo pinheiro natural? Além de ser um reforço no paisagismo da casa, a árvore de Natal pode acompanhar a família o restante do ano. Porém, alguns cuidados pontuais são necessários.


Cuidados e posicionamento
Qualquer que seja a árvore escolhida, ela precisará de claridade, ventilação e sol para permanecer saudável. “Recomendo que ela seja mantida próxima a janela, mesmo no período que estará servindo como decoração de Natal”, diz. Mesmo apenas 20 dias longe do sol, pode ser muito prejudicial para a planta. “Deve-se observar a aparência da planta. Se ela tiver galhos secos na base é um mau sinal”.

Adubação e rega 
Como nenhuma planta vive sem alimento, é necessário adubá-la. “Uma vez por mês pode ser promovida uma adubação. Outra boa alternativa é usar as pastilhas de adubo que vão liberando a substância conforme é feita a rega.” É recomendável que a planta seja molhada a cada dois dias, mas essa instrução pode variar conforme a umidade e temperatura.

Enfeites
Cipreste
Tuia
Embora a planta seja um lindo ornamento, o Natal pede enfeites específicos. Em geral, é possível pendurar qualquer objeto, desde que não aperte demais os galhos e folhas para não machucar a árvore. Para iluminar, o tipo de pisca-pisca mais indicado é o de LED, que não esquenta.

Depois da festa
Com o fim das festas, é hora de desmontar a árvore, que passará a conviver com o dia a dia da família. “Não é preciso plantá-la em um jardim ou espaço aberto, basta transpô-la para um vaso maior, para que a raiz se desenvolva de forma saudável.